Empreendedorismo-Paulo-Sertek-pdf
244 pág.

Empreendedorismo-Paulo-Sertek-pdf


DisciplinaEmpreendedorismo38.708 materiais500.482 seguidores
Pré-visualização50 páginas
de oportunidades mediante pesquisa 
em cada uma das células, de modo a alavancar a utilidade para o 
cliente ao longo dos estágios do ciclo da experiência de compra.
SínteSe
Neste capítulo, abordamos algumas das fórmulas para identificar 
as oportunidades de negócio, explicamos sobre a identificação 
das necessidades potenciais e a necessidade de se obter informa-
ções por meio dos clientes atuais. No caso de produtos ou ser-
viços desconhecidos da clientela, devemos ter prudência, isto é, 
não devemos nos questionar sobre a utilização do produto ou do 
serviço recém-inventado, mas sim propor sobre a oportunidade, 
a conveniência ou a produtividade que o produto ou serviço pode 
representar para o cliente. 
Outra fórmula geradora de ideias é a de prestar atenção as coi-
sas que não vão bem \u2013 observar deficiências. Aspectos de insatis-
fação dos clientes são oportunidades de inovação muito grandes 
porque as deficiências ocorrem desde a funcionalidade do pro-
duto até o seu descarte. As deficiências dificultam cada uma das 
etapas do ciclo de uso de produtos e são fontes de inovações e po-
sicionamentos dos negócios. Também consiste em fórmula para 
identificar oportunidades, observar as tendências afetadas por 
três possíveis circunstâncias: as ameaças externas, as mudanças 
ambientais (ambiente externo à empresa e não apenas as questões 
de meio ambiente) e a necessidade de respostas rápidas às solici-
tações ou necessidades dos consumidores.
Ne
nh
um
a p
ar
te 
de
sta
 pu
bli
ca
çã
o p
od
er
á s
er
 re
pr
od
uz
ida
 po
r q
ua
lqu
er
 m
eio
 ou
 fo
rm
a s
em
 a 
pr
év
ia 
au
tor
iza
çã
o d
a E
dit
or
a I
bp
ex
. A
 vi
ola
çã
o d
os
 di
re
ito
s a
uto
ra
is 
é c
rim
e e
sta
be
lec
ido
 na
 Le
i n
º 9
.61
0/1
99
8 e
 pu
nid
o p
elo
 ar
t. 1
84
 do
 C
ód
igo
 P
en
al.
143
Alguns métodos podem ser empregados para a formulação 
de conceitos de negócios, tais como a matriz de planejamento, o 
benchmarking, o exame das fronteiras de mercado e a pesquisa 
elaborando o mapa de utilidade para o comprador.
Explicamos que o benchmarking pode condicionar o empreen-
dedor a somente analisar as características dos produtos e servi-
ços dos seus concorrentes do seu setor ou indústria e adotar solu-
ções para equiparar-se a eles, o que pode gerar a luta do \u201coferecer 
mais por menos ou pelo mesmo\u201d. Por isso é importante aplicar 
outros instrumentos a fim de buscar o não consumo, isto é, os 
clientes potenciais que consomem no setor atual esporadicamen-
te e que poderiam ser novos consumidores ao se adequar os atri-
butos do produto/negócio.
O exame das fronteiras de mercado e a elaboração do mapa 
da utilidade para o comprador são ferramentas empregadas na 
Estratégia do Oceano Azul, propostas por Kim e Mauborgne 
(2005) e a experiência mostra como forma de \u201cabrir a cabeça\u201d.
QueStõeS pArA reViSão
1. Como identificar necessidades do mercado?
2. Como observar deficiências e gerar oportunidades?
3. As mudanças ambientais acabam sendo oportunidades de 
crescimento, pois desenvolvem a capacidade de resolver pro-
blemas ou de se antecipar às necessidades, ou, ainda, abrir 
novos campos de atividade. Sendo assim, como observar 
tendências e gerar oportunidades?
Ne
nh
um
a p
ar
te 
de
sta
 pu
bli
ca
çã
o p
od
er
á s
er
 re
pr
od
uz
ida
 po
r q
ua
lqu
er
 m
eio
 ou
 fo
rm
a s
em
 a 
pr
év
ia 
au
tor
iza
çã
o d
a E
dit
or
a I
bp
ex
. A
 vi
ola
çã
o d
os
 di
re
ito
s a
uto
ra
is 
é c
rim
e e
sta
be
lec
ido
 na
 Le
i n
º 9
.61
0/1
99
8 e
 pu
nid
o p
elo
 ar
t. 1
84
 do
 C
ód
igo
 P
en
al.
144
a) Observando as novas tecnologias. 
b) Observando os novos conhecimentos. 
c) Observando os novos materiais.
d) Observando as exigências do mercado ou dos clientes.
e) Todas as alternativas anteriores estão corretas.
