APOSTILA LUIS FL+üVIO GOMES
83 pág.

APOSTILA LUIS FL+üVIO GOMES


DisciplinaDireito Processual Penal I22.258 materiais192.494 seguidores
Pré-visualização24 páginas
estão ausentes os requisitos da prisão preventiva;
Art. 350, CPP - liberdade ao réu pobre que não pode pagar fiança.
Em qualquer destas hipóteses a liberdade e vinculada, porque o réu e liberado sob condições, ou seja, fica vinculado ao processo.
Recursos cabíveis:
Se o juiz defere a liberdade provisória e cabível o Recurso em Sentido Estrito;
Se o juiz indefere a liberdade provisória e cabível o Recurso em Sentido Estrito e Habeas Corpus;
Se o juiz relaxar o flagrante, e cabível o Recurso em Sentido Estrito;
Se o juiz não relaxar o flagrante, e cabível o Habeas Corpus.
Tema polemico - Cabe liberdade provisória nos crimes hediondos ?
Resp.: Não cabe por forca do Art. 2º da Lei 8.072/90.
Não cabe Liberdade Provisória sem Fiança nos crimes de:
Sonegação Fiscal; e
Crimes contra a Economia Popular.
Não confundir Liberdade Provisória com Fiança com Direito de Livrar-se Solto (Art. 321, CPP).
O réu tem o direito de livrar-se solto nas seguintes situações:
quando a infração não e punida com prisão;
quando a prisão não excede 3 meses.
São inconfundíveis os seguintes institutos:
Liberdade provisória sem fiança;
Direito de livrar-se solto;
Pedido de revogação de preventiva; e
Relaxamento da prisão.
O juiz relaxa a prisão quando ela e ilegal.
Liberdade Provisória Com Fiança
Fiança - e uma garantia real. Consiste num deposito. Este deposito pode ser em dinheiro, pedras preciosas ou títulos da divida publica. O deposito e feito em favor da União.
Pressuposto - um Estado coercitivo.
Compatibilidade - prisões que admitem fiança:
Prisão em Flagrante;
Prisão decorrente de pronuncia;
Prisão decorrente de sentença.
A prisão preventiva e a prisão temporária não admitem fiança.
A fiança e um direito subjetivo do réu desde que presentes todos os requisitos legais.
Finalidade - são duas:
assegurar a liberdade;
assegurar o pagamento de custas, multa e indenização.
Momento - a liberdade provisória com fiança pode ser concedida em qualquer momento, ate o transito em julgado.
Se o réu for afiançado e não quebrar a fiança, tem ele o direito de apelar em liberdade.
Fixação da Fiança - quem pode fixa-la ?
Autoridade policial - nos crimes punidos com detenção e prisão simples;
Juiz - em qualquer crime.
Se o delegado não fixar a fiança, deve-se requerer ao juiz. Se o juiz não a fixar, cabe habeas corpus contra o juiz.
O juiz não precisa ouvir o Ministério Publico para fixar a fiança.
Quando e cabível a fiança ?
O CP não diz quando e cabível, somente diz quando não e cabível. 
Infrações inafiançáveis
Hipóteses constitucionais
racismo;
tortura;
trafico de entorpecentes;
terrorismo;
crimes hediondos; e
ação de grupo armado contra o Estado Democrático.
Hipóteses legais
contravenção de aposta sobre corrida de cavalo;
crimes contra o sistema financeiro;
crimes contra a fauna;
vadiagem e mendicância;
crimes dolosos punidos com prisão, desde que reincidente;
crimes punidos com reclusão:
que cause clamor publico;
cometido com violência ou grave ameaça a pessoa;
cuja pena mínima seja superior a 2 anos. No caso de concurso material deve-se somar as penas mínimas. Sumula 81 do STJ.
Em todas estas hipóteses o juiz pode conceder liberdade provisória sem fiança.
Somente os crimes hediondos não admitem liberdade provisória de nenhuma espécie, tanto a com fiança quanto a sem fiança.
Situações de inafiançabilidade
réu vadio;
réu que quebrou fiança antes;
prisão civil;
prisão administrativa;
réu sob sursis ou livramento condicional, salvo em crime culposo; e
quando presentes os requisitos da prisão preventiva.
