REVISÃO PROCESSO CIVIL- MAURÍCIO 2015
50 pág.

REVISÃO PROCESSO CIVIL- MAURÍCIO 2015


DisciplinaDireito Processual Civil I39.771 materiais715.793 seguidores
Pré-visualização13 páginas
Conforme veremos, de acordo com a teoria das invalidades um ato pode ser defeituoso por fatos que lhes são anteriores ou contemporâneos: no caso, o ato complexo procedimento já nasce viciado por fatos que lhes antecederam. A princípio, são vícios insanáveis. Por isso, o reconhecimento da existência de algum desses fatos inexoravelmente levará à extinção do processo - salvo se disser respeito a apenas parcela da demanda (litispendência parcial, p.ex.), hipótese em que haverá inadmissibilidade parcial da causa, sem a extinção do processo, que prosseguirá em relação à parcela restante.\u201d 
REVISÃO 22.04.2015
AÇÃO MONITÓRIA
Conceito- Luiz Guilherme Marinoni e Daniel Mitidiero: \u201cO procedimento monitório foi pensado como alternativa para uma maior tempestividade do processo, podendo ser usado por quem tem prova escrita, sem eficácia executiva, do seu crédito, e pretende obter soma em dinheiro, coisa fungível ou determinado bem móvel.\u201d 
Fundamento do procedimento monitório- Luiz Guilherme Marinoni e Daniel Mitidiero: \u201cO legislador infraconstitucional concebe o procedimento monitório como técnica destinada a propiciar a aceleração da realização dos direitos e assim como instrumento capaz de evitar o custo inerente à demora do procedimento comum. Partindo da premissa de que um direito evidenciado mediante prova escrita em regra não deve sofrer contestação, o procedimento monitório objetiva, através da inversão do ônus de inexistência do direito, desestimular as defesas infundadas e permitir a tutela do direito sem as delongas do procedimento comum.\u201d
Procedimento monitório- Luiz Guilher Marinoni e Daniel Mitidiero: \u201cDiante da petição inicial devidamente acompanhada com a prova escrita, o juiz deve mandar expedir o mandado de pagamento ou de entrega da coisa. O devedor, no prazo de 15 dias, poderá: cumprir o mandado- caso em que ficará isento de honorários de advogado-, restar inerte ou apresentar embargos ao mandado. Não apresentados ou rejeitados os embargos, o título executivo é constituído.\u201d
Decreto injuntivo- Daniel Amorim Assumpção Neves e Rodrigo da Cunha Lima Freire: \u201cVerificando o juiz que a monitória deve ser admitida e que há verossimilhança- ao que tudo indica, existe o direito do credor-, proferirá o chamado \u201cdecreto injuntivo\u201d, pronunciamento- a doutrina diverge quanto a natureza de tal pronunciamento: despacho, decisão interlocutória ou sentença?-, pelo qual ordenará a expedição de mandado monitório, que possui dupla função: citar o réu- vale registrar que a citação pode ser realizada por edital, conforme o entendimento esposado na Súmula 282, STJ, devendo o juiz, nesse caso, nomear curador especial ao revel- e ordenar o pagamento ou a entrega da coisa.\u201d
Ação monitória em face da Fazenda Pública- Cassio Scarpinell Bueno: \u201cA pertinência da \u201cação monitória\u201d contra a Fazenda Pública é inquestionável. Nada há nas escolhas feitas pelo legislador que acarretem alguma mácula ao \u201cmodelo constitucional do direito processual civil\u201d ou ao sistema de prerrogativas (ou, a depender do ângulo de análise da questão, dos privilégios) que as pessoas de direito público estão, desde lá, submetidas também quando atuam em juízo. É dizer, por outras palavras, nada há na \u201cação monitória\u201d ou no sistema de \u201cdireito processual público\u201d que a afaste aprioristicamente como técnica apta para satisfazer créditos retratados por documentos despidos de eficácia executiva também contra as pessoas jurídicas de direito público ou, mais amplamente, contra a Fazenda Pública (...).\u201d
Viabilização da ampla defesa no procedimento monitório- Luiz Guilherme Marinoni e Daniel Mitidiero: \u201cNão há dúvida que o procedimento monitório assegura a ampla defesa. Se a instauração de embargos fica a critério do devedor, basta perguntar qual é a natureza do procedimento dos embargos. Ou melhor, basta indagar se o procedimento dos embargos é materialmente sumário, restringindo a possibilidade da realização de determinadas alegações ou de produção de certos tipos de prova, ou se é um procedimento que permite às partes ampla oportunidade de alegação e de produção de provas. O procedimento dos embargos, diante da ausência de qualquer restrição à possibilidade de alegação ou de produção de prova, ou mesmo de qualquer indicativo que pudesse diferenciá-lo, no aspecto formal, do procedimento ordinário, não tem como deixar de obedecer aos ditames deste último. O procedimento dos embargos é de cognição plena e exauriente.