4. O que é benchmarking?
a) É o desenvolvimento dos recursos humanos.
b) É desenvolvimento de tecnologia de informação.
c) É trabalhar fazendo alianças.
d) É comparar-se com os principais competidores.
e) É implantar processos de qualidade.
5. O que é procurar outras aplicações de um mesmo conceito?
a) Fazer sempre o mesmo.
b) Fazer o mesmo um pouco melhor.
c) Deixar o cliente pedir mudanças.
d) Ir à frente e surpreender os clientes.
e) Nenhuma das alternativas anteriores está correta.
QueStão pArA A refLexão
Leia o artigo indicado a seguir. Após a leitura, investigue em seu 
bairro ou em outro local se há oportunidades de negócios. 
DORNELAS, J. Como identificar oportunidades de negócios na 
sua região. 2006. Disponível em: <http://www.josedornelas.com.
br/artigos/como-identificar-oportunidades-de-negocios-na-sua- 
regiao/>. Acesso em: 20 set. 2010.
Ne
nh
um
a p
ar
te 
de
sta
 pu
bli
ca
çã
o p
od
er
á s
er
 re
pr
od
uz
ida
 po
r q
ua
lqu
er
 m
eio
 ou
 fo
rm
a s
em
 a 
pr
év
ia 
au
tor
iza
çã
o d
a E
dit
or
a I
bp
ex
. A
 vi
ola
çã
o d
os
 di
re
ito
s a
uto
ra
is 
é c
rim
e e
sta
be
lec
ido
 na
 Le
i n
º 9
.61
0/1
99
8 e
 pu
nid
o p
elo
 ar
t. 1
84
 do
 C
ód
igo
 P
en
al.
Ne
nh
um
a p
ar
te 
de
sta
 pu
bli
ca
çã
o p
od
er
á s
er
 re
pr
od
uz
ida
 po
r q
ua
lqu
er
 m
eio
 ou
 fo
rm
a s
em
 a 
pr
év
ia 
au
tor
iza
çã
o d
a E
dit
or
a I
bp
ex
. A
 vi
ola
çã
o d
os
 di
re
ito
s a
uto
ra
is 
é c
rim
e e
sta
be
lec
ido
 na
 Le
i n
º 9
.61
0/1
99
8 e
 pu
nid
o p
elo
 ar
t. 1
84
 do
 C
ód
igo
 P
en
al.
Conteúdos do capítulo
 » Conceitos do negócio;
 » Riscos.
Após o estudo deste capítulo, você será capaz de:
1. avaliar o melhor conceito para gerar valor aos clientes;
2. identificar os riscos do negócio;
3. reduzir riscos.
fAtoreS A Serem 
ConSiderAdoS nA 
eSCoLhA do produto/
SerViço: primeirA pArte
Ne
nh
um
a p
ar
te 
de
sta
 pu
bli
ca
çã
o p
od
er
á s
er
 re
pr
od
uz
ida
 po
r q
ua
lqu
er
 m
eio
 ou
 fo
rm
a s
em
 a 
pr
év
ia 
au
tor
iza
çã
o d
a E
dit
or
a I
bp
ex
. A
 vi
ola
çã
o d
os
 di
re
ito
s a
uto
ra
is 
é c
rim
e e
sta
be
lec
ido
 na
 Le
i n
º 9
.61
0/1
99
8 e
 pu
nid
o p
elo
 ar
t. 1
84
 do
 C
ód
igo
 P
en
al.
Neste capítulo, trataremos da consolidação do conceito do negó-
cio, isto é, quais são as suas características ou atributos que defi-
nirão a sua proposta de valor para o cliente. Em parte, os concei-
tos são gerados tal como vimos no capítulo 6, no qual indicamos 
os aspectos necessários para identificar as oportunidades de ne-
gócio, de modo aberto, como quem busca ideias sem verificar os 
riscos envolvidos. No entanto, há fatores que devem ser conside-
rados na escolha do produto/serviço.
Indicamos, logo a seguir, um esquema para orientar o desen-
volvimento do plano de negócios.
Neste esquema, mostrado na Figura 7.1, inspirado em Degen 
(1989), emprega-se a imagem do curto-circuito criativo, com-
posto de três fases. A primeira fase, denominada identificar a 
 oportunidade do negócio, inclui as ações: identificar oportuni-
dades (1) e coleta de informações (2). O fluxo segue para a se-
gunda fase, que
Alexandro
Alexandro fez um comentário
Bom dia Paulo, por favor poderia me enviar o livro em pdf. obrigado
1 aprovações
Jefferson
Jefferson fez um comentário
Oi Tem como enviar por email ? Vc tem esse livro?? Desde ja agradeco
1 aprovações
Carregar mais