93539070-Baruch-Spinoza-Etica-Demonstrada-a-maneira-dos-Geometras-PT-BR
76 pág.

93539070-Baruch-Spinoza-Etica-Demonstrada-a-maneira-dos-Geometras-PT-BR


DisciplinaÉtica Filosófica e Ética Profissional254 materiais1.823 seguidores
Pré-visualização37 páginas
e assim ao 
infinito. Mas falarei mais sobre isto depois.
PROPOSIÇÃO XXII
A Mente humana percebe não apenas as afecções do Corpo, mas também as idéias destas afecções.
Demonstração
As idéias das idéias da afecções se seguem em Deus do mesmo modo, e se referem a Deus do mesmo modo, que 
as próprias idéias das afecções, o que demonstra-se do mesmo modo que a Prop. 20. Assim, as idéias das 
afecções do Corpo existem na Mente humana (pela Prop. 12), isto é (pelo Cor. Prop. 11) existem em Deus 
enquanto constitui a essência da Mente humana. Logo, estas idéias de idéias estarão em Deus enquanto ele tem 
o conhecimento, ou idéia, da Mente humana, isto é (pela Prop. 21) estarão na própria Mente humana que 
percebe, não apenas as afecções do Corpo, mas também as idéias destas. QED
PROPOSIÇÃO XXIII
A Mente só conhece a si mesma na medida em que percebe as idéias das afecções do Corpo.
Demonstração
A idéia ou conhecimento da Mente (pela Prop. 20) se segue em Deus e se refere a Deus do mesmo modo que a 
idéia ou conhecimento do corpo. Mas como (pela Prop. 19) a Mente humana não conhece o próprio Corpo, 
isto é (pelo Cor. Prop. 11), como o conhecimento do Corpo não se refere a Deus enquanto ele constitui a 
essência da Mente humana e tampouco o conhecimento da Mente se refere a Deus enquanto ele constitui a 
essência da Mente humana, logo (pelo mesmo Cor. Prop. 11), a Mente humana, nesta medida, não conhece a 
si mesma.
Por outro lado, as afecções pelas quais o Corpo é afetado, envolvem a natureza do próprio Corpo humano (pela 
Prop. 16), isto é (pela Prop. 13), convém com a natureza da Mente, e assim o conhecimento destas idéias 
necessariamente envolve o conhecimento da Mente. Como (pela Prop. Precedente) o conhecimento destas 
idéias existe na Mente humana, logo, neste aspecto a Mente humana conhece a si mesma. QED
PROPOSIÇÃO XXIV
A Mente humana não envolve o conhecimento adequado das partes do Corpo humano.
Tradução: Roberto Brandão
30
. 
B. de Spinoza \u2014 Ética demonstrada em ordem geométrica
Demonstração
As partes que compõe o Corpo humano, só pertencem à essência do Corpo na medida em que comunicam entre 
si seus movimentos em uma certa relação (vide Def. após Cor. Lema 3) e não na medida em podem ser 
consideradas como Indivíduos sem relação com o Corpo humano. Pois as partes do Corpo humano (pelo Post. 
1) são Indivíduos altamente compostos, cujas partes (pelo Lema 4) podem ser segregadas do Corpo 
humano, conservando sua natureza e forma e comunicando seus movimentos (vide Axiom. 1 após Lema 
3) a outros corpos em outra relação. Portanto (pela Prop. 3), a idéia ou conhecimento de qualquer destas 
partes existe em Deus na medida em que é considerado como afetado por outra idéia de coisa singular, coisa 
esta que (pela Prop. 7) é anterior na ordem da natureza à parte em questão. E o mesmo pode ser dito de 
qualquer outra parte deste Indivíduo que compõe o Corpo humano. Portanto, o conhecimento de qualquer 
parte que compõe o do Corpo humano existe em Deus na medida em que ele é afetado por muitíssimas idéias 
de coisas e não na medida em que ele tem apenas a idéia do Corpo humano, isto é (pela Prop. 13), a idéia que 
constitui a natureza da Mente humana. Assim, (pelo Cor. Prop. 11) a Mente não envolve o conhecimento 
adequado das partes que compõe do Corpo humano. QED
PROPOSIÇÃO XXV
A idéia de uma afecção qualquer do Corpo humano não envolve o conhecimento adequado de um corpo externo.
Demonstração
Mostramos que a idéia de uma afecção do Corpo humano envolve a natureza do corpo externo (vide Prop. 
