Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
65 pág.
3 Fisiologia do sistema digestório dos animais domésticos

Pré-visualização | Página 1 de 3

FISIOLOGIA DO SISTEMA DIGESTÓRIO DOS 
ANIMAIS DOMÉSTICOS 
UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA
CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS, AMBIENTAIS E BIOLÓGICAS
Introdução
• Digestão: considerações preliminares, preensão, mastigação 
e deglutição;
• Processos digestivos em ruminantes e não-ruminantes;
• Movimentos intestinais, absorção e excreção;
• Controle neuro-endócrino da digestão
Sistema digestório
Definição
O sistema digestivo (trato digestivo): consiste de um tubo
muscular revestido por mucosa, que é contínuo com a pele
externa na boca e no ânus. Suas principais funções são
preensão, mastigação, digestão, e absorção de alimentos, e
eliminação de sólidos resíduos. O sistema digestivo reduz os
nutrientes constituintes dos alimentos para compostos
moleculares que são pequenos o suficiente para serem
absorvidos e usado para energia e para a construção de
outros compostos para incorporação nos tecidos do corpo
(FRANDSON et al., 2005).
Sistema digestório
Considerações preliminares
• Para o metabolismo normal, as células do corpo de um animal
precisam das três principais classes de nutrientes:
(carboidratos, proteínas e lipídios)
• Como estes nutrientes seriam fornecidos?
Através do sangue em suas formas mais simples (monossacarídeos,
aminoácidos e ácidos graxos)
Os animais consomem alimentos que contêm esses nutrientes em
formas químicas e físicas mais complexas. É função do trato
gastrointestinal reduzir os alimentos consumidos a moléculas mais
simples e transferi-las para o sangue, de modo que elas possam ser
entregues às células para o metabolismo.
Sistema digestório
Considerações preliminares
• Desta maneira os alimentos sofrerão: Decomposição física 
(digestão mecânica) e decomposição química (digestão 
química);
• Além de monossacarídeos, aminoácidos e ácidos graxos, o
trato gastrointestinal deve absorver outros nutrientes
menores essenciais (por exemplo, sais, vitaminas), de modo
que estejam disponíveis para as células do corpo.
Sistema digestório
Considerações preliminares
• 1. Movimentação do alimento pelo trato gatrintestinal
• 2. Secreções de soluções digestivas (ex: ácido clorídrico) e 
digestão de alimentos (= quebra das macromoléculas);
• 3. Absorção de água, diversos eletrólitos e produtos da 
digestão;
• 4. Circulação de sangue através dos órgãos gastrointestinais 
para transporte das substâncias absorvidas;
• 5. Controle destas funções pelos sistemas nervoso e 
hormonal.
Sistema digestório
Funções do trato gastrointestinal e dos seus órgãos acessórios:
Considerações preliminares
• Aparelho digestivo está adaptado ao tipo de alimento, logo
precisa ser diferente para processar a digestão e absorção;
• Podemos distinguir animais monogástricos (herbívoros,
onívoros e carnívoros) e poligástricos (normalmente se
alimentam de vegetais);
Sistema digestório
Considerações preliminares
• Variações extremas encontradas no sistema digestivo dos
mamíferos:
Sistema digestório
Fo
n
te
: G
o
o
gl
e 
im
ag
en
s
Principais diferenças entre as espécies
• Carnívoros (presa x predador), digestão é principalmente
enzimática e mínima digestão microbiana;
• Herbívoros domesticos – principalmente digestão
microbiana
1. Poligástricos (ruminantes), como os bovinos, os ovinos e os
caprinos (fermentação pré-gástrica);
2. Com estômago simples, como os equinos (fermentação
pós-gástrica).
