Kapanji - volume 2

Kapanji - volume 2


DisciplinaCinesiologia3.718 materiais61.779 seguidores
Pré-visualização50 páginas
maléolo interno:
- por dentroé atravessadapelo tendãodo
tibial anterior(TA), cuja bainhaserosaas-
cende duas travessasde dedo acima de
suamargemsupenor,
- porfora é reforçadaemprofundidadepe-
lo ligamento fundiforme, cujas fibras se
originame se terminamno seio do tarso,
demodoqueformamduasespirais:
- o ramo interno, que contémo tendão
do extensorpróprio do hálux (Eph),
envolvido por uma bainha serosaque
ultrapassapor pouco o ligamento anu-
lar por cima;
- o ramo externo destinadoaos tendões
do extensor comumdosdedos(Ecd) e
dofibularanterior(FA) envolvidosnu-
ma bainha serosa comum localizada
umpoucomaisacimado quea anterior.
O restodos tendõespassampelos canais retro-
maleolares.
Por trás do maléoloexterno(fig. 4-90) sedesli-
zamporumcanalosteofibroso(1) quesai do ligamen-
to anularexterno,os dois tendõesparalelosdofibular
lateralcurto(FLC) paracimae paraa frente,e dofi-
bularlaterallongo(FLL) paratráse abaixo.Após re-
fletir-seno vérticedo maléoloficamfixadosà faceex-
ternado calcâneoemdoiscanaisosteofibrosos(3 e4),
apoiadosnotubérculodosfibulares(5). Suabainhase-
rosacomumsedesdobranesteponto.Então, o FLC se
fixana estilóidedo 5Q ossodo metatarso(6) e na base
do 4Q\u2022 Um pequenofragmento(7) foi ressecadopara
comprovarquandoo tendãodo FLL mudade direção
paraintroduzir-seno canaldo cubóide.A seguir,apa-
recedenovonaplantado pé(fig.4-90), envolvidopor
uma nova bainha serosa,dirigindo-se obliquamente
paradiantee paradentronum canalosteofibrosofor-
mado,acima,pelo esqueletoe, abaixo,pelasfibrasdo
fascículosuperficialdo ligamentocalcâneo-cubóide
plantar(fascículoprofundo,8) estendidasdo calcâneo
(9) atéo cubóidee a basede todosos ossosdo meta-
tarso(x) epelasexpansõesterminais(10)dotendãodo
tibialposterior(TP). O tendãodo FLL sefixa na base
do 1Q osso do metatarso(11) e enviaexpansõesao 2Q
ossodo metatarsoeao 1Q cuneiform~.De maneiraqua-
seconstante,na entradano canal,selocalizaum sesa-
móide(12) quefacilita suareflexão.
Portanto, a face plantar do tarso é cobertapor
trêssistemasfibrosos:
- as fibras longitudinais do grandeligamento
calcâneo-cubóideplantar;
- as fibras oblíquas para diantee para dentro
do tendãodo fibular laterallongo;
- as fibras oblíquasparadiantee parafora das
expansõesdo tendãodo tibial posterior,des-
tinadasa todososossosdotarsoedometa-
tarsosalvoosdoisossosdometatarsoloca-
lizadosnosextremos.
Por trás do maléolo interno (fig. 4-92) sedes-
lizam, por canaise bainhasdiferentes,emariaçõesdo
ligamento anular interno, três tendõesdispostos de
diantepara tráse de dentroparafora:
- o tibial posterior (TP), em contatocom o
maléolo interno:apósrefletir-seno seucanal
(13) sobre o vértice do maléolo, se fixa no
tubérculodo escafóide(14) e envianumero-
sasexpansõesplantares(10);
- o flexor comum dos dedos (Fd) se desliza
com o anteriore junto à margeminternado
sustentáculo(15,ver tambémfigo4-94) antes
de atravessaro tendãodo flexor próprio por
baixo (16);
- o flexor próprio do hálux (Fph) passa,em
primeiro lugar,entreosdois tubérculosposte-
riores (17) do astrágalo(ver tambémpág.
