A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
21 pág.
SEMIOLOGIA DAS LESÕES VESICOBOLHOSAS

Pré-visualização|Página 1 de 21

SEMIOLOGIA DAS LESÕES V ESI CO-BOLHOSA S E ULCERA TIVAS
1) LESÕES ULCERATIV AS
ÚLCERA TRA UMÁ TICA
ÚLCERA A FTOSA
RECORRENTE
QUEILITE A NGULAR
LIQUEN PLA NO BUCA L
CARA CTERÍSTICAS V IS UAIS
Hal o ve rmelho e m torno de
uma me mbrana amarel ada
Pe rda da di me nsão ve rti cal,
onde os fun gos se alojam
por se r quen te e úmido.
Lesõe s ave rme lhadas
i rri tadas, na comi s sura
l abi al .
Mai s acometi do: mucosa j ugal ,
l aterai s de l íngua e rebordo
alve ol ar.
Tipo de gengivi te de scamati va.
O FORMA BOLHA .
MA NI FESTAÇÕES CLÍN ICA S
Dor e i nf l amação.
Hi stori co de trauma l ocal
Se melhante a úl ce ra
traumáti ca.
AUTO IMUNE.
Divi di d a e m: 1) me nor-
me nos que 10mm, te m de 1
a 5 l e sões(não acomete
mucosa não que rati ni zada)
l ábi os, mu cosas, soalho de
l íngua. 2) mai or- mai or que
10mm, tem de 1 a 10 l e sões
( acome te mucosa
que rati ni zada e não).
3) he rpe ti forme-1 a 2 mm,
te m vári as j untas (mu cosa
não e que ratinizada)
Comum e m idosos .
AUTO IMUNE.
1) Reti cul ar- es tri ado, na
maio ri a das ve zes
bil ate ral . Não sente dor.
2) Eri te matos o/ atrófi co:
áre as ave rmel hadas, com
e rosão, dor, e pitélio
atróf i co difi culdade de
e nx e rgar o v.s.
3) Erosi vo- tem ul ce ração.
CONDUTA
Evi tar ali me ntos áci dos,
Reabili tar paciente.
Cance rizáve l. Deve-se faze r

cond imentados e al cóolicos
acompanhame nto.
TRA TA MENTO
Corticoste roi des tópi cos.
Mi conazol gel .
1) As si ntoti co, não tem
tratamen to ;
2) Si nto ti co : corti coi de
tópi co. Bi ópsi a é
i ndicada. Controle de 3
e m 3 meses ,
pri nci palmente se o
f orem le e s típ i cas.
DIAGNÓSTICO DIF ERENCIA L
CEC.
Reação li que noi de ; Leucopl asi a;
Lúsus eri te matoso; Le o
mosdis cada.