ATPS CONTABILIDADE INTERMEDIÁRIA
28 pág.

ATPS CONTABILIDADE INTERMEDIÁRIA


DisciplinaCiências Sociais11.218 materiais41.715 seguidores
Pré-visualização6 páginas
cálculo do Imposto de Renda é importante verificar as verbas que sofrem incidências, que podem ser verificadas na Instrução Normativa SRF nº 15 de 6 de fevereiro de 2001. É importante observar que o cálculo do Imposto de Renda será efetuado sobre o valor recebido pelo funcionário. O cálculo será efetuado sempre pela data de pagamento, ainda que o mês de referência seja outro.
c) - FUNDO DE GARANTIA DO TEMPO DE SERVIÇO \u2013 FGTS: O FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) representa uma despesa para a empresa, pois consiste em recolher 8% sobre o valor bruto da folha de pagamento à Caixa Econômica Federal, em nome dos empregados. É regulamentado pela Lei nº 9.491, de 1997.
d) - CONTRIBUIÇÃO CONFEDERATIVA: A contribuição confederativa, cujo objetivo é o custeio do sistema confederativo - do qual fazem parte os sindicatos, federações e confederações, tanto da categoria profissional como da econômica - é fixada em assembléia geral. Tem como fundamento legal o art. 8º, IV, da Constituição.
A contribuição assistencial é prevista na alínea "e", do art. 513, da CLT. É aprovada pela assembléia geral da categoria e fixada em convenção ou acordo coletivo de trabalho ou sentença normativa e é devida quando da vigência de tais normas, porque sua cobrança está relacionada com o exercício do poder de representação da entidade sindical no processo de negociação coletiva.
e) - CONTRBUIÇÃO SINDICAL: Na folha de pagamento do mês de março, a empresa é obrigada a descontar um dia de trabalho de todos os empregados, qualquer que seja a forma da referida remuneração. Art.580 e 582(CLT)
O artigo 149 da Constituição Federal prevê a Contribuição Sindical, nos seguintes termos:
"Art. 149 - Compete exclusivamente à União instituir contribuições sociais, de intervenção no domínio econômico e de interesse das categorias profissionais ou econômicas, como instrumento de sua atuação nas respectivas áreas, observada o disposto nos art. 146, III e 150, I e III, e sem prejuízo do previsto no art. 195, § 6º, relativamente às contribuições a que alude o dispositivo.
\u201cParágrafo único - Os Estados, o Distrito Federal e os municípios poderão instituir contribuição, cobrada de seus servidores, para o custeio, em benefício destes, de sistemas de previdência e assistência social.\u201d
Os artigos 578 e 579 da CLT prevêem que as contribuições devidas aos sindicatos, pelos que participem das categorias econômicas ou profissionais ou das profissões liberais representadas pelas referidas entidades, têm a denominação de "Contribuição Sindical".
f) \u2013 FALTAS: A legislação trabalhista admite determinadas situações em que o empregado poderá deixar de comparecer ao serviço, sem prejuízo do salário, as dispensas legais são contadas em dias de trabalho, dias uteis para o empregado.
Falta admissível;
O empregado poderá deixar de comparecer ao serviço sem prejuízo do salário.
Até 2(dois) dias consecutivos em caso de falecimento do cônjuge, ascendente, irmão ou pessoa que, declarada em sua carteira de trabalho e previdência social, viva sob sua dependência econômica;
Até 3(três) consecutivos, em virtude de casamento;
Por 5(cinco) dias, em caso de nascimento de filho, no decorrer da primeira semana.
g) - PENSÃO ALIMENTÍCIA: O valor a ser descontado da pensão alimentícia deverá ser estipulado em percentual da sua renda. Para cálculo da alíquota, influirá o número total de filhos menores que ele possui e o quanto esse percentual representa em valor real. Secundariamente, também afetará se ele possui outros dependentes (esposa, pais, enteados e etc...).
5.2. Elaboração Da Folha De Pagamento Da Empresa Aliança Ltda Referente Ao Mês De Março De 2011
Para a elaboração da folha de pagamento temos os seguintes dados:
	funcionário
	Salário-base
	Filhos menores de 14 anos
	Horas Extras
	Adc. De Insalubridade
	Adc. de periculosidade
	Pensão Alimentícia
	Vale Transporte
	Faltas
	1
	 R$ 3.500,00 
	2
	10
	Grau Máximo
	Não
	Não
	Não
	0
	2
	2.850,00
	1
	5
	Não
	Sim
	25%
	Não
	0
	3
	800
	1
	15
	Não
	Não
	Não
	6%
	0
	4
	4.500,00
	2
	10
	Grau Máximo
	Sim
	30%
	Não
	3
	5
	2.350,00
	1
	6
	Não
	Não
	Não
	Não
	1
	6
	5.350,00
	0
	Não
	Não
	Não
	Não
	Não
	0
	7
	510
	1
	15
	Não
	Não
	Não
	6%
	0
De antemão faz-se necessário a ciência da tabela de contribuição dos segurados empregado, empregado doméstico e trabalhador avulso, para pagamento de remuneração a partir de 1º de janeiro de 2011.
Tabela 09: Índices para cálculo do INSS
	SALÁRIO DE CONTRIBUIÇÃO (R$) 
	 ALÍQUOTA PARA FINS DE RECOLHIMENTO AO INSS 
	 Até 1.106,90
	 8,00%
	 De 1.106,91 até 1.844,83
	 9,00%
	 De 1.844,84 até 3.689,66
	 11,00%
Fonte: http://www.previdencia.gov.br/
Tabela 10: Índices para cálculo do Imposto de Renda Retido da fonte para 2011
	Base de Cálculo (R$)
	Alíquota (%)
	Parcela a Deduzir do IR (R$)
	Até 1.566,61
	-
	-
	De 1.566,62 até 2.347,85
	7,5
	117,49
	De 2.347,86 até 3.130,51
	15
	293,58
	De 3.130,52 até 3.911,63
	22,5
	528,37
	Acima de 3.911,63
	27,5
	723,95
Fonte: http://www.receita.fazenda.gov.br/aliquotas/contribfont.htm
De posse dessas informações é possível calcular os descontos para cada funcionário, como mostrado a seguir.
FUNCIONÁRIO 1:
Dados para a folha de pagamento do funcionário 1:
	