Formação do título executivo: incidência da multa do art.475-J, CPC e honorários advocatícios- Luiz Guilher Marinoni e Daniel Mitidiero: \u201cFormado o título, tem o devedor de ser intimado para efetuar o pagamento no prazo de 15 dias. Não adimplida a obrigação, incide a multa sancionatória de 10%, honorários advocatícios e despesas processuais. A partir daí tem o credor de formular o requerimento executivo, para então se expedir o mandado de penhora e avaliação (art.475-J e 1.103, CPC).\u201d
 Súmulas do STJ
504. \u201cO prazo para ajuizamento de ação monitória em face do emitente de nota promissória sem força executiva é quinquenal, a contar do dia seguinte ao vencimento do título.\u201d
503. \u201cO prazo para ajuizamento de ação monitória em face do emitente de cheque sem força executiva é quinquenal, a contar do dia seguinte à data da emissão estampada na cártula.\u201d
384. \u201cCabe ação monitória para haver saldo remanescente oriundo de venda extrajudicial de bem alienado fiduciariamente em garantia.\u201d
339. \u201cÉ cabível ação monitória contra a Fazenda Pública.\u201d
299. \u201cÉ admissível a ação monitória fundada em cheque prescrito.\u201d
292. \u201cA reconvenção é cabível na ação monitória, após a conversão do procedimento em ordinário.\u201d
282. \u201cCabe a citação por edital em ação monitória.\u201d
247. \u201cO contrato de abertura de crédito em conta- corrente, acompanhado do demonstrativo de débito, constitui documento hábil para o ajuizamento da ação monitória.\u201d
Desnecessidade de prova robusta: \u201c(...)1. A prova hábil a instruir a ação monitória, a que alude o art.1.102-A, CPC, não precisa, necessariamente, ser robusta, podendo ser aparelhada por documento idôneo, ainda que emitido pelo próprio credor, contanto que, por meio do prudente exame do magistrado, exsurja o juízo de probabilidade acerca do direito afirmado pelo autor.(...)\u201d AGRG no AREsp 559.231/PE, Rel.: Min. Marco Buzzi, 4ªT, J.10.03.2015.
Necessidade do demonstrativo da evolução da dívida: \u201c(...) 1.Para fins do art.543-C, §§7º e 8º, CPC, firma-se a seguinte tese: a petição inicial da ação monitória para cobrança de soma em dinheiro deve ser instruída com demonstrativo de débito atualizado até a data do ajuizamento assegurando-se, na sua ausência ou insuficiência, o direito da parte supri-la, nos termos do art.284, CPC. (...)\u201d REsp 1.154.730/PE, Rel. Min. João Otávio de Noronha, 2ª Seção, J.08.04.2015.
Possibilidade do manejo da monitória para a cobrança de título executivo extrajudicial: \u201c(...)1. De acordo com o entendimento desta Corte Superior, é possível ao credor possuidor de título executivo extrajudicial ajuizar ação monitória para a respectiva cobrabça. (...)\u201d. AgRg no AREsp 606.420/SP, Rel. Min. Marco Aurélio Bellizze, 3ªT, J.03.02.2015.
Necessidade de que a dívida seja líquida: \u201c(...) 2. Obrigatoriamente, por ser requisito para a própria admissibilidade da monitória, a dívida apresentada, na inicial, há de ser líquida, sem o que nem sequer pode o Juízo expedir o competente mandato monitório. (...)\u201d AgRg no AREsp 316.560/RS, Rel. Min. Raul Araújo, 4ªT, J.03.02.2015.
REVISÃO 06.05.2015
Ação rescisória
Conceito- Marinoni e Mitidiero: \u201cAção rescisória é uma ação que visa desconstituir a coisa julgada material. Tendo em conta que a coisa julgada concretiza no processo o valor segurança jurídica- substrato indelével do Estado Constitucional-, a sua propositura só é admitida em hipóteses excepcionais, devidamente arroladas de maneira taxativa pela legislação (art.485, CPC). A ação rescisória serve tanto para promover a rescisão