RASTREABILIDADE BOVINA
44 pág.

RASTREABILIDADE BOVINA


DisciplinaBovinos151 materiais543 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Prof. Antônio Divino Jacob 
 M.Sc em Educação Agrícola 
 
 Segurança Microbiológica Segurança Química 
 Qualidade Nutricional 
 
 Aparência 
 Palatabilidade Qualidade da . Cor 
 . Maciez Carne . Textura 
 . Suculência . Marmoreio 
 . Flavor 
 
Características Tecnológicas Segurança Qualidade 
 . pH Sanitária Ética 
 . Capacidade de 
 retenção de 
 água 
 
 
 
Como assegurar a qualidade 
da carne? 
Rastreabilidade da carne 
 Recentes episódios na Europa (2001), como a crise 
provocada pela Encefalopatia Espongiforme Bovina 
(\u201cdoença da vaca louca\u201d) e pela febre aftosa, afetaram 
gravemente o comércio e reafirmaram a necessidade de 
melhorar os métodos para o rastreamento de animais 
vivos e seus derivados, especialmente quando são objetos 
de intercâmbios comerciais de âmbito internacional. 
 
\u25ba Brasil: Normativa N. 1 de 10 de janeiro de 2002 - 
alterada Normativa N. 21 de 02 de abril de 2004 
 
 
 
Episódios que influenciaram exigência 
de Rastreabilidade 
Focos de Aftosa 
Episódios que influenciaram exigência 
de Rastreabilidade: 
Bioterrorismo Encefalopatia Espongiforme 
 Bovina 
Visão do Brasil na Europa de acordo com o 
Jornal Irish Farmers Journal. 2001 
 
\uf0d8 A realidade a nível de propriedade é que o controle da Aftosa é 
totalmente inadequado, a rastreabilidade não existe, há degradação 
ambiental e a exploração social está disseminada 
 
\uf0d8 Os riscos para Europa das carnes importadas do Brasil são 
extremamente altos. 
 
\uf0d8 A União Européia não pode continuar ignorando os riscos que estão 
sendo expostos os produtores e consumidores europeus em termos de 
ausência de aftosa e de rastreabilidade. 
 
\uf0d8 Rastreabilidade certamente não é prática comum na grande maioria 
das propriedades. 
 
Rastreabilidade 
\uf0d8 Rastreabilidade é um sistema de controle de animais que permite sua 
identificação individual desde o nascimento até o abate, registrando 
todas as ocorrências relevantes ao longo de sua vida. 
 
\uf0d8 Rastreabilidade é a capacidade de traçar o histórico, a aplicação ou a 
localização de um item por meio de informações previamente 
registradas. 
 
\uf0d8 A rastreabilidade é parte da qualidade total e é a base de todos os 
programas de certificação, sendo o produtor o primeiro envolvido e o 
que demanda a adequada identificação dos animais, fazendo com que 
toda a cadeia produtiva da carne mantenha documentação que 
comprove a sua aplicação (NORMA ISSO 8402). 
 
Para que serve 
\uf0d8 A Rastreabilidade foi o meio encontrado para garantir a sanidade do 
produto (carne), pois com ela será capaz de identificar quando foi 
produzido e comercializado, tornando possível a busca desse produto 
em qualquer ponto de venda (recall). 
 
\uf0d8 Com esse procedimento podemos identificar todos os lotes produzidos 
em um determinado dia, tornando o processo mais seguro, sendo 
este um diferencial no produto oferecido e agregando valor a cadeia 
produtiva. 
 
\uf0d8 Capacidade de rastrear, ou seja, identificar a origem e acompanhar o 
trajeto dos animais. 
 
 
 
Justificativa 
\uf0d8 A Rastreabilidade existe para garantir ao consumidor um produto 
seguro e saudável, por meio do controle de todas as fases de 
produção, industrialização, transporte, distribuição e comercialização, 
possibilitando uma perfeita correlação entre o produto final e a 
matéria-prima que lhe deu origem. 
 
