Qual é a diferença entre medicamento magistral e oficinal
2 pág.

Qual é a diferença entre medicamento magistral e oficinal


DisciplinaFarmácia4.080 materiais9.613 seguidores
Pré-visualização1 página
Qual é a diferença entre medicamento magistral e oficinal?
Fórmulas magistrais \u2013 fórmula constante de uma prescrição que estabelece a composição, a forma farmacêutica e a posologia, preparado em farmácia de manipulação ou nos serviços farmacêuticos hospitalares segundo receita médica que especifica o paciente a quem o medicamento se destina.
Fórmulas oficinais \u2013 fórmulas constantes da farmacopeia brasileira ou de outros compêndios oficiais reconhecidos pelo Ministério da Saúde, destinado a ser dispensado diretamente aos pacientes assistidos por essa farmácia ou serviço.
Quais são os tipos de cápsulas que existem?
Cápsulas duras
O invólucro é constituído por duas partes cilíndricas abertas numa das extremidades, apresentando fundo hemisférico. As formulações para este tipo de invólucro englobam maioritariamente substâncias como gelatina, glicerina e água, assim como outros adjuvantes que melhoram as características tecnológicas e de conservação da preparação farmacêutica.
Este tipo de cápsulas podem conter uma ou mais substâncias activas, geralmente sólidas, pulverulentas ou granulosas. O conteúdo é veiculado com excipientes que conferem consistência e preenchem espaços - diluentes - e promovem o deslizamento do pó ou granulado nas paredes da cápsula - lubrificantes.
O enchimento de cápsulas duras à escala laboratorial ou em farmácias, onde em regra são produzidas pequenas quantidades, pode ser feito de forma manual ou semi-automática. A nível industrial as quantidades requeridas são superiores, sendo o enchimento feito de forma automática.
Cápsulas moles
Nestas cápsulas o invólucro é constituído pelos mesmos componentes básicos que são utilizados na produção das cápsulas duras, embora as proporções sejam diferentes. Apresentam maior quantidade relativa de glicerina, em detrimento da gelatina, o que confere maior flexibilidade à cápsula. O invólucro é mais espesso, e é formado, enchido e fechado durante um único ciclo de fabricação.
O conteúdo é líquido ou pastoso, e de natureza oleosa para evitar que o invólucro seja dissolvido.
Cápsulas gastrorresistentes
Destinam-se a resistir ao ataque do suco gástrico, de modo a que a libertação da substância activa ocorra no intestino delgado. São obtidas revestindo cápsulas duras ou moles com substâncias que não se degradam na acidez do estômago, sendo também comum encher as cápsulas com grânulos ou partículas já recobertas com essas substâncias enterossolúveis.
Estas preparações apresentam diversas vantagens para além de impedir a dissolução em meio ácido, tais como prevenir o efeito emético que de algumas substâncias activas e protecção da mucosa gástrica.
Cápsulas de libertação modificada
São cápsulas duras ou moles cujo conteúdo ou invólucro, ou ambos, foram alterados de forma a modificar a velocidade de libertação do fármaco ou local onde esta ocorre. Esta alteração consiste na adição de adjuvantes ou na modificação do método de preparação das cápsulas. 
Quais são as vantagens da forma farmacêutica em pó?
São formas farmacêuticas sólidas e secas constituídas por um ou mais componentes, que passaram por processos de pulverização e que apresentam a mesma tenuidade.
VANTAGENS 
Fácil deglutição, fácil dissolução e fácil absorção. 
DESVANTAGENS
Baixa uniformidade de doses, sabor mais realçado que outras F.F, baixa estabilidade 
química.