Aula Administrativo 2
9 pág.

Aula Administrativo 2


DisciplinaDireito Administrativo I50.234 materiais959.359 seguidores
Pré-visualização2 páginas
de criação
		 Atividades sociais atribuídas ao Estado
Imunidade assistencial
ASSOCIAÇÕES PÚBLICAS \u2013 (art. 41, IV C.C)
Pessoa Jurídica de Direito Público
Lei de Consórcios Públicos 11.107/05
Gestão associada de serviços públicos por vários entes federativos.
CONTRATO \u2260 CONVÊNIO \u2260 CONSÓRCIO
(É um negócio Convergência de
Jurídico em que os interesses.
interesses das partes
contratantes são 
contrapostos.)
EMPRESAS PÚBLICAS
Criadas sob autorização legal para exploração de atividades econômicas e/ou prestação de serviços.
SOCIEDADE DE ECONOMIA MISTA
Forma societária: Apenas sociedade anônima 
Controle acionário público: maioria das ações com direito a visto: 50% + ação ordinária.
Não existe economia mista limitada.
As empresas públicas federais tem foro privativo.
Contrato de Gestão (válido por 4 anos, podendo ser renovada)
Instrumento do principio da eficiência 
Otimização de recursos
É uma forma de compromete-los, mais renda, desde que se comprometam.
INMETRO Autarquia, pessoa jurídica de direito público, criado por lei, ostenta o título de agência executiva em função do contrato de gestão.
ART. 37, §8º. Agência Executiva \u2260 Agência Reguladora
Existe contrato de gestão entre a União e Entidade privada (que vai ser chamada de OS)
ENTIDADES PARAESTATAIS OU ENTES DE COOPERAÇÃO \u2013 (Pessoa jurídica de Direito privado) 
Criadas pela iniciativa privada e sem fins lucrativos tem que reinvestir todos os seus ganhos, todo o objetivo social que elas possuem.
1º SETOR Estado (O estado trabalha para a lei, principio da Legalidade. Ele existe por causa da lei);
2º SETOR Mercado (Os agentes econômicos do mercado, trabalham para obter lucro. Lucratividade)
3º SETOR Sociedade Civil Organizada (Fraternidade de promoção do bem comum)
Não prestam serviços públicos, prestam serviços privados de interesse público. Pode apenas executar um serviço público, pois este é monopólio do Estado, e com sua devida autorização. Serviço público se relaciona a competência material.
SERVIÇOS SOCIAIS AUTONOMOS \u2013 Sistema \u2018S\u2019
Entidades privadas criadas pela iniciativa privada, sem fins lucrativos, sob autorização legal. Ex.: SESI, SESC, SENAI,SENAC, ABDI e APEX-BR (exceções ao s)
Contribuições parafiscais, irão receber contribuições públicas parafiscais. 
Se a receita dela é pública vai ter que licitar, seus dirigentes são sujeitos a ação popular, remédios constitucionais, ação civil pública/atos de improbidade administrativa.
Fiscalidade Poder de tributos do Estado; pessoa jurídica de direito público. Poder extroverso.
ORGANIZAÇÕES SOCIAIS (OS) \u2013 Lei 9637/98
Se celebrar contrato de gestão, receberá o título de organização social.
Entidade Privada ------------------ União/Ministério (supervisor)
Qualificação: É um ato discricionário do ministério supervisor.
Interesse receber patrimônio, bens públicos e servidores da união de órgãos extintos.
Privatização dos órgãos não essências do setor público.
ORGANIZAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL DE INTERESSE PÚBLICO (OSCIP)
Termo de Parceria (ato vinculado do Ministério da Justiça)
		Entidade Privada ---------------------------- União Ministério da Justiça 
		Lei 9790/99 \u2013 art. 2º, III
		Ex.: Instituto Joãozinho Trinta, Instituto Gaia.
		FINALIDADE: Ordem social (meio ambiente, educação, saúde) Não é automática o recebimento de dinheiro público, ou celebração de convenio.
