Economia - 06 - Teorias da Inflação
35 pág.

Economia - 06 - Teorias da Inflação


DisciplinaEconomia I32.373 materiais242.575 seguidores
Pré-visualização9 páginas
se aplica, 
pois de fato haverá aumento do consumo por parte dos indivíduos quando o Governo 
reduzir os impostos. 
Curso Intensivo Regular 
 
 
www.cursoparaconcursos.com.br 
MATERIAL 06 
 
ECONOMIA 
PROF. CARLOS RAMOS 
 
 28 
Questões de Concursos 
 
01. (ESAF) - Melhor caracteriza um estado de inflação de demanda: 
a) Excesso de demanda global em relação à oferta global. 
b) Desequilíbrio setorial entre oferta e demanda, associado à rigidez dos preços no 
sentido descendente. 
c) Ganância desenfreada dos empresários produtores e comerciantes. 
d) Alta administrada dos preços dos fatores de produção. 
e) Nenhuma das anteriores. 
 
02. (ESAF) - O conceito de inflação de demanda atribui a elevação contínua e generalizada 
dos preços a 
a) um excesso da oferta agregada sobre a demanda agregada ao nível de preços 
vigente. 
b) um excesso da demanda agregada sobre a oferta agregada ao nível de preços 
vigente. 
c) ma pressão dos proprietários dos fatores de produção em busca de remunerações 
mais elevadas, em termos reais, para esses mesmos fatores. 
d) uma queda do valor da moeda nacional devido à valorização da moeda estrangeira. 
e) Nenhuma das anteriores. 
 
03. (ESAF) - Dado o gráfico abaixo: 
 
 
a) Um aumento nos gastos do governo deslocaria para cima a curva de oferta agregada 
e provocaria inflação de demanda. 
b) Um aumento nos gastos do governo deslocaria para cima a curva de oferta agregada 
e provocaria inflação de custos. 
c) Um aumento nos gastos do governo, tudo o mais constante, provocaria inflação de 
demanda. 
d) Um aumento nos salários dos trabalhadores provocaria maior demanda efetiva e, 
daí, maior oferta agregada real (aumento do produto real). 
Curso Intensivo Regular 
 
 
www.cursoparaconcursos.com.br 
MATERIAL 06 
 
ECONOMIA 
PROF. CARLOS RAMOS 
 
 29 
e) Um aumento nas alíquotas do imposto de renda das pessoas físicas provocaria 
inflação de demanda. 
 
04. (ESAF) - Supondo que a economia se encontre a pleno-emprego, 
a) um aumento nos gastos do governo, tudo mais constante, provocaria aumento do 
produto real e redução do nível geral de preços. 
b) uma redução nos tributos, tudo mais constante, levaria a uma redução no produto 
real da economia. 
c) uma expansão dos meios de pagamento, tudo mais constante, provocaria inflação de 
oferta. 
d) um aumento nos níveis de investimento, tudo mais constante, provocaria inflação de 
oferta. 
e) um aumento nos níveis de investimento, tudo mais constante, provocaria inflação de 
demanda. 
 
05. (ESAF) - A Curva de Phillips originalmente descreve uma relação inversa entre 
a) o nível geral de preços e o estoque de moeda da economia. 
b) a taxa de crescimento dos salários e o nível de desemprego. 
c) a taxa de câmbio e o volume de reservas cambiais. 
d) a taxa de juros e o volume de investimentos. 
e) as alíquotas dos impostos e o nível de arrecadação dos impostos. 
 
06. (ESAF) - Inflação inercial é aquela alimentada por 
a) expectativas de aceleração inflacionária. 
b) pressões por aumentos de salários. 
c) excesso de emissão de moeda. 
d) déficits públicos. 
e) mecanismos de indexação. 
 
07. (ESAF) - A finalidade de se adotar um imposto progressivo em períodos inflacionários é 
a) exercer um controle automático sobre a demanda, fazendo com que a receita 
tributária diminua mais rapidamente do que a renda nacional. 
b) aumentar o crescimento da renda pessoal disponível. 
c) atenuar o ritmo de queda na atividade econômica. 
d) aumentar o crescimento na demanda e na renda do setor privado. 
e) exercer um controle automático sobre a demanda, fazendo com que a receita 
tributária cresça mais rapidamente do que a renda nacional. 
 
