ÉTICA COMO DOUTRINA DA CONDUTA HUMANA - 2ª AULA - BIOÉTICA

ÉTICA COMO DOUTRINA DA CONDUTA HUMANA - 2ª AULA - BIOÉTICA


DisciplinaBioética1.063 materiais3.488 seguidores
Pré-visualização3 páginas
ÉTICA COMO DOUTRINA DA CONDUTA HUMANA
UNIVERSIDADE ESTADUAL VALE DO ACARAÚ 
SOBRAL - CE 2014
TEREZA CRISTINA LACERDA GOMES
	
Conduta em sentido amplo: 
\u201c (...) resposta a um estímulo mental, ou seja, é uma ação que se segue ao comando do cérebro e que, manifestando-se variável, também pode ser observada e avaliada. 
Comportamento: \u201c (...) resposta a um estímulo cerebral, mas é constante, ou seja, ocorre sempre da mesma forma.\u201d 
Conduta \u2013 variável; Comportamento \u2013 constante.
Ex: 
Significado dos termos
Ação: \u201c ato ou efeito de agir, de atuar; ato, feito, obra, atitude, comportamento...
Ex: Ao ser-lhe apontado o revolver, ficou sem ação.
 Atitude: \u201c modo de proceder ou agir; postura; comportamento, procedimento...
Ex: A atitude das nações aliadas na II Guerra foi de hostilidade ao nazismo.\u201d
Aurélio (dicionário)
Significado dos termos
 Comportamento: \u201cconjunto de reações de um indivíduo , estando este em seu ambiente e sob determinadas circunstâncias\u201d.
 Conduta: \u201cprocedimento moral, comportamento.\u201d
Aurélio (dicionário)
 Ética estuda a ação que, comandada pelo cérebro é observável e variável, representando a conduta humana. 
Ética concebida como doutrina da conduta humana
Trata do motivo que leva a produzir a conduta; busca conhecer o que promove a satisfação, prazer ou felicidade; as razões que levam ao bem e os estímulos mentais que motivam o homem a praticá-lo.
 Busca-se o exame do que conduz ao ideal.
Ética concebida como doutrina da conduta humana
 Não trata do bem em si, mas como se pode consegui-lo, quais os caminhos que a ele conduzem. 
 O bem passa a ser resultado do móvel da conduta, o que se consegue através de seguir-se tal ou qual direção.
Ética segundo Protágoras (480 a.C.)
Pregava o que fazer para ser virtuoso perante terceiros.
Ética segundo Xenofonte (427 a.C.)
Indicou caminhos da ação do homem perante a divindade, os amigos, a sociedade, a pátria, etc, (...) \u2013 ação específica. Ex: \u201c(...) aquele que não sabe administrar sua casa, não sabe administrar o Estado.\u201d
Ética \u2013 ação virtuosa aceita por todos (consenso).
Ética - estudo visando apresentar o que se deve buscar para que se sinta e se pratique o bem.
Ética empírica de Paracelso (1493-1541)
Médico, alquimista, físico e astrônomo \u2013 preocupado com a vida humana e o bem-estar dos seres. 
 Defendeu o estudo do corpo associado ao do espírito;
 Processos biológicos são de natureza química, afetam o cérebro e o comportamento humano \u2013 mas, há uma energia que a isso tudo aciona.
Ética empírica de Paracelso (1493-1541)
Confiança é importante para a cura; saúde depende da energia atuante sobre o corpo.
 Holismo: homem é um ser integral, indivisível, que não pode ser explicado apenas a partir do componente físico. (Aurélio)
 Médico \u2013 reconhecer a ação da natureza invisível do doente e ação do remédio no campo energético (corpo).
 DEVERES E BASES DE UMA CONSCIÊNCIA ÉTICA \u2013 pg. 19 a 20
Ética científica e grandes pensadores
Thomas Hobbes (1588-1679)
Conduta \u2013 \u201c conservação de si mesmo como bem maior\u201d.
 \u201c O medo da opressão predispõe os homens para antecipar-se, procurando ajuda na associação, pois não há outra maneira de assegurar a vida e a liberdade.\u201d
 União \u2013 conduz à proteção e conservação da existência.
 Mas, \u201c os homens não tiram prazer algum da companhia uns dos outros, quando não existe um poder capaz de manter a todos em respeito\u201d.
Thomas Hobbes (1588-1679)
 Causas da discórdia entre integrantes de um grupo:
 Competição \u2013 lucro;
 Desconfiança \u2013 segurança;
 Glória \u2013 reputação.
Deveres naturais: a complacência, o perdão aos arrependidos, a punição como preservação do bem futuro.
 Apologia da paz.
René Descartes (1596-1650)
Paixão \u2013 comportamento emocional (ação da alma).
 As paixões da alma devem ser distinguidas das funções desta com aquelas do corpo.
 Os nossos pensamentos se ligam à alma.