	Em R$
	Salário Base
	3.500,00
	Adc. De Insalubridade
	218,00
	Salário Mensal
	3.718,00
	Salário Hora
	16,90
	Salário Hora Extra
	253,50
	Salário Bruto
	3.971,50
	INSS
	405,8626
	Base IRRF
	3.565,64
	IRRF
	273,90
Onde, o valor do salário base é dado na ATPS, o adicional de insalubridade corresponde a 40% do salário mínimo vigente em 2011(R$ 545,00), o salário mensal é resultante da soma do salário base mais o adicional de insalubridade; o valor da hora extra é igual ao valor da hora normal acrescida de mais 50%, vezes o número de horas extras trabalhadas; o salário bruto é igual ao salário mensal mais o valor das horas extras; o INSS é calculado de acordo com o teto correspondente encontrado na tabela 09; o IRRF é calculado de acordo com os índices apresentados na tabela 10, nesse caso 22,5% de R$ 3.565,64, de onde será deduzida a parcela de R$ 528,37. Assim chegamos ao salário liquido do funcionário 01 como mostra a tabela abaixo:
Tabela 11: Cálculo da Folha de Pagamento do Funcionário 01:
	Salário base
	3.500,00 
	(+) Ad.In
	+ 218,00
	(+)SHE
	+ 253,00
	= Salário bruto
	= 3971,50
	(-) Dedução do INSS (teto)
	- 405,86
	= Base do IRRF
	= 3565,64
	(-) IRRF
	 - 273,90
	= Salário Liquido
	= 3291,74
Fonte: O autor
Funcionário 02: 
Dados para a folha de pagamento:
	Funcionário 2
	
	
	
	Em R$
	
	Salário Base
	2850,00
	
	Adc. De Periculosidade
	855,00
	
	Salário Mensal
	3705,00
	
	Salário Hora
	16,84091
	
	Salário Mensal 2
	3.831,31
	
	Salário Bruto
	2873,48
	
	INSS
	316,08
	
	Base IRRF
	2557,39
	
	IRRF
	90,03
	
	
	
	
Onde, o valor do salário base é dado na ATPS, o adicional de periculosidade corresponde a 30% do salário base; o valor da hora extra é igual ao valor da hora normal acrescida de mais 50%, vezes o número de horas extras trabalhadas; o salário mensal é resultante da soma do salário base mais o adicional de periculosidade, mais o valor das horas extras; o salário bruto é igual ao salário mensal menos o valor da pensão alimentícia; o INSS é calculado de acordo com o teto correspondente encontrado na tabela 09; o IRRF é calculado de acordo com os índices apresentados na tabela 10, nesse caso 15 % de R$ 2.557,39, de onde será deduzida a parcela de R$ 293,58. Assim chegamos ao salário liquido do funcionário 02, como mostra a tabela abaixo:
Tabela 12: Calculo da folha de pagamento do Funcionário 02:
	Salario base
	2.850,00
	(+) Ad.Pe
	+ 855,00
	(+)SHE
	+ 126,30
	(-) Pensão Alimentícia
	- 957,83
	= Salario bruto
	 = 2.873,48