A Redação Eficaz - José Paulo Moreira de Oliveira
209 pág.

A Redação Eficaz - José Paulo Moreira de Oliveira


DisciplinaAdministração101.460 materiais759.693 seguidores
Pré-visualização23 páginas
Caso	o	uso	seja	inevitável,
explicar	inicialmente	o	significado	e	depois	usar	normalmente.	Em
trabalhos	extensos	-	como	um	Projeto,	por	exemplo,	-	acrônimos	devem
constar	em	uma	seção	inicial	denominada	Definições.
\u2022Avoid	"of	course,	"clearly",	and	"obviously."	Clearly,	if	something	is
obvious,	that	fact	will,	of	course,	be	obvious	to	the	reader.	Use	adverbs
sparingly.
Evidentemente	e	efetivamente,	sem	comentários.
\u2022The	word	"very"	is	very	often	very	unnecessary.
O	emprego	de	números	ajuda,	quando	se	deseja	obter	maior	precisão
de	sentido.
\u2022Keep	your	writing	self-contained.	Frequent	references	to	other	works,	or
to	things	that	have	come	before	or	will	come	later,	can	be	distracting.
Você	j	á	teve	de	"encarar"	a	leitura	de	trabalhos	cujo	número	de
inserções	em	notas	de	rodapé	consegue	ser	maior	do	que	o	próprio
corpo	de	texto?	Por	maior	que	seja	a	boa-fé	do	leitor,	é	impossível	ficar
indo	e	voltando	(do	texto	à	nota,	da	nota	ao	texto)	sem	que	se	perca	o
fio	da	meada.
Outra	mania	é	o	uso	abusivo	de	citações,	interrompendo
constantemente	o	fluxo	do	pensamento.	Lembre-se	de	que	o	uso
exaustivo	de	citações	e	notas	de	rodapé	só	faz	desviar	a	atenção	do
leitor	das	informações	contidas	no	texto	principal.
Não	confunda	argumentação	por	autoridade	com	abuso	de	autoridade.
\u2022Put	details	and	digressions	in	footnotes.	Then	delete	the	footnotes.
Obedeça	à	lógica	da	primazia	das	informações:	do	essencial	para	o
importante;	do	importante	para	o	acessório.
Recado	para	os	economistas
\u2022To	mere	mortais,	a	graphic	metaphor,	a	compelling	anecdote,	or	a
striking	fact	is	worth	a	thousand	articies	in	Econometrica.
\u2022Keep	your	writing	personal.	Remind	readers	how	economics	affects
their	lives.
\u2022Keep	it	simple.	Think	of	your	reader	as	being	your	college	roommate
who	majored	in	English	literature.	Assume	he	has	never	taken	an
economics	course,	or	if	he	did,	he	used	the	wrong	textbook.
APLICANDO	AS	DICAS	DO	GREG	EM	TEXTOS	TÉCNICOS
1.	Adjetivos	demais	e	excesso	de	advérbios,	além	de	"poluir"	o	texto	e
"roubar"	o	tempo	do	leitor,	podem	comprometer	a	credibilidade	pela
atmosfera	impressionista,	resultante	da	absoluta	falta	de	precisão	nas
informações	prestadas.
\u2022Os	índices	gerais	recuaram	expressivamente	nos	últimos	meses...	(Nos
últimos	seis,	quatro,	três	meses?)
\u2022Os	últimos	dados	mostram	evolução	positiva	da	produção,	do	setor
externo	e	da	trajetória	de	inflação.	Em	especial,	os	dados	do	setor
externo	permanecem	impressionantes.	(O	que	o	autor	pretende	dizer
com	o	termo	impressionantes?)
\u2022Esse	 crescimento	 é,	 de	 certo	 modo,	 intrigante	 e	 aparentemente
paradoxal,	 pois	 contrasta	 com	 as	 incertezas	 na	 esfera	 política.
(Romance	de	mistério?)
\u2022O	avanço	dos	entendimentos	 foi	muito	mais	di\u3d0ícil	do	que	se	previa.	As
posições	 negociadoras	 apresentavam	 distanciamento	 expressivo.
Enquanto	 o	 México	 desejava	 [...],	 o	 Brasil	 pretendia	 [...]	 (A	 frase	 em
negrito	é	dispensável)
\u2022Apesar	 das	 mais	 de	 50	 propostas	 atualmente	 em	 discussão,	 nota-se
certa	 repetição	 no	 conteúdo	 delas	 (Quais	 os	 pontos	 comuns	 entre	 as
propostas?)
\u2022Nas	 discussões	 que	 precederam	 a	 reunião,	 teve	 destaque	 a	 proposta
(Qual?)	em	conjunto	dos	EUA	e	da	 Índia,	 a	qual	 foi	objeto	de	diversos
(?)	 comentários,	 tanto	 de	 países	 desenvolvidos	 (Quais?)	 quanto	 de
países	em	desenvolvimento	(Quais?).
2.	Dispense	os	mínimos	detalhes.	Se	a	sigla	é	de	conhecimento	público,	não
há	por	que	explicitá-la.
3.	Para	evitar	períodos	excessivamente	longos,	use	a	estrutura	itemizada.	É
melhor,	facilita	a	visualização,	faz	bem	à	saúde	do	texto	e	economiza	o
precioso	tempo	do	leitor.
Texto	corrido	original
Essa	perda	de	intensidade	de	crescimento	pode	ser	creditada	a	três
fatores	principais.	Primeiro,	porque	a	atividade	industrial	não	cresce	mais
ao	ritmo	observado	há	um	ano.	Segundo,	porque	o	contingente	de
trabalhadores	já	aumentou	consideravelmente	desde	o	início	de	2004	e
reduziu,	dessa	forma,	o	número	de	postos	de	trabalho	vagos.	E	ainda,
porque	o	faturamento	das	empresas	cresceu	nos	últimos	meses	num	ritmo
aquém	do	da	folha	de	pagamentos,	o	que	limita	a	contratação	de	novos
trabalhadores.
Texto	editado,	com	itens
A	perda	de	intensidade	de	crescimento	pode	ser	creditada	a	três	fatores:
diminuição	do	ritmo	da	atividade	industrial,	em	relação	a	2005;
aumento	progressivo	do	contingente	de	trabalhadores	desde	o	início	de
2004	-	com	redução	do	número	de	postos	vagos	de	trabalho;	e
faturamento	das	empresas	menor	do	que	o	aumento	da	folha	de
pagamentos,	o	que	limita	a	contratação	de	novos	trabalhadores.
4.	Evite	o	uso	de	palavras	e	expressões	pouco	comuns.	Insistir	nesse
caminho	é	perigoso;	só	gera	má-vontade	do	leitor.	Se	a	construção	soa
estranha,	delete	o	preciosismo.
\u2022Do	total	de	produtos	negociados	no	ACE	53,	apenas	cinco	registraram
concessões	assimétricas,	ou	seja,	concessões	negociadas	com	margens
distintas	de	preferências.	(?)
\u2022As	negociações	parecem	ganhar	maior	ímpeto	com	o	exercício	de
limpeza	das	propostas.	No	entanto,	o	grau	de	ambição	das	negociações
continua	incerto.	(Todo	o	trecho	é	pedante.)
5.Fuja	dos	julgamentos	de	valor.	Seja	assertivo	e	deixe	o	leitor	chegar	às
próprias	conclusões.
\u2022Além	do	efeito	da	base	de	comparação,	uma	provável	explicação	para
esse	crescimento	seria	a	expansão	da	renda	real	do	trabalho.
\u2022Assim,	a	surpresa	na	produção	de	carburantes	cabe	mesmo	à
exportação	de	gasolina.
\u2022Esse	crescimento	é,	de	certo	modo,	intrigante	e	aparentemente
paradoxal.
Faça	o	check-Iist
1.A	linguagem	utilizada	foi	acessível,	facilitando	a	compreensão	dos
conteúdos?
2.As	informações	foram	estruturadas	de	maneira	a	permitir	imediata
assimilação	pelo	leitor?
3.As	definições	foram	suficientemente	claras,	e	as	exemplificações,
consistentes	e	pertinentes?
4.Houve	especificidade	na	escolha	da	palavra?
5.Utilizaram-se	subtítulos	descritivos	para	quebrara	"massa"	de	texto?
6.As	ilustrações	(tabelas,	quadros,	gráficos,	figuras)	foram	dispostas	de
maneira	a	auxiliar	na	compreensão	do	texto?
	