 A alma atua sobre uma glândula que existe no cerébro, daí se irradiando para todo o corpo.
 É pelo domínio de si mesmo que se deve moldar a conduta.
 Pelo conhecimento da verdade que o homem consegue moldar um tipo de raciocínio que de forma inteligente se torna competente para conter as emoções \u2013 Consciência ética.
René Descartes (1596-1650)
Consciência ética 
 Paixões: admiração, estima, menosprezo, dignidade, orgulho, humildade, baixeza, veneração,... Pg. 24 
 ADMIRAÇÃO, AMOR, ÓDIO, DESEJO, ALEGRIA E TRISTEZA.
 ADMIRAÇÃO \u2013 percepção pela observação das coisas, (...) sendo imprescindível entender.
 AMOR \u2013 é a emoção da alma que nos impele à união. \u201c nos consideramos unidos ao que amamos, de tal sorte que imaginamos um todo do qual acreditamos ser apenas uma parte, sendo a outra o objeto amado\u201d.
René Descartes (1596-1650)
 AFETO \u2013 amor menor do que aquele que dedicamos a nós mesmos; AMIZADE \u2013 amor igual...; DEVOÇÃO \u2013 amor maior....
ÓDIO - ...???
 DESEJO \u2013 uma agitação da alma causada pelas disposições a querer para o futuro as coisas que nos parecem convenientes\u201d.
 Espécies de desejo \u2013 aspirações de glória ou de vingança.
René Descartes (1596-1650)
 ALEGRIA \u2013 aspiração da vida, uma agradável emoção da alma que consiste no gozo do bem.
 TRISTEZA \u2013 uma languidez desagradável que consiste no incômodo que a alma recebe do mal. 
 PRAZER E DOR \u2013 FELICIDADE E INFELICIDADE - bem e mal praticados ou recebidos.
 Deveres éticos \u2013 para conosco e com terceiros.
 Cada pessoa é um universo \u2013 respeito à sensibilidade de cada um,à forma de interpretar os fatos \u2013 bom relacionamento.
René Descartes (1596-1650)
Benefícios do amor e malefícios do ódio \u2013 alma e pensamento, corpo.
 Virtude \u2013 protetora da felicidade \u2013 \u201c se a alma tiver sempre algo com que se contentar em seu interior nada de fora poderá perturbá-la\u201d. - pg. 26 .
 A humildade virtuosa \u2013 jamais menosprezar ninguém; desculpar mais do que censurar. 
 Dignidade \u2013 amor a Deus + respeito às pessoas + repulsa ao vício.
René Descartes (1596-1650)
Segurança para ações eficazes \u2013 esperança exclui o medo. 
 Ação positiva e valorosa # segurança imprudente e viciosa. 
 Precipitação é maléfica \u2013 conduz a juízos incorretos \u2013 dúvida que suscita o arrependimento. 
 Inveja \u2013 falta de amor ao próximo, prejudica quem a possui, reduz a felicidade e atinge terceiros.
René Descartes (1596-1650)
 Compaixão \u2013 uma das formas de dignidade \u2013 apenas são inacessíveis à compaixão os espíritos malévolos e invejosos.
 é um sentimento oposto ao da inveja, \u201c uma espécie de tristeza, mesclada de amor ou de boa vontade por quem vemos sofrer algum mal de que não o cremos digno\u201d.
 Prática da virtude \u2013 conduz à felicidade. Ações benévolas \u2013 gratidão.
 Ingratidão, cólera e ódio \u2013 vícios.
 Fazer o mal é também recebê-lo de certo modo. 
René Descartes (1596-1650)
Os virtuosos são os que mais tendem a indignar-se contra o vício e a injustiça.
 Glória \u2013 \u201c algumas vezes somos elogiados por coisas que nós mesmos não as achamos boas e censurados por outras que admitimos ser as melhores\u201d.
 Glória e vergonha \u2013 esperança e temor.
 Vivemos do que pensamos \u2013 pensamento positivo \u2013 domínio da sabedoria sobre a emoção.
 As pessoas sensíveis desfrutam a vida quando a virtude é o parâmetro do sentimento.
 Inteligência emocional \u2013 procedimento ético competente.
Baruch Espinosa (1632-1677)
Na medida em que uma coisa está de acordo com nossa natureza é necessariamente boa.
 Princípios de conduta: 
 O respeito e a proximidade a Deus, pelo conhecimento;
 Do determinismo da vontade divina;
 da utilidade em jamais odiar, desprezar e ridicularizar o próximo, ter cólera ou invejar,; contentar-se com o que o destino oferece, de forma racional e não por influencias externas;
 Preservar a liberdade, sendo este um dever de todos e do Estado.
Baruch Espinosa (1632-1677)
 O ser (homem) foi criado para agir de modo conveniente à sua conservação e bem-estar ( Espinosa e Hobbes). 
 A alegria é hierarquicamente