	DIFERENÇAS
	ORGANIZAÇÕES SOCIAIS (OS)
	OSCIP
	Contrato de Gestão
	Termo de parceria
	Ato discricionário
	Ato vinculado
	Ministério Supervisor
	Ministério da Justiça
PODERES DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
	Poderes do Estado (Poderes precípuos) \u2260 Poderes da Administração (caráter instrumental).
São instrumentos criados pelo ordenamento jurídico para a Administração Pública promover o interesse público.
PODER VINCULADO OU REGRADO
Ocorre quando não há margem para o exercício da liberdade administrativa. Quando o legislador previu todos os elementos da conduta administrativa, só existe um jeito de realizar o interesse público. A lei suficientemente completa. O legislador está adstrito a cumprir a lei.
Ex.¹: Licença \u2013 Ato administrativo unilateral e vinculado, pelo qual a administração pública faculta a alguém o exercício de uma atividade, uma vez preenchidos todos os requisitos legais pelo particular. As licenças em Direito Administrativos são sempre atos vinculados.
Ex.²: Lançamento Tributário \u2013 Ato plenamente vinculado. Não pode se exonerar de lançamento tributário a não ser que a lei permita.
Ex.³: Aposentadoria \u2013 Toda aposentadoria é ato vinculado.
Conduta Administrativa:
Sujeito Competente
Forma \u2013 Modo de exteriorização da conduta. Diz respeito tanto a conduta quanto ao ato final.
Objeto \u2013 É o conteúdo do ato, providencia pratica que a administração visou.
Motivo \u2013 Razões fáticas e jurídicas que justificam o ato.
Finalidade \u2013 é o atendimento do interesse público.
São vinculados. Sujeito, forma e finalidade sempre serão vinculados!
PODER DISCRICIONÁRIO \u2013 Há margem de liberdade para o administrador. Liberdade dentro da lei.
Nem todos os elementos da conduta administrativa são regrados na lei.
Discrição: juízo de oportunidade e conveniência da administração pública.
Arbitrariedade: O administrador age por seu próprio juízo e não pelo que a lei permite.
O motivo e/ou objeto da conduta administrativa são discricionários, contém margem para a liberdade administrativa.
Um ato plenamente discricionário será um ato arbitrário.
Ex¹.: Ato de nomeação/exoneração para cargo ou função de confiança.
Ex.²: Autorizações \u2013 Porte de arma de fogo/ ato discricionário da autoridade policial.
Razões para existência de poder discricionário
Escolha do legislador;
Impossibilidade fática de suprimir lacunas jurídicas;
Impossibilidade jurídica : separação de poderes (art 2º CF)
Impossibilidade lógica : conceitos jurídicos indeterminados.
Poder Discricionário \u2260 Arbitrariedade
				\u2193
			Abuso de Poder
Abuso de Poder:
Excesso \u2013 abuso de competência 
Desvio de poder ou finalidade: o agente pratica ato visando o fim diverso daquele previsto em lei.
PODER HIERÁRQUICO 
Organizar a administração pública, porque a hierarquia é o escalonamento no plano vertical de órgãos e agentes públicos para a organização da função administrativa. É o poder pelo qual a administração se organiza internamente, distribui suas funções.
Atribuições: é a transferência temporária, excepcional e plenamente justificada de atribuições de um hierárquico para outro agente de mesmo grau ou para agente subalterno.
Avocação: é a transferência temporária, excepcional e plenamente justificada de atribuições de um agente subalterno para agente superior.
PODER DISCIPLINAR
É o poder de punir infrações administrativas, cometidas por agentes públicos ou por delegatários do serviço público. Esse poder só se aplica a quem está na intimidade da administração, deve ser um delegatário da administração. 
Processo Administrativo Disciplinar (PAD)
Poder vinculado e discricionário
ATO ADMINISTRATIVO: Ato jurídico é toda manifestação de vontade, é contemplado pelo ordenamento.