A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
PROVA UNIDADE 2 DESENVOLVIMENTO HUMANO

Pré-visualização|Página 1 de 6

Pergun ta 1
0,25 em 0, 25 pontos
Leia as afirmaç õ es a s e guir, av ali e a v ali d ade das m es mas e s u as relaçõ es d e causal id ad e.
I. As c api t ani as h er edit ári as re pro duzi r am um a es tru tu ra de pod er s oc i al qu e t ev e como b as e
resquíc i os f eu dais , c uj a l ógi c a e r a de dom i n ação d e po ucos s obre m ui tos .
POR QUE
II. El as n ão r ep res e nt am um a div i s ão i gu al i ri a d as t er ras. O s m and at ários d as capit ani as
her edi tá rias er am i n di c ados p el a coro a d e Po rt ug al c om a i ntenç ão d e g er ar ri qu ezas p ar a a
met rópole.
Res posta
Seleci onada:
e.
As asserções I e II são p roposi çõe s verdadei ras, e a II é
uma justi ficativa co rreta da I. 
Res posta Correta:
e.
As asserções I e II o p roposi çõ es verdadei ra s, e a II é
uma justi ficativa co rreta da I. 
Feedback da resposta:
Voc ê ace rto u!
Pergun ta 2
0,25 em 0, 25 pontos
Leia o t ex to a baixo :
Em m eio à gl obali zaç ão econ ômi ca e à polí tic a n eol i be ral , a nov a or dem i n te rn aci o nal p ass o u a
te r c om o g ra ndes m arc as a di n am i zação pro du ti v a e um a c ad a vez mais p rofu nd a des i g ual d ad e
s oc i oeconômi ca. D e um l ado, l i d er and o o c a pi t ali s m o, estav am p ri nci palme nt e os paí s es dos tr ês
pri nci p ai s bl oco s econô mi c os (Naft a, União Eu rop éia e bl oc o do Pac í fi c o), r eali zan do m ais d e
60% d e tod as as troc as c ome rci ais do plan et a. D e o utro, o m und o po br e, com pos to po r p aí s es
que, e m g er al , estã o s i tua dos no hemi s ri o s ul , v iv endo um rá pi do a grav am en to dos í n dic es
s oc i oeconômi co s , pro duzi ndo u m qu ad ro s oc i al alarm an te( p. 47 0).
Font e: V IC ENT INO , C.  Hi s tóri a G er al. São Pa ul o: Sc i p i one, 1 99 7.  
Cons i de ra ndo o q ue estu dou n a dis c i pli na, a nal i s e as as s e rções a baix o s obr e a q uest ão s oc i al
frent e à di s t ribui ção de re nd a, an al i s e as ass erç õ es ab aixo e as s i nal e a alt er na ti v a co r re ta:
I. A l ógi c a polí tic o - ec onômi c a do n eol i ber ali s mo po de s er cons i d er ad a he g emônic a de nt re os
paí s es c api tal i s tas .
  POI S
II. A s oc i eda de não é homo ne a, uma v ez qu e n em to dos est ão n a mesm a c ondiç ã o de dis put a
s oc i al pela aq uis i ç ão de b ens d e c onsum o e se rv i ço s .
a.

As ass erções I e II s ão p roposi ç ões v e rda dei ras , e a II r el ac i on a-se c om a
I.     
a.
As ass erções I e II s ão p roposi ç ões v e rda dei ras , e a II r el ac i on a-se c om a
I.     
Feedback da resposta:
Voc ê ace rto u!
Pergun ta 3
0,25 em 0,25 ponto s
No proc ess o de gl ob ali zação dos proc ess o s prod utiv os , as tec nol ogi as f o ram des e nv ol v i das pa ra
pro pic i a r um aum en to e xpon enci al na p ro d ução e um a mel ho ra na q ual i da de dos pro du tos . No
ent an to, ess a real i dad e i mpac tou de fo rma dire ta a m ã o de o br a op er ária, u ma v ez que m enos
tr abal h ado res s ão nec ess ári o s no p ro ces s o d e p rod uç ão. T e ndo e m v i s ta ess a q uest ão d o
i mpacto c ausa do p el o us o da tec n o l ogia n a r eal i d ad e de v i d a dos t ra balh ado res, m a rqu e V p ar a
as afi rm ações v er da dei r as e F pa ra as af i rm ações fals as.
( ) O s trab alha dor es dis pe ns ados p el as i nd ús tri as que im pl eme nt am nov as tec nol ogias
auto ma tiz ad as s ão, em ge ral , tr ei n ados p ara r eto rn ar em ao m erc ado de tr abal h o.
( ) Ao i nserir uma nov a t ecnol o gi a no proc es s o pro duti v o, a tec n o l ogia ant eri o r t en de a s e
tor na r obso l et a, to rn and o -se o bs ol eto tam b ém o c on heci me nt o ope rac i o nal .
( ) O s trab alha dor es dis pe ns ados p or f al ta de d ema nd a p ar a s ua m ão d e ob ra n ão te rão a
re al idad e eco nômi ca d e s uas fa l i as i m pac ta da, um a v ez q ue eles pr ov eem d a c l ass e m édi a da
s oc i edad e.
( ) Q uand o uma i ndús tri a de gr an de po rte s e ins er e no m erc a do c onco rr en do c om ind ús tri as de
peq ue no e m édi o po rt e, a t en nci a é q ue est as úl ti mas n ão s upo rt em a co nc or nci a e acab em
por dim i n ui r o q uad ro d e fu nci o ri os .
( ) Em g er al, os tra bal h ado res q ue es tão fo ra do me rc a do d e t rab al ho po r mui to t empo e n ão
poss uem q ual i f i cação ac ab am po r ac eita r em pr ego s c om co ndiç ões d esfavo r áveis e b ai xos
s alári o s , ou v ão p ar a a info rmal i d ad e.
Ago ra, ass i nale a alt e rna tiv a q ue mos t ra a s eq nci a cor re ta de afirmaçõ es v er da dei r as e f al s as.
Res posta Sel ecionada:
a.
F, V, F, V, V.