Valor da Fiança
Crime ate 2 anos - de R$ 40,00 a R$ 204,00
Crime ate 4 anos - de R$ 204,00 a R$ 819,00
Crime mais de 4 anos - de R$ 819,00 a R$ 4.099,00
O juiz pode:
diminuir ate 2/3;
multiplicar ate 10.
Critérios:
natureza da infração;
situação econômica do réu;
antecedentes, personalidade, etc do réu.
A fiança e definitiva. Não existe mais fiança provisória.
O juiz pode determinar reforço da fiança. Se o réu não reforçar, a fiança fica sem efeito e o réu e preso.
Obrigações do afiançado
comparecer a todos os atos processuais;
não mudar de residência sem ordem do juiz;
não ausentar-se por mais de 8 dias da residência.
Se o réu descumprir uma das obrigações, ocorre a quebra da fiança. Quando se quebra a fiança, perde-se metade do seu valor.
Perda da fiança
Ocorre quando o réu e condenado e não se apresenta a prisão.
Cassação da fiança
A fiança e cassada quando não era cabível.
CITACOES - INTIMACOES - NOTIFICACOES
Citação - e o ato pelo qual se da conhecimento ao réu de uma acusação.
Citar e informar, e dar conhecimento.
E uma garantia individual. E imprescindível. A falta de citação gera nulidade absoluta. E a única nulidade absoluta que pode convalescer, somente quando o réu comparece espontaneamente ao juiz, antes da instrução.
Principio da Unidade - no processo penal só existe uma citação. Não existe citação para a execução. Exceção: execução da pena de multa, onde o réu e citado.
Principio da Personalidade - o réu deve ser citado na sua pessoa. Exceção: citação por edital.
réu louco - cita-se na pessoa do curador;
réu menor de 21 anos - e citado normalmente.
Efeito da citação no processo penal - triangulariza a relação jurídica processual.
Modalidades de citação
Citação real - e a citação pessoal;
Citação ficta ou presumida - e a citação por edital.
Citação Pessoal - Formas
Por mandado do juízo processante - é feita quando o réu reside na comarca do processo.
Funcionário público - citação pessoal + comunicação ao chefe;
Militar - a citação e feita por intermédio do chefe;
Preso - e citado e requisitado.
Citação por precatória - é feita quando o réu mora fora da comarca.
Citação por carta de ordem - é uma ordem de citação que um juiz de Tribunal faz a um juiz comum.
Citação por rogatória - é feita quando o réu está no estrangeiro em lugar sabido. Não importa se o crime é afiançável ou inafiançável. Suspende a prescrição (Art. 368, CPP).
Réu citado no dia, pode ser interrogado nesse mesmo dia ?
Resp.: Se o réu pedir prazo para preparar a defesa, o juiz é obrigado a conceder. É um direito do réu.
Citação Ficta ou Presumida
É a citação feita por edital.
Hipóteses de cabimento:
réu não encontrado;
réu que se oculta para não ser citado;
réu que se encontra em lugar inacessível. Exemplo: inundação, guerra, etc.
quando o réu é pessoa incerta. Pessoa incerta é a pessoa não devidamente identificada e cujo o paradeiro é desconhecido, porém, fisicamente certa.
Requisitos (Art. 365, CPP):
Publicar o edital na imprensa;
Afixar-se uma via no fórum;
Nome do réu;
Data do interrogatório;
Dispositivo legal imputado (tipo penal).
Não é preciso transcrever a denúncia no edital. Súmula 366 do STF.
Réu preso pode ser citado por edital ?
Resp.: Se o réu estiver preso na mesma unidade da federação não pode ser citado por edital (Súmula 351 do STF). Se foi citado, esta citação é nula. Para se saber se o réu se encontra preso, requer-se informações à COESP.
Se o réu é citado por edital e não comparece e nem constitui advogado, suspende-se o processo (Lei 9.271/96).
Diferença entre notificação e intimação
Notificação - notifica-se uma pessoa para a prática de um ato futuro.
Intimação - intima-se uma pessoa de um ato passado, que já aconteceu. Intimar é dar ciência. 
Na praxe só se utiliza a intimação para os dois atos.
As notificações e as intimações são regidas, em geral, pelas mesmas regras das citações.
Peculiaridades
notificação de testemunha por edital - não é possível;
intimação do réu por edital - é possível. Ex.: o seu advogado constituído desiste do processo e o réu é intimado para constituir novo advogado;