A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
162 pág.
Exercicios de Portugues - Verbo

Pré-visualização | Página 5 de 50

(radical é adi) – Pres.Indicativo: adio, adias, adia, adiamos, adiais, adiam VARIAR 
(radical é vari) - Pres.Indicativo: vario, varias, varia... 
Dessa mesma forma, conjugam-se os verbos ARRIAR, MAQUIAR, VICIAR. 
Por isso, nada de “VAREIA”, senão “VICEIA”!!! Como vimos, esses verbos são REGULARES. 
Mas, então, por que será que tanta gente se engana? Porque ocorre uma “contaminação” com 
os verbos terminados em “EAR”, como “pentear”, apresentado acima. 
No entanto, há cinco verbos terminados em -IAR que recebem a letra ‘e’ nas formas 
rizotônicas (formas em que a sílaba tônica recai no radical), ou seja, formas verbais em que a 
sílaba tônica recai no radical, como no Pres.Indicativo e Pres.Subjuntivo. Suas iniciais formam 
o anagrama M-A-RI- 
O: 
Mediar (e derivados, como intermediar), Ansiar, Remediar, Incendiar, Odiar 
Pres.Indicativo: intermedeio, intermedeia, intermedeia, intermediamos, intermediais, 
intermedeiam 
Para facilitar, lembre-se da conjugação do verbo ODIAR, o mais comum deles. 
2. VERBOS “DERIVADOS” DE ÁGUA – DESAGUAR, ENXAGUAR – mantêm a acentuação de 
“água” na conjugação. 
Pres.Indicativo: deságuo, deságuas, deságuas, desaguamos, desaguais, deságuam 
Pres.Subjuntivo: deságüe, deságües, deságüe, desagüemos, desagüeis, deságüem 
3. AVERIGUAR, APAZIGUAR, APANIGUAR - Não seguem a regra dos “derivados” de água. 
Têm a acentuação tônica nas formas rizotônicas (no radical). 
O radical de averiguar é [averigu-] e segue o paradigma “falar”, ressalvada a acentuação 
gráfica (especialmente no Pres.Subjuntivo). 
Pres.Indicativo: averiguo, averiguas, averigua, averiguamos, averiguais, averiguam 
Pres.Subjuntivo: averigúe, averigúes, averigúe, averigüemos, averigüeis , averigúem 
(Antes da letra “e”, quando o “u” é pronunciado sem intensidade, leva trema - averigüemos; 
com intensidade, leva acento agudo - averigúe) 
 
12 - (TRE AP - Técnico Judiciário) 
Está corretamente flexionada a forma verbal sublinhada na frase: 
(A) Se alguém propor medidas para economia de energia, que seja ouvido com atenção. 
(B) Caso uma represa contenhe pouco volume de água, as turbinas da usina desligam-se. 
(C)) Seria preciso que refizéssemos os cálculos da energia que estamos gastando. 
(D) Só damos valor às coisas quando elas já escasseiaram. 
(E) Se não determos os desperdícios, pagaremos cada vez mais caro por eles. 
 
Gabarito: C 
 
 
 
Comentário. 
O verbo “refazer” é derivado do verbo “fazer”. Como a conjugação deste verbo no pretérito 
imperfeito do subjuntivo é fizéssemos, está correta a construção observada na oração. 
Estão incorretas as demais opções: 
(A) O verbo “propor” deriva do verbo “pôr” (mas, ao contrário deste, aquele não recebe acento 
circunflexo – na dúvida, reveja a Aula Zero). Assim, usamos a conjugação deste como 
paradigma para a construção daquele. 
A forma verbal do pôr é “Se ele puser”. Então, a construção correta seria “Se alguém 
propuser”. 
(B) O verbo “conter” é derivado do verbo “ter”. Se a forma com este verbo seria “Caso uma 
represa tenha” (presente do subjuntivo), a construção correta seria “Caso uma represa 
contenha”. 
(Já podemos perceber que a FCC adora explorar a conjugação de verbos derivados. E você 
nem imagina quanto! Vamos continuar.) 
(D) Como vimos na questão anterior, os verbos terminados em –EAR, só recebem a letra “i” 
nas formas em que a sílaba tônica recai no radical (formas rizotônicas). O radical do verbo 
escassear é “escasse-”. A sílaba tônica da conjugação da 3ª pessoa do plural do presente do 
indicativo recai na desinência: escassearam. Assim, nada de colocar “i” nela, da mesma forma 
que em passearam, pentearam, cearam (atire a primeira pedra quem não pronunciou um “i” 
nesse último verbo, pela óbvia influência do substantivo “ceia”!). 
(E) O verbo deter é derivado do verbo ter (assim como conter, da opção A). Então, a forma 
correta seria: “Se não detivermos os desperdícios...”. 
 
