Livro - Resoluções do CONAMA ( 1984 à 2012)
1127 pág.

Livro - Resoluções do CONAMA ( 1984 à 2012)


DisciplinaLegislação e Educação Ambiental1 materiais222 seguidores
Pré-visualização50 páginas
Este texto não substitui o publicado no DOU, de 3 de fevereiro de 1994.
RESOLUÇÃO CONAMA nº 1 de 1994BIOMAS \u2013 Estágios sucessionais da vegetação da Mata Atlântica
156 RESOLUÇÕES DO CONAMA
RESOLUÇÃO CONAMA nº 2, de 18 de março de 1994
Publicada no DOU no 59, de 28 de março de 1994, Seção 1, páginas 4513-4514
Correlações:
· Em atendimento ao art. 6o do Decreto no o, § 1o da Resolução CONAMA 
 no
procedimentos de licenciamento de exploração da vegetação 
nativa no Estado do Paraná.
AD 
REFERENDUM 
9o, do Decreto no
Art. 1o -
o
-
§ 1o 
a presença de 
b) 
-
-se ausentes. As 
-
Mimosa scabrella Vernonia discolor), aroeira 
(Schinus terebenthi folius), jacatirão (Tibouchina selowiana e Miconia circrescens
(Cecropia adenopus Mimosa bimucronata Bambusaa spp). 
o
b) as 
-
RESOLUÇÃO CONAMA nº 2 de 1994BIOMAS \u2013 Estágios sucessionais da vegetação da Mata Atlântica
157RESOLUÇÕES DO CONAMA 
Bi
om
as
Ilex theezans Piptocarpha angustifolia), canela 
guaica (Ocotea puberula), palmito (Euterpe edulis Schizolobium parayba), guaricica 
(Vochsia bifalcata), cedro ( Tabebuia cassinoides), etc. 
o
b) as 
Araucaria angustifolia), imbuia (Ocotea porosa -
tula (Peltophorum dubgium), ipê (Tabebuia alba), angico (Parapiptadenia rigida
(Ficus sp.). 
o
o -
o o do Decreto no
delimitações estabelecidas pelo Mapa de 
restingas. 
Art. 6o
RESOLUÇÃO CONAMA nº 2 de 1994BIOMAS \u2013 Estágios sucessionais da vegetação da Mata Atlântica
158 RESOLUÇÕES DO CONAMA
ANEXO36
PARÂMETROS DE CLASSIFICAÇÃO DOS 
ESTÁGIOS SUCESSIONAIS DA VEGETAÇÃO
PARÂMETROS INICIAL
SECUNDÁRIA
INTERMEDIÁRIA
AVANÇADA
No de estratos 1 1 a 2 2
No de espécies lenhosas 1 a 10 5 a 30 30
Área basal (m2/ha) 8 a 20 15 a 35 30
Altura das espécies lenhosas 
do dossel (m)
Até 10 8 a 17 30
Média de amplitude dos diâmetros - DAP 
(cm)
10 25 40
Distribuição diamétrica (cm) 5 a 15 10 a 40 20 a 60
Crescimento das árvores do dossel Rápido Moderado Lento
Vida média das árvores Curta Média Longa
Amplitude diamétrica Pequena Média Grande
Amplitude da altura Pequena Média Grande
Epífitas Raras Poucas Abundante
Lianas herbáceas Abundantes Poucas Raras
Lianas lenhosas Ausente Rara Presente
Gramíneas Abundantes Poucas Raras
Regeneração das árvores do dossel Ausente Pouca Intensa
Este texto não substitui o publicado no DOU, de 28 de março de 1994.
RESOLUÇÃO CONAMA nº 2 de 1994BIOMAS \u2013 Estágios sucessionais da vegetação da Mata Atlântica
159RESOLUÇÕES DO CONAMA 
Bi
om
as
RESOLUÇÃO CONAMA nº 4, de 4 de maio de 1994
Publicada no DOU no 114, de 17 de junho de 1994, Seção 1, páginas 8877-8878
Correlações:
· Em cumprimento ao art. 6o do Decreto no o, § 1o da Resolução CONAMA 
 no
o 
médio e avançado de regeneração da 
de orientar os procedimentos de licenciamento de atividades 
o o
o o 
o
artigo 6o do Decreto no o
Art. 1o -
suas características originais de estrutura e de 
o naturais 
causas 
o o do 
Decreto no
-
Pteridium aquilium -
 (Capim-gordura) e Andropogon bicornis (capim-andaime 
RESOLUÇÃO CONAMA nº 4 de 1994BIOMAS \u2013 Estágios sucessionais da vegetação da Mata Atlântica
160 RESOLUÇÕES DO CONAMA
Biden pilosa (picão-preto) e Solidago 
microglossa Baccharis elaeagnoides Baccharis dracunculifolia 
(Vassoura-braba), 
Pteridium aquilium Melines mi-
 (Capim-gordura), Andropogon bicornis (Capim-andaime ou Capim-rabo-de-burro), 
Biden pilosa Solidago microglossa Baccharis elaeagnoides 
(Vassoura), Baccharis dracunculifolia (Vassoura-braba), Senecio brasiliensis
Cortadelia sellowiana Solnum erianthum
Pteridium aquilium Melinis 
 (Capim-gordura), Andropogon bicornis (Capim-andaime ou Capim-rabo-de-bur-
ro), Solidago microglossa Baccharis elaeagnoides (Vassoura), Baccharis 
dracunculifolia (Vassoura-braba), Senecio brasiliensis Cortadelia sellowiana 
Solanum erianthum
-
Rapanea Ferruginea
m de altura, associada a Dodonea viscosa
Cupanea vernalis Schinus thereben-
thifolius Casearia silvestris
Inga marginata Baunilha candicans -
-
-
Miconia cinnamomifolia
RESOLUÇÃO CONAMA nº 4 de 1994BIOMAS \u2013 Estágios sucessionais da vegetação da Mata Atlântica
161RESOLUÇÕES DO CONAMA 
Bi
om
as
Psychotria longipes 
Cecropia adenopus -
Euterpe edulis (palmiteiro), Schizolobium parahiba 
Bathiza meridionalis Piptadenia gonoacantha
Hieronyma alchorneoides (licurana), Hieronyma alchorneoides (licurana) começa a substi-
tuir a Miconia cinnamomifolia Alchornea triplinervia 
Nectandra leucothyrsus (Canela-branca), Ocotea catharinensis (Canela-preta), 
Euterpe-edulis Talauma ovata Chrysophylum viride (Aguai) e As-
pidosperma olivaceum
Ocotea puberula (Canela guaica), Piptocarpa angustifolia 
(Vassourão-branco), Vernonia discolor (Vassourão-preto), Mimosa scabrella (
Ocotea puberula Alchornea triplinervia 
Parapiptadenia rigida Patagonula americana
Enterolobium contortisiliguum
o o e 
o desta Resolução, 
o -
o
determinar a não ocorrência de uma ou mais o
Art. 6o
Este texto não substitui o publicado no DOU, de 17 de junho de 1994.
