prova de educação e economiaV1
4 pág.

prova de educação e economiaV1


DisciplinaEconomia da Educação74 materiais149 seguidores
Pré-visualização2 páginas
valiação: CEL0067_AV1_201301664294 » EDUCAÇÃO E ECONOMIA POLÍTICA
	Tipo de Avaliação: AV1
	Aluno: 
	Professor:
	ALDYR PEREIRA PIRES
	Turma: 9009/D
	Nota da Prova: 7,5 de 8,0         Nota do Trab.:        Nota de Partic.: 2        Data: 09/04/2014 20:28:48
	
	 1a Questão (Ref.: 201301854370)
	Pontos: 0,5  / 0,5
	O animal se confunde com sua atividade vital. De modo diferente, o homem não se confunde com sua atividade vital.  O homem age de forma teleológica, ele elabora mentalmente seu trabalho, realizando uma ação antecipatória. Assim, é possível dizer que, para o homem, a atividade vital é:
		
	
	 ideológica
	
	manutenção
	
	imaginária
	 
	consciência
	
	realista
	
	
	 2a Questão (Ref.: 201301848721)
	Pontos: 1,0  / 1,0
	Dentre as causas apontadas pelos economistas para a crise do Estado de Bem-estar Social, iniciada nos primeiros anos da década de 1970, qual dela não está correta.
		
	
	Aumento do nível de escolaridade.
	
	Os gastos dos Estados com as políticas sociais.
	 
	O enfraquecimento dos sindicatos.
	
	A estagnação da economia (baixos índices de crescimento).
	
	Avanço tecnológico dos meios de produção.
	
	
	 3a Questão (Ref.: 201301841953)
	Pontos: 1,0  / 1,0
	No século XVIII surge na França a teoria econômica fisiocrática, proposta originariamente pelo médico Quesnay. A Fisiocracia criticava o mercantilismo colbertista e sustentava que a origem da riqueza nacional se encontrava no setor...
		
	
	comercial.
	 
	agrícola.
	
	industrial.
	
	extrativista.
	
	financeiro.
	
	
	 4a Questão (Ref.: 201301854294)
	Pontos: 0,5  / 0,5
	Leia o fragmento sobre o modo de produção e responda:  o que desta questão relata a passagem de um modo de produção para outro?
(...) O Mestre sapateiro curtia o couro dos animais, cortava,tingia,construía as fôrmas de madeira para a fabricação dos sapatos, costurava-os, pregava os solados, fazia o acabamento e, ainda, os vendia em seu estabelecimento. É claro que este era um processo lento, e um número reduzido de pares de sapatos era produzido. Com o desenvolvimento do comércio, no entanto, uma nascente classe de comerciantes começou a ter pressa. Quanto mais sapatos vendidos, mais lucro. Os comerciantes passaram então a contratar fabricantes de sapatos e reuni-los em galpões onde pudessem fiscalizar a produção e cobrar a agilidade necessária. Ao fazerem isso, começaram a entender o processo de fabricação do sapato e perceberam que seria possível agilizar a produção se as tarefas fossem divididas entre os trabalhadores. Cada um faria apenas uma etapa, pois seria bem mais ágil apenas cortar o couro, ou apenas costurar, repetidas vezes, em vez todos realizarem todas as etapas e passarem de uma tarefa para outra. E seria bem mais simples, também, que os novos trabalhadores que iam sendo contratados tivessem que aprender o processo todo. (...) (RODRIGUES, p.38, 2011)
Marque a opção que descreve esta passagem, respectivamente:
		
	
	Feudal para o escravista
	
	Escravista para o primitivo
	
	Primitivo para o feudal
	 
	Feudal para o capitalista
	
	Capitalista para o feudal
	
	
	 5a Questão (Ref.: 201301841947)
	Pontos: 0,5  / 0,5
	A Ciência Econômica, em seus estudos, visa entender a atividade produtiva, ou seja, como as sociedades organizadas utilizam os seus recursos materiais e humanos para produzir e distribuir bens e serviços, que atendam às necessidades de seus indivíduos. É uma Ciência Social, pois trata de problemas ligados ao comportamento humano. E, ao mesmo tempo, diferencia-se das demais Ciências Humanas por empregar métodos e ferramentas próprias das ciências exatas, como a Estatística e a Matemática. Modernamente, de acordo com os objetivos teóricos, ou práticos, a economia se divide em inúmeras áreas: economia privada, pura, coletiva, social, nacional, internacional, agrícola, indústrial etc. A história da evolução do pensamento econômico pode ser dividida em períodos, nos quais predominavam certos axiomas ou paradigmas definidos por quais correntes:
		
	
	Ricardiana, Smithiniana, Keynesiana e Malthusiana.
	 
