Fundamentos de economia(Resumão)
58 pág.

Fundamentos de economia(Resumão)


DisciplinaEconomia I36.215 materiais276.933 seguidores
Pré-visualização23 páginas
(venda de produtos) com menor custo com 
fatores de produção. Mantendo a mesma quantidade 
de fatores de produção, um maior produto e, portanto, 
maior lucro, é obtido numa curva mais à esquerda. Do 
mesmo modo, mantendo o produto constante, é 
melhor que se tenha menor quantidade de fatores de 
produção para se obter maior lucro, o que é refletido 
na curva mais à esquerda. 
 52 
 
 
Escolha ótima da maximização do lucro 
 
A Escolha Ótima da Maximização do Lucro acontece quando a melhor combinação de insumo e 
produto se localiza sobre a mais alta linha isolucro. Ou seja, quando a função de produção tangencia a 
maior isolucro possível. 
 
Como a função de produção é fixa no 
curto prazo, uma maior isolucro (para a 
esquerda) é impossível e uma menor isolucro 
(para a direita) não é compensadora. Se, a longo 
prazo, há uma mudança na tecnologia, ocorre 
um ganho de produtividade, deslocando a curva 
de função de produção para a esquerda e 
permitindo uma isolucro maior, ou seja, mais à 
esquerda. 
 
 
 
 
Exercícios de fixação 
1) O que é isoquanta e o que é isocusto? Como se dá a escolha ótima da minimização de custo? 
Explique e ilustre. 
2) O que é a função de produção e o que é isolucro? Como se dá o ponto ótimo da maximização do 
lucro? Explique e ilustre. 
3) Como se calcula as produtividades média e marginal de um fator? Dê um exemplo de cada. 
4) Explique com suas palavras o que vem a ser a Lei dos Rendimentos Decrescentes. 
 
7.4 CUSTOS DE PRODUÇÃO 
 
 Paralelamente aos conceitos físicos estudados até então neste item, tem-se os conceitos 
econômicos, que nada mais são que as manifestações econômicas da produtividade física. 
 
Conceitos básicos 
 
 Considerando que a receita é tudo o que entra de recursos na empresa (vendas), custo é tudo o 
que sai (gastos) 12 e lucro tudo o que sobra (receita menos custo), temos, abaixo, os seguintes conceitos, 
mais elaborados: 
 
\u2022 Produção total (Q) \ufffd quantidade total produzida em determinado período. 
\u2022 Custos fixos totais (CFT) \ufffd parcela dos custos totais que independe da produção. São 
decorrentes dos gastos com fatores fixos de produção. Por exemplo: aluguéis, salários 
administrativos etc. Também são chamados de custos indiretos, em geral. 
\u2022 Custos variáveis totais (CVT) \ufffd parcela dos custos variáveis que depende da produção e, por 
isso, muda com a variação do volume de produção. Representam as despesas realizadas com os 
fatores variáveis de produção. Ex.: gastos com matérias-primas, folha de pagamento de salários 
diretos etc. Também são chamados de custos diretos, em geral. 
 
12 Em verdade, há diferenças de conceito entre gastos, custos, despesas e investimentos, não consideradas na Economia, 
mas, sim, na Gestão de Custos. 
 53 
\u2022 Custo total (CT = CFT + CVT) \ufffd custo fixo total + custo variável total. 
\u2022 Custo médio ou custo unitário (CMe = CT/Q) \ufffd custo total / quantidade produzida. O custo 
médio é o custo por unidade produzida. 
\u2022 Custo fixo médio ou custo fixo unitário (CFMe = CFT/Q) \ufffd custo fixo total / quantidade 
produzida. O custo fixo médio é o custo fixo por unidade produzida e, a curto prazo, é 
decrescente exponencialmente. 
\u2022 Custo variável médio ou custo variável unitário (CVMe = CVT/Q) \ufffd custo variável total / 
quantidade produzida. O custo variável médio é o custo variável por unidade produzida e tende 
a ser mais estável que o custo fixo médio. 
\u2022 Custo marginal (CMg = \u25b2CT/\u25b2Q) \ufffd variação do custo total / variação da quantidade 
produzida. É o custo do lote adicional. 
\u2022 Receita total (RT = P X Q) \ufffd somatório de preço x quantidade produzida/vendida. É o 
faturamento da empresa, o que entra de vendas. 
\u2022 Receita marginal (RMg = \u25b2RT/\u25b2Q) \ufffd variação da receita total / variação da quantidade 
produzida/vendida. Geralmente, coincide com o preço do produto. É a receita do lote adicional. 
\u2022 Lucro total (LT = RT \u2013 CT) \ufffd receita total \u2013 custo total. 
\u2022 Lucro médio ou lucro unitário (LMe = LT/Q) \ufffd lucro total / quantidade produzida/vendida. O 
lucro médio é o lucro por unidade produzida. 
\u2022 Lucro marginal (LMg = \u25b2LT/\u25b2Q ou LMg = RMg \u2013 CMg) \ufffd variação do lucro total / 
variação da quantidade produzida ou receita marginal \u2013 custo marginal. É o lucro do lote 
adicional produzido. 
 