16), na medida em que o corpo externo determina de certo modo o Corpo humano. Mas, na medida em que o 
corpo externo é um Indivíduo que não se refere ao Corpo humano, o conhecimento deste existe em Deus (pela 
Prop. 9), enquanto Deus é considerado como afetado pela idéia de outra coisa, que (pela Prop. 7) é por 
natureza anterior a este corpo externo. Portanto, o conhecimento adequado do corpo externo não existe em Deus 
enquanto ele tem a idéia da afecção do Corpo humano, ou, dito de outro modo, a idéia da afecção do Corpo 
humano não envolve o conhecimento adequado do corpo externo. QED.
PROPOSIÇÃO XXVI
A Mente humana só percebe a existência do corpo externo pelas idéias das afecções de seu Corpo.
Demonstração
Se o Corpo humano não é afetado de alguma forma por um corpo externo, tampouco (pela Prop. 7) a idéia do 
Corpo humano, isto é (pela Prop. 13), a Mente humana, é afetada pela idéia da existência de tal corpo, ou, 
dito de outro modo, ela não percebe de modo algum a existência do corpo externo. Mas, na medida em que o 
Corpo humano é afetado por um corpo externo, a Mente (pela Prop. 16 com seu Cor. 1) percebe o Corpo 
externo. QED
Corolário
Enquanto a Mente humana imagina corpos externos, ela não tem idéias adequadas.
Demonstração
Quando a Mente humana contempla os corpos externos pela idéias das afecções de seu Corpo, dizemos que ela 
imagina (vide Esc. Prop.17), e a Mente não pode imaginar de outra forma (pela Prop. precedente) os 
corpos externos existindo em ato. Portanto (pela Prop. 25), quando a Mente imagina os corpos externos, ela 
não tem um conhecimento adequado deles. QED
PROPOSIÇÃO XXVII
A idéia de uma afecção do Corpo humano não envolve o conhecimento adequado do próprio Corpo humano.
Demonstração
A idéia de uma afecção do Corpo humano só envolve a natureza do Corpo humano, na medida em que 
consideramos o Corpo humano afetado de certo modo (vide Prop. 16). Mas, na medida em que o Corpo 
Tradução: Roberto Brandão
31
. 
B. de Spinoza \u2014 Ética demonstrada em ordem geométrica
humano é um Indivíduo, que pode ser afetado de muitos outros modos, sua idéia, etc. Ver Demonstração 
Prop. 25.
PROPOSIÇÃO XXVIII
As idéias das afecções do Corpo humano, na medida em que se referem à Mente humana, não são claras e distintas, mas 
confusas.
Demonstração
As idéias das afecções do Corpo humano envolvem (pela Prop. 16) tanto a natureza dos corpos externos 
quanto a natureza do Corpo humano e devem envolver não apenas a natureza do Corpo humano, mas também 
de suas partes, pois as afecções são modos (pelo Post. 3) pelas quais as partes do Corpo humano e, 
consequentemente, todo o corpo humano, são afetadas. Mas (pelas Props. 24 e 25), o conhecimento adequado 
dos corpos externos e das partes que compõe o Corpo humano não existe em Deus enquanto o consideramos 
como afetado pela Mente humana, mas enquanto o consideramos como afetado por outras idéias. Logo, estas 
idéias de afecções, enquanto se referem somente à mente humana, são como conseqüências sem premissas, isto é 
(como é evidente), são idéias confusas. QED
Escólio
Demonstra-se da mesma maneira que a idéia que constitui a natureza da Mente humana não é, considerada 
apenas em si, clara e distinta, da mesma forma como a idéia da Mente humana e as idéias das idéias da afecções 
do Corpo humano, na medida em que se referem apenas à Mente, como cada um poderá ver facilmente.
PROPOSIÇÃO XXIX
A idéia de uma afecção do Corpo humano não envolve o conhecimento adequado da Mente humana.
Demonstração
A idéia de uma afecção do Corpo humano (pela Prop. 27) não envolve o conhecimento adequado do próprio 
Corpo, ou, dito de outro modo, ela não exprime adequadamente sua natureza, isto é (pela Prop. 13), ela não 
convém adequadamente com a natureza da Mente. Portanto (pelo Axiom. 6 P I), a idéia desta idéia não 
exprime adequadamente a natureza da Mente, ou, dito de outro modo, ela não envolve seu conhecimento 
adequado. QED.
Corolário
Disso se seque que a Mente humana, sempre que percebe as coisas segundo a ordem comum da natureza, não 
tem um conhecimento adequado nem de si, nem de seu Corpo, nem dos corpos externos, mas sim um 
conhecimento confuso e mutilado.
Pois a Mente só conhece a si mesma na medida em que percebe as idéias