Kapanji - volume 2

Kapanji - volume 2


DisciplinaCinesiologia3.714 materiais61.690 seguidores
Pré-visualização50 páginas
suaperenidade.
A. I. KAPANDJI
ÍNDICE
oQUADRIL
Movimentosdeflexãodoquadril
Movimentosdeextensãodoquadril
Movimentosdeabduçãodoquadril
Movimentosdeaduçãodoquadril
Movimentosderotaçãolongitudinaldo quadril
O movimentodecircunduçãodo quadril
Orientaçãodacabeçafemorale do cótilo
Relaçõesdassuperfíciesarticulares
Arquiteturado fêmure dapelve
A orlacotilóidee o ligamentoredondo
A cápsulaarticulardoquadril
Os ligamentosdo quadril
Funçãodosligamentosnaflexão-extensão
Funçãodosligamentosnarotaçãoexterna-rotaçãointerna
Funçãodosligamentosnaadução-abdução
Fisiologiado ligamentoredondo
Fatoresdecoaptaçãodacoxo-femoral
Fatoresmuscularese ósseosdaestabilidadedoquadril
Os músculosflexoresdoquadril
Os músculosextensoresdoquadril
Os músculosabdutoresdoquadril
A abdução
O equilíbriotransversaldapelve
Os músculosadutoresdoquadril
Os músculosrotadoresexternosdo quadril
Os músculosrotadoresdoquadril
A inversãodasaçõesmusculares
Intervençãosucessivadosabdutores
oJOELHO
Os eixosdaarticulaçãodojoelho
Os deslocamentoslateraisdojoelho
Os movimentosdeflexão-extensão
A rotaçãoaxia1dojoelho
Arquiteturageraldomembroinferiore orientaçãodassuperfíciesarticulares
As superfíciesdaflexão-extensão
14
16
18
20
22
24
26
28
30
32
34
36
38
40
42
44
46
48
50
52
54
56
58
60
64
66
68
72
76
78
·80
82
84
86
8 ÍNDICE
As superfíciesemfunçãodarotaçãoaxial
Perfil doscôndilose.dasglenóides
Determinismodoperfil côndilo-troc1ear
Os movimentosdoscôndilossobreasglenóidesnaflexão-extensão
Os movimentosdoscôndilossobreasglenóidesnosmovimentosderotaçãoaxial
A cápsulaarticular
O ligamentoadiposo,aspregas,a capacidadearticular
Os meniscosinterarticulares
Os deslocamentosdosmeniscosnaflexão-extensão
Os deslocamentosdosmeniscosnarotaçãoaxial.Lesõesmeniscais
Os deslocamentosdapatelasobreo fêmur
As ligaçõesfêmoro-patelares
Os deslocamentosdapatelasobrea tíbia
Os ligamentoslateraisdojoelho
A estabilidadetransversaldojoelho
A estabilidadeântero-posteriordojoelho
As defesasperiféricasdojoelho
Os ligamentoscruzadosdojoelho
Ligaçõesdacápsulae dosligamentoscruzados
Direçãodosligamentoscruzados
Funçãomecânicadosligamentoscruzados
A estabilidaderotatóriadojoelhoemextensão
Os testesdinâmicosemrotaçãointerna
Os testesdinâmicosderupturado ligamentocruzadoântero-externo
Os testesdinâmicosemrotaçãoexterna
Os músculosextensoresdojoelho
Fisiologiado retoanterior
Os músculostlexoresdojoelho
Os músculosrOladoresdojoelho
A rotaçãoautomáticadojoelho
O equilíbriodinâmicodojoelho
o TORNOZELO
O complexoarticulardopé
A flexão-extensão
As superfíciesdatíbio-tarsiana
Os ligamentosdatíbio-tarsiana
Estabilidadeântero-posteriordotornozeloe fatoreslirnitantesdaflexão-extensão
Estabilidadetransversaldatíbio-tarsiana
As articulaçõestíbio-fibulares
Fisiologiadasarticulaçõestíbio-fibulares
88
90
92
94
96
98
100
102
104
106
108
110
112
114
116
120
122
124
126
128
130
136
140
142
144
146
148
150
152
154
156
160
162
164
166
168
170
172
174
OPÉ
Os movimentosderotaçãolongitudinale delateralidadedopé
As superfíciesarticularesdasubastragaliana
Congruênciae incongruênciadasubastragaliana
O astrágalo,um ossosingular
Os ligamentosda articulaçãosubastragaliana
A médio-tarsianae os seusligamentos
Os movimentosnasubastragaliana
Osmovimentosna subastragalianaenamédio-tarsiana
Os movimentosnamédio-tarsiana
Funcionamentoglobaldasarticulaçõesdo tarsoposterior
O cardãoheterocinéticodaparteposteriordopé
As cadeiasligamentaresdeinversãoe eversão
As articulaçõescúneo-escafóides,intercuneiformese tarso-metatarsianas
Movimentosnasarticulaçõesdotarsoanteriore nametatarsiana
A extensãodosdedosdopé