Figura com exemplo envolvendo os conceitos marginais: 
Qo = 1000 e P = 2 Q1 = 1200 e P = 2 Q2 = 1200 e P = 2
RTo = 2000
CTo = 1500
LTo = 500
RMg = 400
CMg = 320
LMg = 80
RT1 = 2400
CTo = 1820
LTo = 580
RT1 = 2800
CTo = 2180
LTo = 620
RMg = 400
CMg = 360
LMg = 40
 
 
Exemplo 1: 
Q CFT CVT 
CT = 
CFT + 
CVT 
CFMe 
= 
CFT / 
Q 
CVMe 
= CVT 
/ Q 
CMe = 
CT/Q 
ou 
CFMe + 
CVMe 
CMg = 
\u25b2CT / 
\u25b2Q 
P 
RT = 
P x Q 
RMg = 
\u25b2 RT / 
\u25b2 Q 
LT = 
RT \u2013 
CT 
LMe = 
LT / Q 
LMg = 
RMg \u2013 
CMg 
ou \u25b2LT / 
\u25b2Q 
0 
1 
2 
3 
4 
5 
6 
7 
8 
9 
10 
11 
10,00 
10,00 
10,00 
10,00 
10,00 
10,00 
10,00 
10,00 
10,00 
10,00 
10,00 
10,00 
0 
5,00 
8,00 
10,00 
11,00 
13,00 
16,00 
20,00 
25,00 
31,00 
38,00 
46,00 
10,00 
15,00 
18,00 
20,00 
21,00 
23,00 
26,00 
30,00 
35,00 
41,00 
48,00 
56,00 
- 
10,00 
5,00 
3,33 
2,50 
2,00 
1,67 
1,43 
1,25 
1,11 
1,00 
0,91 
- 
5,00 
4,00 
3,33 
2,75 
2,60 
2,67 
2,86 
3,13 
3,44 
3,80 
4,18 
- 
15,00 
9,00 
6,67 
5,25 
4,60 
4,33 
4,28 
4,38 
4,56 
4,80 
5,09 
- 
5,00 
3,00 
2,00 
1,00 
2,00 
3,00 
4,00 
5,00 
6,00 
7,00 
8,00 
5,00 
5,00 
5,00 
5,00 
5,00 
5,00 
5,00 
5,00 
5,00 
5,00 
5,00 
5,00 
0,00 
5,00 
10,00 
15,00 
20,00 
25,00 
30,00 
35,00 
40,00 
45,00 
50,00 
55,00 
- 
5,00 
5,00 
5,00 
5,00 
5,00 
5,00 
5,00 
5,00 
5,00 
5,00 
5,00 
-10,00 
-10,00 
-8,00 
-5,00 
-1,00 
2,00 
4,00 
5,00 
5,00 
4,00 
2,00 
-1,00 
- 
-10,00 
-4,00 
-1,67 
-0,25 
0,40 
0,67 
0,71 
0,63 
0,44 
0,20 
-0,09 
- 
0,00 
2,00 
3,00 
4,00 
3,00 
2,00 
1,00 
0,00 
-1,00 
-2,00 
-3,00 
 
 Quando o lucro marginal for zero (e houver LT > 0), ou seja, quando RMg = CMg, aí será o 
ponto de maximização de produção (veja itens destacados na tabela acima). 
 
 
 
 54 
Equilíbrio geral da produção 
 
A Teoria Microeconômica (teoria neoclássica ou marginalista) parte da premissa de que as 
empresas têm como objetivo maior a maximização dos lucros, seja a curto ou a longo prazos. Os 
críticos a essa teoria defendem a ideia de que essa maximização não se adequa à realidade, o que 
tornaria a teoria neoclássica incapaz de fornecer instrumentos úteis à tomada de decisões econômicas. 
Porém, parte da teoria ainda subsiste. 
A empresa, desejando maximizar seus lucros, escolherá o nível de produção para qual a 
diferença positiva entre RT e CT seja a maior possível. A empresa maximizará seu lucro num nível de 
produção tal que a receita marginal da última unidade produzida seja igual ao custo marginal desta 
última unidade produzida (lucro marginal igual a zero), ou seja: RMg = CMg ou LMg = 0, o que 
equivale ao ponto B da Função de Produção. 
Se a RMg for maior que o CMg, a empresa terá interesse em aumentar a produção, porque cada 
unidade adicional fabricada aumenta seus lucros, já que sua receita marginal é maior que o custo 
marginal. Aumentando a produção, a tendência é, a cada unidade produzida, os custos crescerem, até 
atingir a igualdade. Se RMg for menor que o CMg, a empresa terá interesse em diminuir a produção, 
porque o inverso acontecerá. 
No exemplo, a maximização da produção se dará na quantidade 8, em que CMg = RMg (na 
quantidade 1, a empresa incorre em prejuízo, então não pode ser). Poder-se-ía pensar que a empresa 
tem dois pontos de lucro total máximo (7 e 8), mas a quantidade 8, além de obter o mesmo lucro da 
quantidade