RESOLUÇÃO CONAMA nº 4 de 1994BIOMAS \u2013 Estágios sucessionais da vegetação da Mata Atlântica
162 RESOLUÇÕES DO CONAMA
RESOLUÇÃO CONAMA nº 5, de 4 de maio de 1994
Publicada no DOU no 101, de 30 de maio de 1994, Seção 1, páginas 7912-7913
Correlações:
· Em cumprimento ao art. 6o do Decreto no o, § 1o da Resolução CONAMA no 
o
médio e avançado de regeneração da 
de orientar os procedimentos de licenciamento de atividades 
o o
o o 
o
artigo 6o. do Decreto no o
Art. 1o 
-
mente suas características originas de estrutura e de 
o naturais 
causas 
o o do 
Decreto no
-
restas 
-
Piper Scleria Pshychotria) (Palicourea
Clidemia) (Miconia) (Henriettea Tibouchina
corindiba (Trema Heliconia Telepteris Attalea
RESOLUÇÃO CONAMA nº 5 de 1994BIOMAS \u2013 Estágios sucessionais da vegetação da Mata Atlântica
163RESOLUÇÕES DO CONAMA 
Bi
om
as
Imperata Mimosa Vernonia Vismia). 
Solanum) (Cestrum -
Croton) (Jatropha) (Cnidoscolus Cnidoscolus
(Mimosa) (Piptadenia Anemopaegma) (Pyrostegia Serjania). 
esta-
-
estacional 
-
Protium Bowdichia Tabebuia
murici (Byrsonima Tapirira Virola Inga Joanne-
sia Pogonophora Didymopanax Simarouba
Luehea Dughetia) (Guatteria Heliocostylis) (Maclura)
cambuí, murta (Myrcia) Cupania Pera). 
Piptadenia) (Anadenanthera -
Enterolobium Senna Bauhinia Schinopsis) 
(Spondias Astronium Amburana Centrolobium
peroba (Aspidosperma Bumelia Tabebuia). 
-
-
e Licania) (Couepia Ocotea) (Nectandra
jundiba (Sloanea Buchenavia Parkia) (Strypho-
nodendron Brosimun) (Helicostylis Clarisia Carai-
pa Rheedia Lecythis Macrosamanea) (Inga
RESOLUÇÃO CONAMA nº 5 de 1994BIOMAS \u2013 Estágios sucessionais da vegetação da Mata Atlântica
164 RESOLUÇÕES DO CONAMA
maçaranduba, paraju (Manilkara Pouteria) (Chrysophillum
(Simarouba Apeiba Couma Bombax). 
Cavanillesia Pte-
rogyne Machaerium) (Dalbergia Pterocarpus -
-branca (Pterodon Aspidosperma Schynopsis Tabebuia
Cordia Goniorrachis Manilkara). 
o o 
o -
o -
Art. 6o
Este texto não substitui o publicado no DOU, de 30 de maio de 1994.
RESOLUÇÃO CONAMA nº 5 de 1994BIOMAS \u2013 Estágios sucessionais da vegetação da Mata Atlântica
165RESOLUÇÕES DO CONAMA 
Bi
om
as
RESOLUÇÃO CONAMA nº 6, de 4 de maio de 1994
Publicada no DOU no 101, de 30 de maio de 1994, Seção 1, páginas 7913-7914
Correlações:
· Em cumprimento ao art. 6o do Decreto no o, § 1o da Resolução CONAMA 
 no
-
lise de sucessão ecológica da Mata Atlântica no Estado do 
Rio de Janeiro.
o o
o o 
o
Considerando o disposto no § 1o, do artigo 1o -
Art. 1o
-
nais de estrutura e de 
o
§1o
c) as 
i) as 
alecrim-do-campo Baccharis dracunculifolia (Compositae Vernonia polyanthes 
(Compositae Lantana camara (Verbenaceae Urena lobata (Malvaceae), 
Crotalaria mucronata (Leguminosae Elephantopus mollis 
(Compositae) Solanum aculeatissimum (Solanaceae), jurubeba Solanum paniculatum 
(Solanaceae), pindoba Attalea humilis (Palmae Clidemia hirta (Melastomatace-
ae), sapê Imperata brasiliensis (Gramineae), samambaia-das-taperas Pteridium aquilinum 
(Polypodiaceae