ANUAL_ESPECIAL_27_10_D_Ambiental_substituicao
5 pág.

ANUAL_ESPECIAL_27_10_D_Ambiental_substituicao


DisciplinaDireito Ambiental13.262 materiais42.470 seguidores
Pré-visualização2 páginas
- O Poder Público, com a colaboração da comunidade, promoverá e 
protegerá o patrimônio cultural brasileiro, por meio de inventários, registros, 
vigilância, tombamento e desapropriação, e de outras formas de acautelamento e 
preservação. 
c. Promoção: o tombamento pode ser feito por ato do executivo, legislativo ou pelo 
judiciário: 
 
i. Por ato do executivo: 
 
1. No âmbito federal \u2013 o tombamento é promovido pelo IPHAN (órgão 
federal); 
 
2. No âmbito Estadual \u2013 o tombamento é promovido pelo Conselho de 
Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico 
do estado de São Paulo (CONDEPHAAT); 
 
 
 
 
 5 
3. No âmbito Municipal \u2013 o tombamento é promovido pelo Conselho de 
Preservação do Patrimônio Histórico da Cidade de São Paulo 
(CONPRESP). 
 
O tombamento pode ser promovido cumulativamente pelos três órgãos: IPHAN, 
CONDEPHAAT e CONPRESP. Sendo assim, qualquer alteração que se quiser fazer do bem 
tombado deve ser autorizada pelos três órgãos. 
 
b. Efeitos: decreto-lei 25/37 (art. 10, parágrafo único): o tombamento provisório se 
equipara ao tombamento definitivo. 
 
Tombamento provisório \u2013 é aquele que tem início com a notificação do proprietário do bem. Se o 
tombamento estiver sendo feito por ACP \u2013 tutela antecipada \u2013 o tombamento provisório se instaura 
com a Intimação da decisão. 
 
Tombamento definitivo \u2013 Quando for inscrito no livro do tombo 
 
Exceção: o tombamento provisório e o definitivo se equivalem, conforme determinação do artigo 10 
(Averbação na matrícula do imóvel). 
 
Atenção: No estado de São Paulo, por provimento da corregedoria geral de justiça, também o 
tombamento provisório será averbado. 
 
1º efeito: averbação na matrícula do imóvel (art. 13); 
2º efeito: Alienabilidade (arts. 11 e 22): 
 
Via de regra, bem público tombado não pode ser vendido para particular, somente pode ser 
vendido entre as unidades de poder. A venda a particular pode ocorrer somente na hipótese de 
desafetação. 
 
A alienação de bem particular tombado pode ser efetivada, desde que ofereça primeiramente 
à união, estados ou município. 
 
3º efeito: Modificação do bem tombado: tem que pedir ordem ao órgão que promoveu o 
tombamento. 
4º efeito: área envoltória (art. 18): é a área no entorno do imóvel que sofre restrição para garantir a 
visibilidade do bem. Neste sentido, não somente o imóvel tombado que sofre restrição, mas toda a 
área envoltória. 
 
5º efeito: Indenização: por se tratar de limitação administrativa, não há que se falar em indenização. 
No entanto, se houver o esvaziamento econômico do bem, o proprietário do imóvel poderá ser 
indenizado.