Aulas Administrativo
8 pág.

Aulas Administrativo


DisciplinaDireito Administrativo I49.873 materiais957.472 seguidores
Pré-visualização2 páginas
de direito público referente ao funcionamento do Estado. Conjunto de normas (regras e princípios) jurídicos que conferem a administração pública brasileira prerrogativas e restrições.
Há dois princípios jurídicos que fundamentam o direito administrativo, de acordo com:
 	Supremacia do interesse público
	Indisponibilidade do interesse público
OBS.: Princípios são os pilares de sustentação do direito administrativo.
RESTRIÇÔES
Princípios jurídicos administrativos
Explícitos (escritos) \u2013 LIMPE
Na constituição são os princípios da legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência. Além de princípios na lei de processo administrativos. (LEI 9784/99, art. 2º)
OBS.: Em regra, os princípios explícitos são aqueles contidos no artigo 37 da CF. Entretanto, há princípios escritos em leis especificas.
Lei de concessão e permissão de serviços públicos regulamenta o artigo 175 da CF. lar)(LEI8987/95, art. 6º)
LEGALIDADE \u2013 art. 5º. II da CF liberdade negativa (liberdade do particular) Dever de obediência as leis, porque as leis são frutos da vontade popular.
Legalidade do artigo 37 da CF Liberdade positiva a administração só pode fazer o que a lei permite ou autorizar.
LIBERDADE POSITIVA
Permite : poder vinculado ocorre quando a lei é completa e prevê todas as hipóteses da administração.
Autoriza: poder discricionário que ocorre quando a lei é lacuna.
OBS.: A administração pública não pode deixar de aplicar uma lei alegando sua inconstitucionalidade.
IMPESSOALIDADE
No primeiro significado, a impessoalidade decorre da isonomia que significa que o administrador público deve tratar os administradores de forma igualitária sem expressar preferencias pessoais, político-partidária, nem discriminação quanto raça, sexo, orientação sexual (tratamento neutro)
No segundo significado, a impessoalidade refere-se ao artigo 37, §6, pois a atuação do agente público é impessoal ( responsabilidade objetiva do Estado).
MORALIDADE
Significa eticidade, probidade, honestidade. O agente público deve agir com probidade administrativa, pois caso contrario incorre em improbidade administrativa (Lei de improbidade administrativa 8429/92)
PUBLICIDADE
Sinônimo de transparência, o povo tem o direito à informação (art. 5º XXXIII CF)
EFICIÊNCIA 
Promover uma administração pública gerencial, não burocrática. Eficiência não é sinônimo de eficácia. eficiência é economicidade, ou seja, produção do melhor resultado possível com o menor custo.
IMPLICITOS
Supremacia do interesse público
O interesse público está em patamar superior aos interesses privados. A administração pública deve exercer esse interesse público por meio de prerrogativas. Ex.: a propriedade privada pode ser desapropriada em nome do interesse público.
Personalização do Direito Administrativo.
Defende a ideia de que o interesse da coletividade não pode suprimir a pessoa individual de forma autoritária, porque caracterizaria fascismo.
Indisponibilidade do interesse público
A administração pública não é titular do interesse público, mas mera gestora.
Finalidade
É um principio decorrente direito do principio da legalidade. Dever de obediência à finalidade, espirito da lei (\u201cmens legis\u201d)
A administração não pode se limitar a uma interpretação literal da lei, mas buscar sua finalidade.
Motivação
O dever para a administração pública de motivar seus atos administrativos, o dever de expor as razões fáticas e jurídicas que a levaram a decidir. A motivação deve ser prévia ou contemporânea a pratica do ato, sob pena de nulidade.
OBS.: Todos os atos administrativos devem ser motivados, exceto quando a lei dispensa a motivação.
 Lei : Razão Jurídica
 \u2191
Ato: Serve para fazer a subsunção (encaixe)
 \u2193
Fato: Razão Fática
 		Norma Jurídica: se A ( = descrição) é, deve ser B( = prescrição).
Razoabilidade aceitabilidade
Norma que diz que a conduta administrativa deve ser razoável/aceitável para o homem médio. A conduta administrativa deve ser pautada pelo bom senso.
Um ato irrazoável pode ser anulado.
Proporcionalidade congruência entre meios e fins.
É a conduta administrativa que guarda compatibilidade entre meios e fins. Os meios da administração escolher usar devem ser úteis, necessários e adequados para atingir os fins almejados.
O mérito do ato administrativo não pode ser controlado pelo juiz.
Proporcionalidade em estrito senso Equação entre vantagens e desvantagens.
Ampla Defesa e Contraditório
Ambas possuem natureza processual. Devido processo legal (\u201cdue process of law\u201d)
No estado democrático, esse principio deve ser observado permitindo as partes a ampla defesa e o contraditório.
Segurança Jurídica
É um principio administrativo o que veda a aplicação de nova interpretação da lei a situações já consolidadas. Principio da estabilidade das relações jurídicas.
CERTEZA JURÌDICA é a previsibilidade das relações jurídicas.
CONFIANÇA JURÍDICA os atos estatais possuem presunção de legitimidade.
Interesse Público
LEI 8987/95; art. 6º § 1 continuidade do serviço público.