08. (ESAF) - Em relação ao conceito de inflação, pode-se afirmar que 
a) a inflação de demanda pode ocorrer quando há uma redução nas taxas de juros numa 
situação na qual a economia encontra-se muito próxima do pleno emprego. 
b) se um país A possui um nível geral de preços maior do que um país B, então a inflação em A 
é maior do que a inflação em B. 
c) a inflação de custos só ocorre com a economia operando abaixo do nível de pleno emprego. 
Curso Intensivo Regular 
 
 
www.cursoparaconcursos.com.br 
MATERIAL 06 
 
ECONOMIA 
PROF. CARLOS RAMOS 
 
 30 
d) não existe a possibilidade de ocorrência de inflação de custos numa economia aberta. 
e) se não existe indexação na economia, então não existe a possibilidade de ocorrência de 
inflação. 
09. (ESAF) - Acerca dos choques de oferta, pode-se afirmar que numa economia 
a) sem indexação, choques de oferta não têm efeito sobre a inflação. 
b) caracterizada por inflação puramente inercial, um choque de oferta não altera o patamar 
inflacionário. 
c) caracterizada por inflação puramente inercial, um choque de oferta causa uma aceleração da 
inflação. 
d) caracterizada por inflação puramente inercial, um choque de oferta só tem efeito sobre o 
patamar da inflação se tal choque for considerado permanente. 
e) caracterizada por inflação puramente inercial, um choque de oferta eleva o patamar 
inflacionário num primeiro momento, mantendo a inércia no momento seguinte. 
 
10. (ESAF) - No longo prazo, em uma economia sem crescimento do produto, o imposto 
inflacionário é obtido 
a) pela taxa de juros nominal multiplicada pelo estoque de meios de pagamento. 
b) pela taxa de inflação multiplicada pelo estoque real de moeda. 
c) pela base monetária multiplicada pela taxa de inflação. 
d) pela taxa esperada de inflação multiplicada pelos meios de pagamento. 
e) pelo estoque real de moeda multiplicado pela taxa de juros real. 
 
11. (ESAF) - De acordo com a "Curva de Phillips" de curto prazo, para um dado estado de 
expectativa dos agentes econômicos e na ausência de choques de oferta, uma redução da 
taxa de inflação deverá ser acompanhada por uma 
a) elevação da taxa real de juros. 
b) elevação da taxa de emprego. 
c) elevação da taxa nominal de juros. 
d) redução dos salários reais. 
e) elevação da taxa de desemprego. 
 
12. (ESAF) \u2013 A curva de Phillips se desloca para cima sempre que: 
a) a inflação aumenta; 
b) a inflação cai; 
c) o desemprego aumenta; 
d) o desemprego cai; 
e) ocorre um choque adverso de oferta. 
 
13. (ESAF) \u2013 O chamado \u201cimposto inflacionário\u201d incide sobre: 
a) O estoque de ações negociadas na Bolsa de Valores; 
Curso Intensivo Regular 
 
 
www.cursoparaconcursos.com.br 
MATERIAL 06 
 
ECONOMIA 
PROF. CARLOS RAMOS 
 
 31 
b) Os saldos monetários em poder do público; 
c) Os contratos de câmbio; 
d) Os contratos de salário; 
e) Os lucros das empresas. 
 
14. (ESAF-AFRF/2003) \u2013 Considere o seguinte gráfico: 
 
 
Este gráfico contém 
1- A denominada \u201crestrição orçamentária intertemporal\u201d de um consumidor num modelo de 
dois períodos, dada pela expressão: 
C1 + C2 / (1 + r) = Y1 + Y2 / (1 + r) 
Onde: 
\u2022 C1 = consumo no período 1; 
\u2022 C2 = consumo no período 2; 
\u2022 Y1 = renda no período 1; 
\u2022 Y2 = renda no período 2; e 
\u2022 r = taxa de juros, e 
 
2- Uma curva de indiferença que representa as preferências intertemporais do consumidor. 
Com base nessas informações e supondo que o consumidor esteja no equilíbrio E, é correto 
afirmar que: 
a) No equilíbrio \u201cE\u201d, C1 = Y1 e C2 = Y2. 
b) O consumo no primeiro período é menor do que a renda no primeiro período. 
c) O modelo sugere a existência de restrições de crédito no primeiro período. 
d) O consumidor é devedor no primeiro período. 
e) Alterações nas taxas de juros não provocam alterações nos consumos dos períodos 
1 e 2. 
Curso Intensivo Regular 
 
 
www.cursoparaconcursos.com.br 
MATERIAL 06 
 
ECONOMIA 
PROF. CARLOS RAMOS 
 
 32 
15. (ESAF \u2013 AFRF/2005) \u2013 Considere válida a seguinte restrição