RESUMO PARA AV2
34 pág.

RESUMO PARA AV2


DisciplinaDireito Empresarial III1.094 materiais16.355 seguidores
Pré-visualização10 páginas
apresentação ao sacado da letra emitida à vista.
f) assinatura do sacador \u2013 Saque. Pode ser por punho próprio ou por mandatário dotado de poderes especiais.
Requisitos supríveis
 a) local da emissão \u2013 serve apenas para aplicar a legislação aplicável àquele título. Pode ser suprido pelo local do endereço do sacador. Exige-se um ou outro, se não a letra será nula.
b) local de pagamento - se não tiver no local do endereço do sacado, também nula se não houver nenhum local.
c) vencimento \u2013 se não houver prazo, deverá ser paga à vista (LUG . Art. 2º, 2). É o único requisito dispensável.
Título em branco
Os requisitos não necessariamente deverão estar na emissão, mas sim, no pagamento. Mas em todo caso presume-se que os elementos foram preenchidos na época de criação do título. O credor no preenchimento deverá agir dentro do combinado expresso ou tacitamente (súmula 387 do STF). Mas presume-se a boa fé do credor.
Declaração cambiária
São outras declarações de vontade que vem a auxiliar a declaração principal \u2013 intenção de assumir a obrigação pelo pagamento do título (aceite), transferir o título (endosso), garantir o pagamento desse título (aval). O saque é a declaração originária.
AULA 05 \u2013 ACEITE
	A vontade do sacador não é suficiente para tornar a obrigação do sacado de pagar o título. Se o sacado manifestar sua vontade, assinando expressamente o título de crédito ficar também responsável pela cobrança do documento, só existe nas letras de câmbio e nas duplicatas, e não no cheque e na promissória.
 	É sempre facultativo e representa ato formal segundo o qual o sacado se obriga a efetuar, no vencimento, o pagamento da ordem que lhe é dada.
	O aceite é uma declaração cambiária sucessiva e acessória, mas não é essencial.
Forma
Não há forma, a simples assinatura no verso ou no anverso do título já produz aceite, desde que tenha uma expressão como aceitação, aceitante ou de acordo. Pode ser feito fora do título. O aceitante pode se arrepender, desde que risque o aceite, ou seja, sua assinatura. Mas se ele comunicou a terceiros que iria aceitar fica obrigado em caso de terceiros de boa fé.
Data do aceite
Não precisa de data. Mas para as letras a certo termo de vista é fundamental para início do prazo de vencimento.
Apresentação para aceite
Cartularidade e incorporação o título deve ser apresentado ao sacado, no vencimento, para que este efetue o pagamento. Como o aceite é facultativo a sua apresentação também o é.
Quando o título for a certo termo de vista, o prazo para o vencimento só começa a correr do dia do visto ou da dia do aceite, por isso a apresentação será obrigatória. O prazo para a apresentação do aceite será de um ano após a emissão do título, o sacador pode aumentar o diminuir esse prazo (art. 23 da LUG). Os eventuais endossantes só podem reduzir o prazo.
Títulos a vista e apresentação para aceite
A apresentação ao sacado já torna a obrigação exigível. Nesse momento deverá o sacado pagar ou não, então fica difícil pensar em aceite. A LUG diz que o protesto por falta de aceite deverá ser feito dentro do prazo para apresentação do aceite (art. 44).
Entrega e retenção do título
A apresentação do título ao sacado colocação material do título à sua disposição, mas não há obrigação de se deixar o título com ele (art. 24). Não há prazo caso deixe o título nas mãos do sacado para aceite, mas convenciona-se 24 horas para devolução do sacado.
O art. 885 do CPC diz que o juiz poderá ordenar a apreensão do título não restituído pelo sacado.
Efeitos do aceite
O sacado tem a opção de aceitar ou não da apresentação, e não poderá reter o título. Se assina não é nada se, assinar é considerado responsável pela obrigação. Independente da realização do protesto deverá ele responder. 
A prescrição da execução contra o aceitante tem um prazo de 3 anos do que contra os outros devedores (lug 70).