\uf0d8 Recentes episódios na Europa, como a crise provocada pela 
Encefalopatia Espongiforme Bovina (\u201cdoença da vaca louca\u201d) e pela 
febre aftosa, afetaram gravemente o comércio e reafirmaram a 
necessidade de melhorar os métodos para o rastreamento de animais 
vivos e seus derivados, especialmente quando são objetos de 
intercâmbios comerciais de âmbito internacional. 
 
Importância 
 Segundo sua aplicação: 
 
 - no país, 
 - na produção, 
 - no varejista, 
 - na indústria, 
 
\uf0d8 Importância: para a saúde pública e a proteção do consumidor; 
\uf0d8 Importância: no rastreamento de animais e produtos de origem animal, 
na epidemiologia; 
\uf0d8 Importância: na gestão da produção da carne bovina; 
\uf0d8 Importância: como fator fundamental na exportação de carnes. 
 
 
Objetivos 
 
\u25ba Identificar, registrar e monitorar individualmente todos os bovinos e 
bubalinos nascidos no Brasil ou Importados; 
 
\u25ba Identificar ações, medidas e procedimentos adotados para caracterizar 
a origem, o estado sanitário, a produção e a produtividade da pecuária 
nacional e a segurança dos alimentos provenientes dessa exploração 
econômica; 
 
\u25ba Permitir ter um histórico do produto desde o campo até o consumidor; 
 
\u25ba Permitir um gerenciamento da qualidade (APPCC, Boas Práticas de 
Produção, Boas Práticas de Fabricação). 
 
Finalidades 
\u25ba 1. Controlar o deslocamento de animais e seus produtos com o 
objetivo da sanidade animal; 
 
\u25ba 2. Gestionar os processos empresariais; 
 
\u25ba 3. Gestionar riscos em crises alimentares, permitindo a rápida retirada 
de produtos e determinar responsabilidades; 
 
\u25ba 4. Controlar a qualidade dos alimentos evitando práticas fraudulentas 
 
\u25ba 5. Garantir a segurança e a qualidade comercial do alimento 
Competência 
 
\u25ba Secretaria de Defesa Agropecuária (MAPA): responsável pela 
normalização, regulamentação, implementação, promoção e 
supervisão. 
 
 
\u25ba Entidades Certificadoras: Organizações governamentais ou privadas 
credenciadas - responsáveis pela certificação. 
Etapas da rastreabilidade 
1 - Processo de identificação dos animais: 
 
 Procedimento que utiliza a marcação permanente no corpo do 
animal ou aplicação de dispositivo interno ou externo, que permitam a 
identificação e o monitoramento individual dos animais 
Etapas da rastreabilidade 
2 - Documentos de Identificação Animal 
 
 Deve acompanhar o animal do nascimento até o abate ou morte 
acidental ou natural, registrando as movimentações ocorridas: 
 
\u25ba Número do animal no SISBOV; 
 
\u25ba Número do animal na certificadora; 
 
\u25ba País de origem; 
 
\u25ba Raça; 
 
\u25ba Sexo 
 
Etapas da rastreabilidade 
2 - Documentos de Identificação Animal 
 
\u25ba Propriedade de nascimento; 
 
\u25ba Município e Unidade Federativa da propriedade de nascimento e da 
propriedade de identificação; 
 
\u25ba Data de identificação do animal; 
 
\u25ba Logotipo da certificadora; 
 
\u25ba Logotipo do MAPA 
Método alternativo 
\u25ba SISBOV \u2013 Sistema Brasileiro de Identificação e Certificação de 
Animais de Origem Bovina e Bubalina 
 
\u25ba SISBOV - É um sistema é de adesão voluntária, permanecendo a 
obrigatoriedade de adesão para a comercialização para mercados que 
exijam a rastreabilidade nos moldes da Circular 41/2006 de 26/09/2006. 
(Instrução Normativa no 17, de 13 de julho de 2006). 
 
\u25ba SISBOV - É o conjunto de ações, medidas e procedimentos adotados 
para caracterizar a origem, o estado sanitário, a produção e a 
produtividade da pecuária nacional e a segurança dos alimentos 
provenientes dessa exploração econômica. 
 
 
Objetivos do SISBOV 
\u25ba Identificar, registrar e monitorar, individualmente, todos