	Mercantilista, Fisiocrática, Clássica, Marxista, Neoclássica e Keynesiana.
	
	Liberal, Socialista, Capitalista, Comunista e Smithiniana.
	
	Bulionista, Feudalista, Escravista e Industrialista
	
	Feudalista, Modernista, Anarquista, Marxista e Totalitarista.
	
	
	 6a Questão (Ref.: 201301841948)
	Pontos: 0,0  / 0,5
	(UFPI) Na transição do feudalismo para o capitalismo, tivemos:
		
	 
	a transformação de uma sociedade de classes, com grande mobilidade vertical, para uma sociedade estamental com fraca mobilidade vertical e posições sociais determinadas pelo poder econômico.
	
	a passagem de uma sociedade de classes para uma sociedade de castas fundada no pensamento liberal.
	 
	a transformação de uma sociedade estamental, com fraca mobilidade vertical e posições sociais pela origem de nascimento, para uma sociedade de classes com grande mobilidade vertical e posições sociais determinadas pelo poder econômico.
	
	a desorganização de uma sociedade patriarcal, com grande mobilidade vertical, para uma sociedade estamental com fraca mobilidade social.
	
	a mudança de uma sociedade de castas para uma sociedade estamental, onde a mobilidade social era definida pela tradição familiar.
	
	
	 7a Questão (Ref.: 201301854272)
	Pontos: 1,0  / 1,0
	 
Marque a opção, que se refere a teoria da economia que acreditava que a economia seguiria o caminho do pleno emprego, sendo o desemprego uma situação temporária que desapareceria graças à força do mercado.
		
	
	Neoliberalismo
	
	Liberalismo
	 
	Keynesianismo
	
	Maxismo
	
	Socialismo
	
	
	 8a Questão (Ref.: 201301848750)
	Pontos: 1,0  / 1,0
	Sobre as relações entre capital e trabalho no capitalismo contemporâneo não é correto afirmar:
		
	
	Diminuição da classe operária (desproletarização).
	
	Desespecialização do operário industrial oriundo do fordismo.
	
	Subproletariazação do trabalhador expressa num novo tipo de contrato: o trabalho terceirizado
	 
	Especialização de toda a classe trabalhadora e ampliação dos postos de trabalho.
	
	Retração do setor secundário e aumento do nível de empregos no setor terciário.
	
	
	 9a Questão (Ref.: 201301842249)
	Pontos: 1,0  / 1,0
	Segundo a teoria da acumulação do capital de Marx, não basta que o capital se apodere do processo de trabalho, e apenas alongue sua duração. O capital tem de ... "revolucionar as condições técnicas e sociais do processo de trabalho, portanto o próprio modo de produção, a fim de aumentar a força produtiva do trabalho, [e] mediante o aumento da força produtiva do trabalho reduzir o valor da força de trabalho e, assim, encurtar parte da jornada de trabalho necessária para a reprodução deste valor."(MARX, Karl. O Capital. SP: Abril Cultural. 1984, p. 251). Na passagem acima, Marx identifica uma das características centrais do modo de produção capitalista. 
Marque a opção correta:
		
	
	Redução progressiva na taxa de lucro, decorrente da modificação contínua dos processos produtivos.
	
	Elevação constante da mais-valia absoluta decorrente do prolongamento da jornada de trabalho.
	
	Redução progressiva da importância da mais-valia relativa devido à introdução de máquinas.
	
	Tendência à pauperização absoluta da classe trabalhadora por efeito da introdução de progresso técnico.
	 
	Redução do tempo de trabalho socialmente necessário para a produção, através da introdução de progresso técnico.
	
	
	 10a Questão (Ref.: 201301845177)
	Pontos: 1,0  / 1,0
	O conceito de mais-valia desenvolvido por Karl Marx significa:
		
	
	a mais