Pesquisa em administração
50 pág.

Pesquisa em administração


DisciplinaPesquisa em Administração18 materiais112 seguidores
Pré-visualização50 páginas
suas relações com seus interlocutores.

Última dica: sempre que possível apresente novos olhares, rumos, revele interesses, expectativas

e perspectivas em relação ao curso, questões e temas que você gostaria de trabalhar ao longo do

curso, que pretende assumir, pois isto pode auxiliar o seu direcionamento profissional.

Seção 4.5

Artigo

Um artigo pode ser entendido como uma publicação ou parte de um trabalho maior,

completo em si mesmo, mas com dimensões reduzidas, entre 8 e 20 páginas. Köche (1997, p.

149) afirma que \u201co artigo é a apresentação sintética, em forma de relatório escrito, dos resul-

tados de investigações ou estudos realizados a respeito de uma questão.\u201d

EaD

103

PESQUISA EM A DMINI ST RAÇ ÃO

No entendimento de Canonice e Previdelli (2007, p. 29) o objetivo do artigo é divulgar

estudos e pesquisas no meio científico, visando ao crescimento e à evolução do conheci-

mento científico, técnico, artístico, cultural e social.

Salvador (1977, p. 24) apresenta cinco razões para a escrita de artigos científ icos. São

elas:

a) expor aspectos novos por nós descobertos, mediante o estudo e a pesquisa, a respei-

to de uma questão, ou de aspectos que julgamos terem sido tratados apenas superfi-

cialmente, ou soluções novas para questões conhecidas;

b) expor de uma maneira nova uma questão já antiga;

c) anunciar resultados de uma pesquisa, que será exposta futuramente em livro;

d) desenvolver aspectos secundários de uma questão que não tiveram o devido trata-

mento em livro já editado ou que será editado;

e) abordar assuntos controvertidos para os quais não houve tempo de preparar um

livro.

O artigo é um meio de atualização de informações e por isso, enquanto fonte de pes-

quisa, jamais pode ser ignorada por alunos e professores no processo de busca e aquisição

de conhecimentos.

Para a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), existem três tipos de artigos

em publicação periódica científ ica impressa (NBR 6022, 2003a):

\u2022 Artigo Científico: parte de uma publicação com autoria declarada, que apresenta e discute

idéias, métodos, técnicas, processos e resultados nas diversas áreas do conhecimento.

\u2022 Artigo de Revisão: quando resume, analisa e discute informações já publicadas. Geral-

mente são resultados de pesquisa bibliográfica.

\u2022 Artigo Original: parte de uma publicação que apresenta temas ou abordagens próprias.

EaD Eni se Bart h Teixeira \u2013 Luci ano Z amb er la n \u2013 Pedro C ar los Rasia

104

Para a publicação de um artigo científico é necessário observar as recomendações

fixadas pela ABNT, a qual estabelece um sistema para a apresentação dos elementos que

constituem o artigo em publicação periódica científica impressa.

4.5.1 \u2013 A ESTRUTURA DOS ARTIGOS

A partir dos aspectos já destacados é possível apresentar as principais partes da estru-

tura básica e os elementos que as compõem. No Quadro 1 é apresentada esta estrutura e

comentário para cada elemento.

Quadro 1: Estrutura e elementos de artigo

Fonte: Construção a partir das normas da ABNT NBR 6022 (2003a), 6023 (2002a), 6028 (2003b).

ESTRUTURA ELEMENTOS

Pré-textuais

Título, que expresse o conteúdo e que seja original, e subtítulo (se houver) diferenciado
tipograficamente ou separados por dois-pontos (:).
Autoria: indicar o(s) nome(s) do(s) autor(es) e endereço eletrônico. Na nota de rodapé deve constar
a formação e atuação profissional do(s) autor(es).
Resumo: parágrafo contendo campo de estudo, objetivo, método, resultado e conclusões alcançadas.
Sua extensão dever ter entre 100 e 250 palavras (ABNT NBR 6028, 2003b).
Palavras-chave: termos escolhidos para indicar o conteúdo do artigo (até cinco), separados entre si
por ponto. Resumo e palavras-chave em inglês são exigidos em alguns periódicos.
Data de entrega dos originais.
Data de aceitação do artigo.

