Economia - Apostila de Microeconomia
113 pág.

Economia - Apostila de Microeconomia


DisciplinaMicroeconomia I8.718 materiais217.843 seguidores
Pré-visualização24 páginas
sofrerá influência de variações do 
próprio preço do bem. Vamos então começar nossa análise: 
 
a) Efeito de variações no preço do próprio bem sobre a sua demanda 
Podemos representar a relação entre quantidades demandadas e preços dos bens da 
seguinte maneira: 
qx = f (px) 
Normalmente, teremos uma relação inversa entre o preço do bem e a quantidade 
demandada. Quando o preço do bem cai, este fica mais barato em relação a seus 
concorrentes e, dessa forma, os consumidores deverão aumentar seu desejo de comprá-
lo. 
Vejamos a seguir um exemplo numérico, que relaciona as quantidades demandadas de 
um certo produto com os preços deste mesmo produto. A tabela mostra a relação 
decrescente entre preços e quantidades, que pode ser também visualizada no gráfico 
correspondente: 
p q
0,10 98,00 
0,50 90,00 
0,75 85,00 
1,00 80,00 
1,25 75,00 
1,50 70,00 
1,75 65,00 
2,00 60,00 
2,25 55,00 
2,50 50,00 
-
0,50
1,00
1,50
2,00
2,50
3,00
40 50 60 70 80 90 100
p
q
Curva de Demanda
 
O gráfico mostra a curva de demanda. Neste exemplo, estamos usando uma curva 
\u201clinear\u201d, que é uma das muitas representações matemáticas possíveis da curva de 
Aulas on line 
 
 
www.cursoparaconcursos.com.br 
 
 MATERIAL 01 MICROECONOMIA 
PROFº CARLOS RAMOS 
 
 
 10 
demanda. Poderíamos também representar essa mesma curva de demanda através da 
equação abaixo: 
p = 5 \u2013 q/20 
Assim, a curva de demanda mostra a relação entre o preço do bem e a quantidade 
desse bem que o consumidor está disposto a adquirir durante certo período de tempo, 
tudo o mais permanecendo constante, ou seja, não variando o preço dos outros bens, a 
renda e o gosto do consumidor. 
Qualquer ponto da curva, no gráfico seguinte, nos mostra a combinação de preço e 
quantidade. Ao preço P1, a quantidade demandada será Q1. 
 
A curva de demanda nos dá o conjunto de todas as combinações possíveis entre preços e 
quantidades. Quando se fala em \u201cdemanda\u201d, estamos nos referindo à curva inteira, 
enquanto se denomina \u201cquantidade demandada\u201d um determinado ponto dessa mesma 
curva. 
 
b) Efeito de variações nos preços dos outros bens sobre a curva de demanda 
qx = f (py) 
A demanda por um bem \u201cx\u201d depende de py, ou seja, do preço de um outro bem \u201cy\u201d, tudo 
o mais constante. 
Para essa função não temos uma relação geral: o aumento do preço do bem \u201cy\u201d poderá 
aumentar ou reduzir a demanda do bem \u201cx\u201d. A reação depende do tipo de relação 
existente entre os dois bens. Os bens \u201cx\u201d e \u201cy\u201d podem ser substitutos (ou também 
chamados concorrentes) ou podem ser complementares. 
\u2022 Bens Substitutos ou Concorrentes 
Aulas on line 
 
 
www.cursoparaconcursos.com.br 
 
 MATERIAL 01 MICROECONOMIA 
PROFº CARLOS RAMOS 
 
 
 11 
Se o aumento do preço do bem \u201cy\u201d aumentar a demanda do bem \u201cx\u201d, os bens \u201cy\u201d e \u201cx\u201d 
serão chamados substitutos ou concorrentes. Eles guardam relação de 
substituição quanto ao seu consumo. Por exemplo, a manteiga e a margarina, o café e o 
chá, o açúcar e o adoçante, etc. 
Nessas condições, se o preço do bem \u201cy\u201d aumenta, podemos afirmar que, coeteris 
paribus, a quantidade demandada de \u201cx\u201d vai aumentar. Suponha que \u201cy\u201d seja a margarina 
e \u201cx\u201d seja a manteiga. Se o preço da margarina aumenta, muitos consumidores deixam de 
demandar margarina e passam a demandar a manteiga. 
Isto resulta num deslocamento de toda a curva de demanda do bem \u201cx\u201d (no nosso 
exemplo, a manteiga) para a direita, conforme ilustrado no gráfico abaixo: 
 
Ou seja, mesmo com o preço do bem \u201cx\u201d constante, em P1, haverá aumento na 
quantidade demandada de Q1 para Q2, pois muitos consumidores deixarão de demandar o 
bem \u201cy\u201d e passarão a demandar o bem \u201cx\u201d. Como isto se aplica a todos os demais pontos 
da curva de demanda, concluímos que toda a curva de desloca para a direita (pois todos 
os pontos se deslocam). 
O mesmo raciocínio nos leva à conclusão de que, quando o preço do bem \u201cy\u201d diminui, a 
curva de demanda do bem \u201cx\u201d se desloca para a esquerda. 
 
