Trabalho de Aeroportos - Auxílios e Sinalização de Aeródromos
39 pág.

Trabalho de Aeroportos - Auxílios e Sinalização de Aeródromos


DisciplinaAeroportos243 materiais601 seguidores
Pré-visualização6 páginas
\u2013 Projetada para aeronaves usando 
instrumentos de aproximação. Dividem se em: 
a) Pista para aproximação sem precisão: além de usar os auxílios visuais, a pista é 
equipada com um auxílio eletrônico que fornece ao piloto pelo menos uma 
orientação direcional adequada para aproximação e pouso; 
b) Pista de aproximação de precisão: os auxílios eletrônicos fornecem a direção e a 
indicação que a aeronave tem que seguir para um pouso seguro. Dividem-se em: 
\uf0fc Pista para aproximação de precisão de categoria I; 
\uf0fc Pista para aproximação de precisão de categoria II; 
\uf0fc Pista para aproximação de precisão de categoria III (A, B, C). 
Estas definições estão diretamente ligadas ao alcance visual na pista e à altura de 
decisão. 
Tabela 1: Alcance Visual na Pista 
Categoria Altura de Decisão Visibilidade 
Horizontal 
RVR \u2013 Alcance 
Visual na Pista 
Categoria I H 60 m 800 m 550 m 
Categoria II 60 H 30 m Sem restrição 350 m 
Categoria III A H 30 m Sem restrição 200 m 
Categoria III B H 15 m Sem restrição 50 m 
Categoria III C Sem restrição Sem restrição - 
 
 
2.1 SINALIZAÇÃO HORIZONTAL DE PISTA 
 
2.1.1 Tipos de Sinalização 
A tabela a seguir nos indica o tipo de operação da pista com os elementos 
necessários da sinalização: 
 
Tabela 2: Tipo de operação da pista e elementos de sinalização. 
Tipo de Operação da Pista Elementos da Sinalização 
 
 
VFR 
Eixo da pista 
Designação de pista 
Faixas de cabeceira 
Ponto de espera 
 
 
IFR \u2013 Não Precisão 
Eixo da pista 
Designação de pista 
Faixas de cabeceira 
Ponto de Visada 
Ponto de espera 
 
 
 
IFR \u2013 Precisão 
Eixo da pista 
Designação de pista 
Faixas de cabeceira 
Ponto de visada 
Marca de zona de contato 
Faixa lateral 
Ponto de espera 
 
 
 
2.1.2 Elementos da Sinalização 
 
a) Marcas de Eixo de Pista 
 
Toda pista pavimentada deve ter sinalização de eixo, que é uma linha de traços 
uniformemente espaçados, sobre o eixo longitudinal da pista, localizados entre as duas 
sinalizações designadoras da pista. O comprimento de cada faixa deve ser de no mínimo 
30 m e um intervalo de 20 m entre as faixas. O comprimento de cada traço mais o 
intervalo deve estar compreendido entre 50 m e 75 m. Sua largura depende do tipo de 
operação do aeródromo: 
\uf0b7 90 cm em pista para aproximação de precisão CATEGORIA II ou 
CATEGORIA III; 
\uf0b7 45 cm em pistas para aproximação de precisão CATEGORIA I ou em pistas 
para aproximações que não sejam de precisão, cujo código de pista seja 3 ou 4; 
\uf0b7 30 cm nas pistas operação visual. 
 
Figura 24: Marcas de Eixo da Pista ou Marcas Centrais da Pista. 
Fonte: http://www.precisionstriping.com/services/ 
 
b) Marcas de Numeração de Cabeceira 
 
As cabeceiras de pistas pavimentadas devem ser dotadas de sinalização de 
identificação de pista. Essa identificação consiste de um número de dois algarismos e, 
em pistas paralelas, este número deve ser acompanhado de uma letra. 
No caso de pista única, duas ou mais pistas paralelas, o número de dois 
algarismos será o inteiro mais próximo da décima parte do azimute magnético do eixo 
da pista, medido no sentido horário a partir do norte magnético, visto da direção de 
aproximação. Se a sinalização de identificação constar de um único algarismo, o mesmo 
deve ser precedido de um zero. 
 