13 - (TRE AP – Analista Judiciário) 
Estão corretas ambas as formas verbais sublinhadas na frase: 
(A) Alguém interviu, dizendo ao czar que a caça de borboletas e andorinhas constitue, para 
muitos homens, uma prática esportiva. 
(B)) Alguém interveio, dizendo ao czar que a caça de borboletas constitui, para muitos homens, 
uma prática esportiva. 
(C) Alguém interviu, dizendo ao czar que a caça de borboletas e andorinhas constitui, para 
muitos homens, uma prática esportiva. 
(D) Alguém interveio, dizendo ao czar que a caça de borboletas e andorinhas constitue, para 
muitos homens, uma prática esportiva. 
(E) Alguém interveio, dizendo ao czar que a caça de borboletas e andorinhas constitue-se, para 
muitos homens, uma prática esportiva. 
 
Gabarito: B 
 
Comentário 
O verbo “intervir” é derivado do “vir” – assim, se falamos “alguém veio”, devemos também falar 
“alguém interveio”. 
O outro verbo é “repeteco”. “Constituir”, na 3ª pessoa do singular, forma “constitui”, já 
comentado na questão 11. 
 
14 - (TRT 24ª Região – Técnico Judiciário) 
O verbo flexionado corretamente está grifado na frase: 
(A) Empresários requiseram licença ambiental para desenvolver seus projetos. 
 
 
(B) Muitos turistas vinherão ao Brasil central, atraídos pelos esportes náuticos. 
(C) Os investidores disporam-se a desenvolver um turismo ecológico na região. 
(D)) Sobrevieram alguns contratempos, logo resolvidos, no alojamento dos visitantes. 
(E) Poucos turistas obteram a licença para permanecer mais tempo na região. 
 
Gabarito: D 
 
Comentário. 
Um candidato desatento, que só lesse a forma verbal sublinhada, poderia cair na casca de 
banana da FCC nessa questão. 
O primeiro verbo grifado (requiseram) não significa “querer de novo”. 
“REQUERER” significa “pedir por meio de requerimento ou ação, exigir, pedir, demandar...”. 
Por isso, ele não é derivado do “querer”. Não obstante, como é irregular, em algumas formas 
se conjuga de modo idêntico ao “querer” (o que explica – mas não justifica – a confusão). 
Pres. ind.: requeiro, requeres, requer, requeremos, requereis, requerem; 
Pres. subj.: requeira, requeiras, ... 
Nas outras formas é regular e segue o paradigma “beber”. 
Assim, a forma correta é (A) “Empresários requereram licença ambiental...”. 
(B) “Muitos turistas virão ...” (futuro do presente do indicativo do verbo “vir”) [gente, fala sério: o 
que poderia ser “vinherão”????]; 
 (C) “Os investidores dispuseram-se a desenvolver...” (pretérito perfeito do indicativo do verbo 
“dispor”, que é derivado do verbo “pôr”); 
(D) Esta é a resposta correta – sobrevir é derivado do verbo vir, formando a conjugação 
“sobrevieram”; 
(E) “Poucos turistas obtiveram a licença...” (pretérito perfeito do indicativo do verbo “obter”, 
que é derivado do verbo “ter”). 
15 - (TRT 22ª Região – Técnico Judiciário / Novembro 2004) 
O verbo flexionado de forma INCORRETA está grifado na frase: 
(A) Com base na legislação vigente, os promotores propuseram às autoridades responsáveis 
as penalidades cabíveis. 
(B)) Alguns policiais requiseram o cumprimento do dispositivo legal para garantir sua 
segurança durante as diligências. 
(C) Estudam-se alterações no conteúdo de certas leis para que elas dêem resultados positivos 
no controle da violência. 
(D) Apesar de rígidas, as condições de encarceramento para criminosos ainda não contêm a 
ocorrência de atos de violência. 
(E) Ninguém ainda se deteve para analisar os resultados da aplicação rigorosa de penalidades 
aos detentos. 
 
Gabarito: B 
 
Comentário. 
Novamente, a banca explorou o verbo REQUERER, mas agora ficou fácil – você já sabe que a 
forma correta é “Alguns policiais requereram o cumprimento...”. 
 
16 - (TRT 13ª Região – Analista Judiciário) 
Está correta a flexão de todas as formas verbais na frase: 
 
 
(A) Giscard contrapôs às falas de Mitterrand a impressão de que este se pronunciava como se 
detera o monopólio do coração. 
(B) A mãe interviu na discussão, alegando que seu filho era