Textuais

Introdução: apresenta o campo e delimitação do estudo, o(s) objetivo(s), a justificativa e a
organização do texto.
Desenvolvimento:
\u2013 Referencial teórico-conceitual: deve representar a base de sustentação do estudo e deve refletir o
estado-da-arte do conhecimento na área.
\u2013 Metodologia: deve expressar tipo e método da pesquisa, técnicas de coleta e análise dos dados.
\u2013 Apresentação e análise dos tesultados: ocupa-se com a descrição, análise e interpretação dos
dados do estudo. Além da forma narrativa é sempre importante intercalar recursos ilustrativos,
consideradas elementos de apoio ao texto: notas, citações, quadros, tabelas, gráficos, figuras e outros
tipos de ilustrações. Orientações para sua preparação e inserção estão nas unidades explicitadas na
seção 9.2.1 e na Unidade 11.
\u2013 Considerações finais: sintetiza os resultados obtidos com relação aos objetivos do estudo e
destaca a reflexão conclusiva do(s) autor(es). As considerações devem ser claras e concisas e indicar
implicações do trabalho para a teoria e/ou para a prática administrativa. Podem ser acrescidas
sugestões para novas pesquisas e sugestões práticas para a organização do objeto do estudo e
extrapolações para outras realidades.
E/ou Conclusão: apresenta as conclusões correspondentes aos objetivos e hipóteses.

Pós-textuais

Notas: devem ser apresentadas no final do texto, numeradas seqüencialmente, antes das referências.
Referências: apresentação das fontes citadas no corpo do texto. Os elementos descritivos para sua
identificação deverão ser apresentados em ordem alfabética e de acordo com as normas da ABNT
NBR 6023 (2002a).
Glossário: vocabulário com significado de termos ou expressões relevantes a determinada
especializada técnica, científica, etc.
Apêndice(s): texto ou documentos elaborado pelo autor que complementa o artigo.
Anexo(s): texto ou documento não elaborado pelo autor e que serve de ilustração, comprovação ou
fundamentação.

EaD

105

PESQUISA EM A DMINI ST RAÇ ÃO

4.5.2 \u2013 FORMATAÇÃO

No decorrer da redação e/ou digitação do artigo Roesch (1996, p. 80) recomenda que o

ideal é se habituar a fazer certo já da primeira vez, apresentando um trabalho bem elabora-

do e com boa apresentação gráfica.

Os editores de publicações periódicas científicas impressas comumente estabelecem os

critérios de formatação. Mesmo assim são apresentadas orientações para padronização da

apresentação de um artigo.

\u2013 Folha: A4 ou letter;

\u2013 Editor de texto: Word for Windows 6.0 ou posterior;

\u2013 Margens: esquerda e superior de 3 cm; direita e inferior de 2 cm;

\u2013 Fonte: Times New Roman, tamanho 12.

\u2013 Parágrafo: espaçamento anterior: 0; posterior: 0; justificado.

\u2013 Espaçamento: todo o texto deve ser digitado com 1,5 de entrelinhas, exceto o resumo e

bibliografia, em que o espaçamento deverá ser simples.

\u2013 Paginação: todas as folhas do artigo devem ser contadas seqüencialmente e numeradas a

partir da primeira folha.

\u2013 Número de páginas: de 8 a 20, incluindo elementos pré-textuais; texto e pós-textuais.

É importante salientar que nem todas as revistas científicas seguem rigorosamente a

ordem dos elementos apresentadas neste texto. Alguns itens podem variar de acordo com as

necessidades e/ou exigências de cada conselho editorial. Independentemente disso, é impor-

tante que professores e alunos sintam-se motivados para publicar os resultados de suas

atividades científicas ou didáticas.

EaD Eni se Bart h Teixeira \u2013 Luci ano Z amb er la n \u2013 Pedro C ar los Rasia

106

Seção 4.6

Ensaio

Ensaios, numa perspectiva ampla, caracterizam-se como exercícios básicos de elabo-

ração de conhecimento científico. Podemos mencionar duas espécies de ensaio: o informal e

o formal. No ensaio informal é admissível a criação e a emoção, que caracterizam a produ-

ção literária. Já no ensaio formal devem estar presentes as características do texto acadêmi-

co e científico (objetividade e logicidade, por exemplo). O ensaio formal, escrito em primeira

pessoa, deve ser breve e sereno, problematizador e antidogmático, com espírito crítico e

originalidade.

Do ponto de vista científico,