PRÁTICAS TRABALHISTAS para estudo
89 pág.

PRÁTICAS TRABALHISTAS para estudo


DisciplinaProdutividade177 materiais346 seguidores
Pré-visualização89 páginas
PRÁTICAS TRABALHISTAS
GS T173 1_A1_ 2016 09 057 90 2_V1
Lupa
Cal c.
PPT
MP3
Al uno: CRISTINA APARECIDA V IEIRA G OMES
Matrícu l a: 20 16 09 057 90 2
Dis c.: PRÁT.TRABALHISTA
201 9.1 EAD ( G ) / EX
Pre zado ( a) Aluno( a),
V ocê f ará agora se u TESTE DE CONHECIMENTO! Le mbre- se que e ste e xe rcício é op ci onal,
mas não vale ponto para sua avali ão. O me smo se compo sto de que s tões de
múl ti pl a e scol ha.
Ap ós re sp onde cada qu es tão, você te ace ss o ao gabari to come ntado e /ou à ex pl i cação
da me sma. A provei te para se famili ari zar com e ste mode lo de qu es e s que se usado
na s ua AV e AV S .
1.
O contrato d e Me nor A pre n di z , o e mpre gador se compromete, ne ste con trato, a
asse gu rar ao adole sce nte /jove m, i n scri to em programa de apre ndi zagem, uma formação
cni co- pro fi s si onal me tódi ca, compatível com seu desenvol vi me nto f ísi co, moral e
psi col ógi co. Sobre e s te co ntrato, pode mo s af i rmar:
É cel eb rad o, taci tame nte , por um p razo máxi mo de 2 anos
É cel eb rad o, por escrito, p or um prazo máxi mo de 2 anos
É cel eb rad o, por escrito, p or um prazo nimo de 2 anos.
É cel eb rad o, taci tame nte , por um prazo máxi mo de 1 ano
É cel eb rad o, por escrito, p or um prazo máxi mo de 1 ano
Expli cão:
De acordo com a legi sl ação, o contrato de trabal ho do jove m apre nd i z de ve se r cel e brad o
por e scri to e por um prazo máxi mo de 2 anos.
2.
No que se re fere à rel ão de e mpre go n ão é corre to afi rmar:
Empre gado é que m e xerce ati vi dade de mane i ra even tual
Empre gador é que m admi te , assal aria e di ri ge a p res tação de serv i ços
Empre gador é que m assume os ri scos da ati vi d ade e con ômi ca
Empre gado é que m e xerce ati vi dade sob de pe ndênci a e conô mi ca
Empre gado é que m e xerce ati vi dade de mane i ra não e ve ntual
Expli cão:
Na re l ão de empre go não e xi ste o trabalho re al izado eve n tual me nte , portanto, a úni ca
al te rn ativa que não se pode af i rmar é : Emp re gado é que m exe rce ativ idade de maneira
e ve ntu al .
3.
Quanto ao trabalho d o me n or, pode mos dize r q ue :
Pode m se r contratados a parti r d os 14 anos.
Pode m se r contratados ape nas a parti r de 16 anos na condi ção de jo ve m
aprendi z.
Pode m se r contratados ape nas a parti r dos 16 anos na condi ção de jovem
aprendi z.
Pode m se r contratados a parti r d os 14 anos na condi ção de j ov em apre ndi z ou a
partir dos 16 anos de i dade como funcio nário normal .
Não pode m se r contratados e m hi te se ne nhuma me n ore s de 16 an os.
Expli cão:
A Consti tui ção Fe de ral , e m se u arti go 7º, i nciso XXXI II consi de ra me no r o trabal h ador de
16 ( d e zesseis) a 18 ( de zoi to) anos de i dade. Ao me nor de 16 anos de i dade é ved ado
qual que r trabal ho, salv o na condi ção de apre ndi z a parti r d e 14 anos. assi m, a úni ca
al te rn ativa corretá é: Pode m se r contratad os a parti r dos 14 anos na condi ção de jovem
apren di z ou a parti r dos 16 anos de idade como funci onári o normal.
4.
Em se tratando de Contrato d e Expe riên ci a n ão é correto af i rmar:
O prazo do Contrato de e x pe ri ênci a é de 90 ( nove nta) di as.
É um co ntrato de prazo ce rto.
A e mpre gada grávi da, ao rmi no normal do contrato de ex pe riê nci a, não p ode
se r de miti da.
Re spei tado o se u li mi te máxi mo, pode- se efe tuar até 02 (d uas) prorro gaçõe s
Na ce le bração d o Con trato de Ex pe riê n ci a, de ve f aze r as anotaçõe s na CTP S do
e mpre gado, menci on ando as condi çõe s do contrato de trabalho.
Expli cão:
No contrato de ex pe riê nci a n ão é pe rmi tid o f ormali z ar mai s que 1 ( uma) prorrogação,
portanto, e m se tratando de Contrato de Expe riên ci a n ão é correto af i rmar: Re speitado o
se u l i mi te máxi mo, pode- se ef e tuar até 02 ( duas) prorrogações. To das as de mai s
al te rn ativas são afi rmati v as corre tas.