	
CUIDADO	COM	0
CONFUSIONORUM!
Popularmente	 conhecido	 como	 "texto	 enrolado"	 ou	 "problema
desencadeado	pela	má	 construção	de	 enunciados"	 (na	 linguagem	própria
dos	acadêmicos),	a	disseminação	do	Confusionorum	é	perniciosa	e	nefasta.
Pior	 -	 muito	 pior	 mesmo	 -	 do	 que	 circularizar	 documentos,	 prospectar
indicadores	atinentes	ou	obstaculizar	viés	de	capilaridade.
Importante	lembrar	que,	diante	de	texto	contaminado	pelo
Confusionorum,	o	leitor	se	vê	diante	de	duas	opções:
>	Prosseguir	até	o	final,	esperando	alguma	saída	"mágica",	capaz	de
conduzi-lo	à	desenrolação	-	o	que,	invariavelmente,	não	acontece.
>	Abandonar	a	leitura	do	texto,	diante	das	dificuldades	enrolatórias
apresentadas.
Sua	eliminação	não	é	tão	simples	assim,	e	os	antídotos	existentes	são
mais	sofisticados.
Vamos	a	eles?
PRIMEIRO	ANTÍDOTO
Muita	leitura	em	voz	alta
O	hábito	de	 ler	o	 texto	 em	voz	 alta	permite	 a	 identi\u3d0icação	 -	 e	 a	posterior
erradicação	-	de	problemas	ligados	a:
a.	Rimas	e	cacófatos	inoportunos	e	indesejáveis.
\u2022A	prática,	por	suscetível	a	penalidade	\u3d0iscal,	está	a	merecer	amparo	legal,
mediante	 encaminhamento	do	 requerimento	 ao	 \u3d0isco	 estadual,	 solicitando
regime	especial,	nos	moldes	daqueles	concedidos	pela	Fazenda	Federal.
\u2022O	fato	é	que	a	Venezuela	deve	iniciar	um	complexo	processo	de
negociação	para	definição	dos	termos	dessa	adesão.
\u2022Na	época	de	sua	construção	a	usina	de	Itaipu	tinha	milhares	de
funcionários,	quadro	que	foi	enxugado	em	59%.
b.	Erros	de	concordância,	gerados	pelo	excessivo	distanciamento
verbo/núcleo	do	sujeito,	em	períodos	longos	e	cansativos	(frases	de
ladainha).
c.	Má	ordenação	de	palavras	na	frase.
Não	entre	no	banheiro	molhado
Estava	escrito	assim,	na	porta	dos	banheiros	das	piscinas	do	clube.
Preocupado