 
Exemplo 1: Identificação de Pista 
` 
Figura 25: Marcas de numeração de cabeceira 
Fonte: http://guiadovoo.com.br/author/infraton/ 
No caso de pistas paralelas, além do número identificador, a designação de 
cabeceira deve ser acompanhada de uma letra (L, C ou R), como indicado a seguir, a 
ordem é da esquerda para a direita, quando vistas da direção de aproximação: 
a) Para duas pistas paralelas: L R; 
b) Para três pistas paralelas: L C R; 
c) Para quatro pistas paralelas: L R L R; 
d) Para cinco pistas paralelas: L C R L R ou L R L C R; 
e) Para seis pistas paralelas: L C R L C R 
 
Exemplo 2: Identificação de Pista 
 
Figura 26: Pistas Paralelas 
Fonte: http://www.cm-braganca.pt/pages/125 
 
 
 
 
 
 
 
O número e as letras devem ter o formato e as dimensões indicadas a seguir: 
Exemplo 3: Formas e proporções dos números e letras de identificação de pista de pouso 
 
Nota: As unidades são em metros. 
 
c) Faixas de cabeceira 
 
Toda pista pavimentada deve ter a sinalização de cabeceira. Esta sinalização 
consiste de um conjunto de faixas longitudinais de dimensões uniformes, dispostas 
simetricamente em relação ao eixo da pista. As faixas de sinalização de cabeceira 
devem começar a 6,00 m da extremidade da pista. 
 
 
Figura 27: Faixas de Cabeceira 
Fonte: http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=1552908&page=271 
 
A quantidade de faixas de sinalização de cabeceira será fixada de acordo com a 
largura da pista. Na seguinte tabela temos o número de faixas de acordo com a largura 
da pista: 
Tabela 3: Faixa de Cabeceira 
Largura da pista Número de faixas 
18 m 4 
23 m 6 
30 m 8 
45 m 12 
60 m 16 
 
Se a largura da pista de pouso e decolagem não coincidir exatamente com os 
valores especificados neste item, considera-se, para fins de determinação da quantidade 
de faixas de cabeceira, a largura imediatamente inferior. 
As faixas de cabeceira devem ter 30,00 m de comprimento e 1,80 m de largura, 
com espaçamento entre elas de aproximadamente 1,80 m. Deve ser utilizado intervalo 
de 3,60 m entre as duas faixas centrais adjacentes ao eixo da pista, e quando a 
sinalização de identificação de pista estiver entre as faixas, este intervalo deve ser de 
22,50 m. A configuração com a identificação de pista entre as faixas de cabeceira pode 
ser utilizada quando a pista for de aproximação visual ou por instrumento sem precisão, 
com largura maior ou igual a 45 m. 
 
 
Exemplo 4: Marcas de Cabeceira 
 
d) Ponto de Visada 
 
É utilizada em ambos os extremos das pistas pavimentadas de voo por 
instrumento. Consiste de duas faixas retangulares, uma de cada lado do eixo 
longitudinal da pista e, a distância entre seus lados internos e suas dimensões é variável. 
Havendo sinalização de zona de contato, a separação lateral entre estes dois tipos de 
sinalização deve ser a mesma. 
 
Figura 28: Marcas de Ponto de Visada. 
Fonte: http://www.cs.utexas.edu/~shmat/photo/flying/51modesto/slides/modesto_10.html 
 
 
 
Tabela 4: Ponto de Visada - Localização e Dimensões 
Localização e 
dimensões 
Distância disponível para aterrissagem (D) em metros 
D 800 800 D 1200 1200 D 2400 2400 D 
Distância da 
cabeceira ao inicio 
da faixa 
 
150 m 
 
250 m 
 
300 m 
 
400 m 
Comprimento da 
faixa 
30 \u2013 45 m 30 \u2013 45 m 45 \u2013 60 m 45 \u2013 60 m 
Largura da faixa 4 m 6 m 6 \u2013 10 m 6 -10 m 
Espaço lateral entre 
os lados internos das 
faixas 
 
6 m 
 
9 m 
 
18 \u2013 22,5 m 
 
18 \u2013 22,5 m 
 
 
 
Exemplo 5: Distância da cabeceira ao Ponto de Visada. 
 
e) Zona de contato 
 
É utilizada em ambos os extremos das pistas para aproximação de precisão. 
Consiste de pares de faixas retangulares, a cada lado do eixo longitudinal, existindo uma 
configuração básica e outra com codificação de distância. Na configuração básica o 
comprimento mínimo é de 22,5 m e a largura mínima de 1,8 m, com separação entre 
faixas adjacentes de 1,5 m. O espaçamento lateral entre os lados internos dos retângulos 
deve ser o mesmo utilizado para a sinalização de ponto de visada. Os pares de faixas 
serão dispostos com intervalos longitudinais de 150 m a partir da cabeceira, exceto
Helder Francisco
Helder Francisco fez um comentário
boa noite,quero baixar este trabalho para o meu pc, como faço?
0 aprovações
Carregar mais