Sistema digestório
Principais diferenças entre as espécies
# Carnívoros
• Estrutura digestiva total é curta e simples (refeições 
ocasionais de rico teor energético, seguidas por período de 
escassez)
# Herbívoros domesticado
• Grande órgão de fermentação digestiva;
• Consumo de material vegetal (pobre em teor energético);
• Grande tempo gasto para se alimentar
Sistema digestório
Principais diferenças entre as espécies
# HERBÍVOROS
1. Fermentadores pós-gástrico:
• Alimento é movimentado rapidamente até o intestino
grosso;
• Digestão enzimática ocorre antes da fermentação
2. Fermentadores pré-gástricos:
• Alimento demora no pré-estômago;
• Fermentação antes da digestão enzimática
Sistema digestório
Principais diferenças entre as espécies
# Diferenças básicas entre os carnívoros e os herbívoros:
• Anatomia;
• Tempo gasto por dia com alimentação;
• Atividade das glândulas secretoras e da musculatura lisa;
• Substâncias digeridas, absorvidas e utilizadas
Sistema digestório
Dyce et al., 1996
A Cachorro
B Cavalo
C Bovino
1 Estômago
2 Intestino delgado
3 Ceco
4 Cólon ascendente
5 Cólon descendente
Anatomia comparada
Aspinall & Camppello, 2015
Anatomia comparada
esôfago
papo
proventrículo
moela
fígado
baço
ceco
cloaca
intestino
Ducto pancreático
Pâncreas
Ducto biliar
Anatomia comparada
Órgãos e Acessórios:
 Trato digestório incluem: boca, faringe, esôfago, 
estômago, intestino delgado, intestino grosso, reto e 
ânus;
 Órgãos digestório acessórios são os dentes, a 
língua, as glândulas salivares, o fígado, vesícula biliar e 
o pâncreas.
Ivan Pavlov (1849-1936) 
Condicionamento clássico (ou condicionamento
pavloviano ou condicionamento respondente): é
um processo que descreve a gênese e a
modificação de alguns comportamentos com base
nos efeitos do binômio estímulo-resposta sobre o
sistema nervoso central dos seres vivos.
Sistema digestório
Fo
n
te
::
 h
tt
p
s:
//
p
t.
w
ik
ip
ed
ia
.o
rg
/w
ik
i/
Fi
ch
ei
ro
:O
n
e_
o
f_
P
av
lo
v%
2
7
s_
d
o
gs
.jp
g
Durante suas pesquisas ele descobriu o
Reflexo condicionado, e fez descobertas
interessantes quanto ao fato de cães
salivarem mediante a diferentes
estímulos.
Ivan Pavlov (1849-1936) 
Sistema digestório
Fo
n
te
: h
tt
p
:/
/w
w
w
.m
as
se
y.
ac
.n
z/
~w
w
p
ap
aj
l/
ev
o
lu
ti
o
n
/a
ss
ig
n
2
/J
M
o
n
te
r/
P
av
lo
v.
h
tm
l
Sistema digestório
Reflexo condicionado 
Sistema digestório
Fo
n
te
::
 h
tt
p
s:
//
m
eu
sa
n
im
ai
s.
co
m
.b
r/
iv
an
-p
av
lo
v-
e-
o
-r
ef
o
rc
o
-p
o
si
ti
vo
-p
ar
a-
ca
es
/
Sistema digestório
Histologia
R
ee
ce
, 
W
.O
. (
2
0
0
9
)
Atividade elétrica do músculo liso
Guyton, A.C. and Hall, J.E. (2000)
Potencial de repouso
1. Ondas lentas
2. Potenciais em picos ou espículas 
CIC
Ondas lentas
Repouso
Espículas
Estimulação por:
1. Distenção;
2. Acetilcolina;
3. Parassimpáticos
Despolarização
Hiperpolarização
Estimulação por:
1. Norepinefrina;
2. Simpático.
Atividade elétrica do músculo liso
Guyton, A.C. and Hall, J.E. (2000)
Potencial de repouso
CIC
Ondas lentas
Repouso
Espículas
Estimulação por:
1. Distenção;
2. Acetilcolina;
3. Parassimpáticos
Despolarização
Hiperpolarização
Estimulação por:
1. Norepinefrina;
2. Simpático.
1. espontâneas, lentas e transitórias
2. transitórias mais rápidas
Atividade elétrica do músculo liso
Ondas lentas:
• Determina o ritmo das contrações;
• Mudanças lentas e ondulatórias no potencial de repouso e
suas intensidades variam entre 5 e 15 milivolts
• Atividade elétrica se origina de células do músculo liso
especializado, denominados células intersticial de Cajal (CIC)
• Potencial de membrana se iniciam na porção proximal do
duodeno e são propagadas aboralmente.
Atividade elétrica do músculo liso
Pontenciais em picos:
• Potencial de ação verdadeiro (contração);
• Ocorrem automaticamente quando o potencial de repouso
do músculo liso GI se torna mais positivo do que
Página123