Res posta Correta:
a.
F, V, F, V, V.
Feedback da resposta:
Voc ê ace rto u!
Pergun ta 4
0,25 em 0, 25 pontos
Leia as afirmaç õ es a s e guir, av ali e a v ali d ade das m es mas e s u as rel açõ es d e caus ali d ad e.
I. A glo bal i zaç ão é u m fe nôm e no es s e nci al men te econômi c o, i nterf e ri ndo no qu ad ro fi na nceiro
dos gr an des c e nt ros ur ba nos , s em tr ans fo rma r a o rg ani z ação s oc i al.
POR QUE
II. A glob ali zação s e v i ncul a ap en as ao p roces s o p rod utiv o e n ão ge ra i nflu ênc i as n o
pro cess o i de o l ógic o-cul t ur al .
Res posta Sel ecionada:
d.
As asse rções I e II são p roposi ções falsas.
Res posta Correta:
d.
As asse rções I e II são p roposi ções falsas.
Feedback da resposta:
Voc ê ace rto u!
Pergun ta 5
0 em 0,25 pontos
Sob re o n eo l i be ral i s mo e o “ Es ta do mí nim o”, l ei a o t ex to a baixo :
Cump ri nd o a nov a l ógic a do c api t al i s mo glo bal i za do, ga nho u e norm e i nt ens i d ad e a v e nd a de
emp resas es ta tais po r to dos os paí s es , as pri v a ti zaçõ es, ampl i an do os esp aços eco nômi co s
emp resa ri ai s e t amb ém a s u bor di naç ão dos Esta dos mi ni mi zados à l ó gi ca do m erc ado
i nte rn aci onali za do. O Estado nim o e nv ol v eu ain da a r ed ução dos gas t os públ i c os co m s aúd e,
educ aç ão, p revi d ênci a s oc i al e ou tr as pol í ticas s o ci ais , si gni fi cando, p ara os país es
dese nv ol vi dos , a des mon ta gem do Es tad o de bem -es t ar s o ci al e pa ra os p aí s es de pe nd en tes ,
chama dos de em d es e nv ol v i mento”, o a gr av am en to g er al do qu ad ro s o ci al (p. 46 5).
Font e: V IC ENT INO , C. Hi s tóri a Ge ral . S ão P aul o: Sci pio n e, 199 7.
D i ant e de s eus co nh eci men tos t eórico s , an al i s e as as s e rç ões a baixo :
I. Pol í ti c as de gov e rno q ue s e pa ut am p el as nec ess i dad es pro du ti v as das g ra nd es em pr esas
s urgi r am a pós a R ev ol ução I nd ustri al , c omo o l ibe ral i s m o.
NO E NTAN TO
II. A t eo ri a do l iber al i s m o econômi c o d efe nd e qu e o Es tado, en qua nto en te pol ític o, não d ev e
i nte rfe rir n as r el aç ões eco nômi cas. Ao Es ta do c ab e p rot eg er a pos s e pri v ad a e c ri a r l eis que
re gul em as rel açõ es eco nômi c as.
A respe i to dessas asserções, assi nale a opção cor reta:
Res posta
Seleci onada:
d.
A asserção I é uma p roposi çã o fa lsa , e a II é uma
proposi ção verdadei ra.