Músculosinterósseose lumbricais
Músculosdaplantadopé
Canaistendinososdo dorsoe daplantadopé
Os flexoresdo tornozelo
O trícepssural
Os outrosextensoresdotornozelo
Os músculosabdutores-pronadores:Os fibulares
Os músculosadutores-supinadores:Os tibiais
A ABÓBADA PLANTAR
A abóbadaplantaremconjunto
O arcointerno
O arcoexterno
O arcoanteriore acurvaturatransversal
Distribuiçãodascargase deformaçõesestáticasdaabóbadaplantar
O equilíbrioarquitetônicodopé
Deformaçõesdinâmicasdaabóbadaplantarduranteamarcha
Deformaçõesdinâmicassegundoa inclinaçãolateraldapernasobreo pé
Adaptaçãodaabóbadaplantaraoterreno
Os péscavos
Os péschatos
Os desequilíbriosdo arcoanterior
BIBLIOGRAFIA
MODELOS DE MECÂNICA ARTICULAR PARA CORTAR E ARMAR
ÍNDICE DE ABREVIATURAS
ÍNDICE 9
178
180
182
184
186
188
190
192
194
196
198
200
202
204
206
208
210
212
214
216
220
222
224
228
230
232
234
236
238
240
242
244
246
248
250
253
255
279
10 FISIOLOGIA ARTICULAR
2.MEMBRO INFERIOR 11
12 FISIOLOGIA ARTICULAR
o quadril é a articulaçãoproximaldo
membroinferior: situadana raiz do membro
inferior,asuafunçãoéorientar-lheemtodasas
direçõesdoespaço,porissopossuitrêseixose
trêsgrausdeliberdade(fig.1-1):
- um eixo transversalXOX', situadono
planofrontal,aoredordoqualseexecu-
tamosmovimentosdefiexão-extensão;
- umeixoântero-posteriorYOY', situado
noplanosagital,quepassapelocentro
daarticulação,aoredordoqualsereali-
zamosmovimentosdeabdução-adução;
- um eixo verticalOZ, queseconfunde
como eixolongitudinalOR domembro
inferiorquandoo quadrilestánumapo-
siçãodealinhamento.Esteeixolongitu-
dinalpermiteosmovimentosderotação
externae rotaçãointerna.
Os movimentosdo quadrilsãorealizados
por umaúnicaarticulação:a articulaçãocoxo-
femoral,emformadeenartrosemuitocoapta-
da.Estacaracterísticaseopõetotalmenteà da
articulaçãodoombro,quesecaracterizaporser
umverdadeirocomplexoarticularcujaarticula-
çãoescápulo-umeralé umaenartrosecompou-
cacapacidadedecoaptaçãoeumagrandemobi-
lidadecomdetrimentodaestabilidade.Conse-
qüentemente,a articulaçãocoxofe~oraltem
menosamplitudedemovimento- compensa-
da,emcertamedida,pelacolunavertebrallom-
bar-; contudo,émuitomaisestáveleé aarti-
culaçãomaisdifícil de luxarde todoo corpo.
Todasestascaracterísticasprópriasdo quadril
estãocondicionadaspelasfunçõesdesuportedo
pesocorporale de locomoçãodesempenhadas
pelomembroinferior.
Foi justamenteporcausadaarticulaçãodo
quadrilquesurgiuaeradasprótesesarticulares,
transformandoacirurgiadoaparelholocomotor.
Estaarticulação,aparentementea maissimples
deamoldar,devidoàssuassuperfíciesarticula-
resmuitoparecidascomasdeumaesfera,ainda
hoje provocamuitosproblemas:dimensãoda
esferaprotética,naturezadassuperfíciesdecon-
tatocomrelaçãoaocoeficientedeatrito,resis-
tênciaaodesgaste,eventualtoxicidadedosresí-
duosdo desgaste;mas,principalmente,o pro-
blemamaisdifícil de abordaré a uniãocomo
ossovivo,soba controvérsiadeincrustaçãoou
não.Tambémgraçasaoquadril,a investigação
sobreasprótesesse desenvolveudetal forma
que a quantidadede modelosdisponíveisau-
mentoubastante.
Fig.1-1
z
2.MEMBRO INFERIOR 13
X'
14 FISIOLOGIA ARTICULAR
MOVIMENTOS DE FLEXÃO DO QUADRIL
A ftexãodoquadrilé o movimentoquepro-
duzo contatodaface anteriorda coxacomo
tronco,demodoquea coxae asporçõesrema-
nescentesdomembroinferiorultrapassamo pla-
no frontaldaarticulação,situando~sepordiante
dela.
A amplitude da flexãovariadependendode
diversosfatores:
No conjunto,aftexãoativadoquadrilnãoé
tãoamplacomoa passiva.A posiçãodojoelho
tambémintervémnaamplitudedaftexão:quando
o joelhoestáestendido(fig. 1-2),a ftexãonão
passados90°,aopassoquequandoojoelhoestá
fiexionado(fIg.1-3),atingeouultrapassaos120°.
No que diz respeitoà flexãopassiva,a
suaamplitudesempreultrapassaos