AV Psicologia Geral I Questões
22 pág.

AV Psicologia Geral I Questões


DisciplinaPsicologia Geral I385 materiais2.492 seguidores
Pré-visualização6 páginas
violência, é muito importante, pois as pessoas estão especialmente vulneráveis aos seus efeitos e em especial este tipo que se caracteriza com sendo:
	
	
	
	
	
	violência verbal
	
	
	violência moral
	
	 
	violência física
	
	 
	violência institucional
	
	
	violência sexual
	
	
	
		5.
		A maneira de reagir frente à agressividade varia de sociedade e de cultura, pois cada uma tem as suas leis, valores, crenças, etc. Alguns comportamentos agressivos são tolerados, porém, outros são proibidos. Todo o ato que cause dano à integridade psíquica ou física de outrem pode ser considerado como um fator agressivo. Além disso, precisa ser levado em conta:
	
	
	
	
	
	que as diferenças sexuais no comportamento agressivo não são encontradas em todas as classes sociais, culturas e nem em todas as idades.
	
	
	que a agressividade pode variar de acordo com o crescimento do indivíduo e da sua idade, contudo, na realidade, existem respostas impróprias a cada idade.
	
	
	que tanto os fatores individuais, familiares e ambientais são de grande influência, mas não atingem todas as pessoas da mesma e sim submete todos à mesma situação de risco.
	
	 
	o contexto social, isto é, dentre os fatores que influenciam a agressividade, encontramos o meio ambiente e contexto social no qual a pessoa está inserida.
	
	
	que a pessoa agressiva sempre deve utilizar-se de forças e energias procurando apropriar-se de outra pessoa ou de um objeto.
	
	
		6.
		"É toda ação ou omissão que causa ou visa causar dano à autoestima, à identidade ou ao desenvolvimento da pessoa como, por exemplo a privação arbitrária da liberdade". A definição anterior refere-se ao seguinte tipo de violência:
	
	
	
	
	 
	violência psicológica
	
	
	violência física
	
	
	violência sexual
	
	
	violência financeira
	
	
	violência institucional
	
	
		1.
		A queixa de crianças sobre ansiedade, medo e confusão, fobias, insônia, pesadelos, auto-reprovação, sentimentos de inferioridade, fracasso, insegurança ou culpa, baixa auto-estima, comportamento auto-destrutivo, podem evidenciar estes comportamentos que são:
	
	
	
	
	
	sintomas físicos
	
	
	sintomas morais
	
	
	sintomas psicossomáticos
	
	
	alterações culturais
	
	 
	alterações psicológicas
	
	
		2.
		O diagnóstico de violência contra a criança ou o adolescente, muitas vezes, pode ser confundido com outras patologias orgânicas. É extremamente importante que todos os profissionais reúnam dados e evidências observadas, de acordo com suas competências, para a construção de uma história precisa sobre o evento. Onde podem ser buscadas mais informações sobre o núcleo familiar: I. Com o agressor. II. Na comunidade. III. Na escola. IV. Com os vizinhos.
	
	
	
	
	 
	I,II, III,IV estão corretas.
	
	
	I,II, III estão corretas.
	
	
	I,II estão corretas.
	
	 
	I,III,IV estão corretas.
	
	
	II, III, IV estão corretas.
	
	
		3.
		As pessoas têm a fantasia de que as mulheres em situação de violência são abordadas na madrugada, na balada, porque estavam se oferecendo. Isso não é verdade. Elas são abordadas, a qualquer momento, no período em que escurece ou logo no começo da manhã, no ponto de ônibus, indo ou voltando do trabalho ou da escola, em casa.... Estas mulheres vítimas de violência sexual apresentam manifestações clínicas como:
	
	
	
	
	
	desinformações sobre os recursos existentes na comunidade, grupos de auto ajuda e como prevenir novos episódios
	
	
	transtornos digestivos, como falta de apetite, náuseas, vômitos, cólicas e dores de estômago, perda de peso, dores de cabeça e dores musculares generalizadas, prazer sexual.
	
	 
	ansiedade, medo e confusão, fobias, insônia, pesadelos, auto reprovação, sentimentos de inferioridade, fracasso, insegurança ou culpa, baixa autoestima, comportamento autodestrutivo (uso de álcool e drogas), depressão, tentativas de suicídio e sua consumação.
	
	
	o contato sexual sendo a forma de amor familiar e crê que é bastante difícil a mulher falar sobre a violência, bem como não tem sido experiência das mulheres o crédito e o acolhimento diante dessa revelação.
	
	
	vergonha e fragilidade, mas não perdem o tabu de perguntar e ouvir com respeito, sem julgamento moral, o que elas querem contar
	
	
	
		4.
		É forte a concepção de que a mulher é uma propriedade e somente se legitima sob a presença de um determinado homem que autentique e se responsabilize por suas ações. Deve-se lembrar de que estas jovens mulheres são todas "sujeitos de direitos", segundo a Constituição Federal; estas mesmas mulheres também são portadoras de "direitos humanos", segundo diversos tratados e Convenções ratificadas pelo Brasil e, no caso das mulheres menores de idade, deve ser assegurada "prioridade absoluta", como preconiza:
	
	
	
	
	 
	o Estatuto da Criança e do Adolescente
	
	
	a Política Nacional de Enfrentamento à Violência contra a Mulher
	
	
	o Centro Latino-Americano de Estudos de Violência e Saúde
	
	
	o Pacto Nacional de Enfrentamento à Violência contra a Mulher
	
	
	o Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher
	
	
	
		5.
		A Assistente Social da comunidade ao chegar na casa de uma família, ouviu a queixa de que um dos filhos do casal, apresentava comportamento muito agressivo, hiperativo, temeroso, tendências auto destrutivas e ao isolamento, baixa autoestima, medo dos pais, fugas de casa. É papel da profissional investigar, documentar e avaliar a ocorrência de indícios de:
	
	
	
	
	
	violência da resistência
	
	 
	violência física
	
	 
	violência estrutural
	
	
	violência-saúde
	
	
	violência cultural
	
	
		6.
		A criança que apresenta padrão de crescimento deficiente, fadiga constante e pouca atenção, problemas físicos e necessidades não atendidas, vestimenta inadequada ao clima, dentre outros, sugere:
	
	
	
	
	
	violência psicológica
	
	
	violência sexual
	
	
	violência física
	
	
	omissão
	
	 
	negligência