\u2022 Bens Complementares 
Se o aumento do preço do bem \u201cy\u201d provoca uma queda na demanda do bem \u201cx\u201d, eles 
são bens complementares. É o caso, por exemplo, do pão e da manteiga, do café e do 
leite, entre outros. Bens complementares são aqueles que, em geral, são consumidos 
conjuntamente. 
Nesse caso, o aumento do preço de um bem complementar \u201cy\u201d levará a um deslocamento 
da curva de demanda do bem \u201cx\u201d em sentido oposto ao caso apresentado anteriormente, 
em que existia relação de substituição entre os bens. 
Aulas on line 
 
 
www.cursoparaconcursos.com.br 
 
 MATERIAL 01 MICROECONOMIA 
PROFº CARLOS RAMOS 
 
 
 12 
Supondo que o preço do bem \u201cy\u201d, representado pelo pão, aumente, a quantidade 
demandada de pão vai diminuir. Assim, também vai diminuir a quantidade demandada do 
bem \u201cx\u201d, manteiga, pois os dois bens são complementares. 
Dessa forma, ao contrário do que vimos no exemplo anterior, o aumento do preço de 
um bem complementar provoca uma redução na quantidade demandada do bem em 
análise, provocando um deslocamento de toda a sua curva de demanda para a 
esquerda. 
Uma redução no preço do bem complementar faz com que a curva de demanda do 
bem em questão se desloque inteiramente para a direita. 
 
c) Efeitos da variação da renda do consumidor sobre a curva de demanda 
qx = f (R) 
Como regra geral, existe uma relação crescente e direta entre a renda e a demanda por 
um bem ou serviço. Quando a renda cresce, a demanda do bem deve aumentar. O 
indivíduo, ficando mais rico, vai desejar aumentar seu padrão de consumo e, portanto, 
demandar maiores quantidades de bens e serviços. É assim que se comportam os bens 
normais. 
Essa regra tem exceções. Em primeiro lugar, é possível que o indivíduo esteja totalmente 
satisfeito com o consumo de determinado bem e, portanto, não altere a quantidade 
demandada por unidade de tempo, quando sua renda aumentar. É o caso dos bens de 
consumo saciado. 
Outra exceção diz respeito aos chamados bens inferiores. Esses são bens cuja 
demanda se reduz quando a renda aumenta. Por exemplo: a demanda por carne de 
segunda se reduz quando o indivíduo aumenta seus ganhos, pois ele passará a demandar 
carne de primeira e não mais de segunda. 
A relação entre a renda e a demanda por determinado bem pode ser apresentada na 
forma de deslocamentos de toda a curva de demanda. 
Aulas on line 
 
 
www.cursoparaconcursos.com.br 
 
 MATERIAL 01 MICROECONOMIA 
PROFº CARLOS RAMOS 
 
 
 13 
 
Para os bens normais, um aumento de renda deslocará a curva de demanda para a 
direita, como mostra o gráfico acima. 
Para os bens inferiores, caso haja aumento da renda do consumidor, o deslocamento 
será para a esquerda, pois ele desejará menos tais bens. 
No caso dos bens de consumo saciado, a posição da curva de demanda não se altera, 
não há efeito algum provocado pelas variações da renda. 
 
 
d) Efeito das alterações nos gostos ou preferências pessoais do consumidor 
sobre a curva de demanda 
 
Fatores subjetivos podem levar o consumidor a desejar mais de um bem, 
independentemente do seu preço. Quando uma determinada peça de roupa entra na 
moda, por exemplo, sua demanda aumenta, mesmo que o preço não tenha sido alterado. 
Em termos gráficos, isto equivale a um deslocamento de toda a curva de demanda para a 
direita. 
Se, por outro lado, o consumidor deseja menos um produto, porque, por exemplo, 
descobre-se que ele tem algumas características indesejáveis, os gostos ou preferências 
se alteram no sentido de deslocar toda a curva de demanda para a esquerda. O mesmo 
pode ocorrer com uma
Fábio
Fábio fez um comentário
extraordinário
0 aprovações
Carregar mais