Falta e recusa do aceite
A recusa do aceite gera o vencimento antecipado do título (art. 43). Todos que assinaram responderão pelo valor do título. O beneficiário deverá provar a recusa do aceite, e na LUG (44) será o protesto em cartório próprio.
Aceite qualificado
Aceite alterando alguma das condições da ordem de pagamento.
Cláusula não aceitável
O sacador pode emitir a letra proibindo expressamente sua apresentação para o aceite antes do vencimento, por meio da chamada cláusula não aceitável (art. 22 da LUG), nesse caso, o beneficiário deveria apresentar a letra apenas para o pagamento.
É ótima para o sacador já que não haverá o vencimento antecipado se não houver o aceite. Não pode ser colocada na letra a certo termo da vista, porque o aceite é fundamental para o vencimento do título.
ENDOSSO
Da necessidade de circulação de riquezas. A transferência do título de crédito possui uma forma própria na legislação cambiária que é o endosso, sem prejuízo das formas tradicionais do direito das obrigações.
É uma declaração cambiária acessória que normalmente tem por objetivo e efeito a transmissão do título. Meio próprio de transferência da propriedade dos títulos de crédito e de todos os direitos inerentes a esse título. Se aperfeiçoa com a entrega do título.
Pressupostos: cláusula à ordem
É necessária a cláusula à ordem para que seja transferido. Ela é presumida na letra e na nota ( art. 11 da LUG), bem como o cheque (lei 7.357/85). Para que não seja transferido o título deve ser escrito no título a cláusula não à ordem. Se não houver o endosso a transferência poderá ser feita por cessão de crédito.
Forma
O beneficiário deverá manifestar a sua vontade no sentido dessa transferência. Pelo princípio da literalidade deverá o beneficiário declarar expressamente no título sua vontade. Não produzirá efeitos se for escrito fora do título. Assinatura do beneficiário no verso do título é suficiente, pode ser no anverso se houver alguma expressão (pague-se).
Endosso em preto e em branco
Em preto \u2013 o endosso indica a quem está sendo transferido o título, é indicado o endossatário. Se não nome do endossatário, endosso em branco, aqui o título embora não seja, pode circular como ao portador. Endosso parcial é nulo (art. 12)
Efeitos do endosso
Além de transferir o título, torna o endossante responsável pela aceitação e pagamento do título.
1 . transferência da propriedade do título \u2013 do endossante para o endossatário
2 . responsabilidade do endossante \u2013 títulos típicos o endossante responde, mesmo que indiretamente, se atípicos, art. 914, não responde pelo pagamento. Mas mesmo nos títulos típicos na cláusula do endosso pode haver uma limitação da responsabilidade do endossante.
	2.1. sem garantia \u2013 quando o endossante diz que não terá responsabilidade pelo aceite e pelo pagamento do título, deverá vir literal no título.
	2.2. proibição de novo endosso \ufffd\ufffd\ufffd poderá limitar o endossante a responsabilidade ao endossatário imediato. O Endossante garante o pagamento e o aceite, mas limita a quem irá fazer isso. Não impede o novo endosso, mas sim a responsabilidade do endossante a demais pessoas.
Endosso x cessão
Endosso é unilateral, a cessão é bilateral. Endosso é literal, a cessão pode ser realizada de qualquer modo. Só produz efeitos, a cessão, se notificada ao devedor. O endossante se torna dever indireto, na cessão o cedente não se obriga. Exceções pessoais pode na cessão e no endosso não.
Endosso póstumo
É aquele endosso feito após o protesto por falta de pagamento, ele não produz os efeitos do endosso, mas apenas efeitos de uma cessão ordinário de créditos \u2013 art. 20 da LUG.
Na letra e notas o prazo é de uma dia útil após o vencimento, nas duplicatas é de 30 dias após o vencimento, no cheque é o mesmo prazo da apresentação (30 dias se mesma praça, e 60 se praças diferentes).
Endosso impróprio
Endosso-mandato
Não visa a transferência da propriedade do título. É aquele em que o endossante da letra de câmbio transfere a outra pessoa o exercício