166),e em segundolugar,debaixodo rebordo
do sustentáculo(18,vertambémfigo4-94),de
modo quemudadedireçãoduasvezes.
Dois cortesfrontais(fragmentosanteriores,lado
direito), cujo nível fica especificadopelassetasA e B
nasfigs. 4-90 e4-92, ilustramperfeitamenteasdispo-
sições dos tendõese suas bainhasnos canais retro-
maleolares:o corteA (fig. 4-93) compreendeos ma-
léolos; o corteB (fig. 4-94), maisanterior,selocaliza
no nível do sustentáculoe do tubérculodos fibulares.
2. MEMBRO INFERIOR 213
FLC
5
FLL
8
9
12
6
16
Fig.4-92
FLL
FLC
3
5
4
a
b
Fig.4-89
2Tdd
FLC
FLL
1
Abd.5
TP
Fd
Fph
Adu.h
S
FPC
Fig.4-93
Fig.4-94
214 FISIOLOGIA ARTICULAR
OS FLEXORES DO TORNOZELO
A mobilidadedopéedaparteposteriordopé
serealizagraçasaosmúsculosfiexoreseextenso-
resdotornozelo,agindocomrelaçãoaoseixosdo
complexoarticulardotarsoposterior,talcomose
definiramno cardãheterocinético(fig.4-95);de
fato,parecepreferívelabandonaro antigoesque-
made Ombredane(fig.4-96)no qualos eixos
XX' eZZ' sãoperpendiculares,vistoquenãoco-
rrespondeà realidade.Pordefinição,oseixosXX'
eUU' docardãheterocinéticonãosãoperpendi-
cularesentresi,o queintroduzdireçõespreferen-
ciaisdemovimentos,característicareforçadapela
desigualdistribuiçãodosmúsculos.Osdoiseixos
docardãdeterminamquatroquadrantesnosquais
sedistribuemdezmúsculosetrezetendões.
Todososmúsculossituadosdiantedoeixo
transversalXX' sãofiexoresdotornozelo,em-
borapossamserclassificadosem dois grupos
comrelaçãoaoeixodeHenkeDD':
- osdoismúsculoslocalizadospor den-
tro desteeixo,istoé,o extensorpróprio
do hálux(Eph)e o tibialanterior(TA).
quantomaisafastadosestejamdesteei-
xomaisadutoresesupinadoresserãoao
mesmotempo:issosignificaqueo tibial
é maisadutor-supinadordoque exten-
sorpróprio;
- osdoismúsculoslocalizadospor fora
desteeixo,a saber,o extensorcomum
dos dedos(Ecd) e o fibular anterior
(FA), são abdutorese pronadoresao
mesmotempo.Pelamesmarazão,o fi-
bularé maisabdutor-pronadordoqueo
extensorcomum.
Paraconseguirumafiexãopuradetornoze-
lo, semcomponentedeadução-supinaçãooude
abdução-pronação,é necessárioqueestesdois
gruposmuscularesatuemsimultâneaeequilibra-
damente;são,porconseguinte,antagonistas-si-
nergistas(estasaçõespodemreproduzir-seno
modelomecânicodopénofinaldovolume).
Entre os quatro flexores do tornozelo,
doisseinseremdiretamentenotarsoounome-
tatarso:
- o tibialanterior(fig.4-97)seinsereno
primeirocuneiformeenoprimeiroosso
dometatarso; .
- o fibularanterior(fig.4-98),músculoin-
constanté,masfreqüente(90%dosca-
sos),seinserenabasedoquintoossodo
metatarso.
Portanto,suaaçãono pé é diretasemne-
cessidadedenenhumauxiliar.
Não ocorreo mesmocom os outrosdois
músculosfiexoresdo tornozelo:o extensorco-
mumdosdedose o extensorprópriodo hálux,
queagemnosdedos:seosinterósseos(Is)estabi-
lizamosdedosemalinhamentonormalouemfie-
xão(fig.4-98),o extensorcomuméflexordotor-
nozelo,porémseosinterósseossãofracos,afle-
xãodotornozeloserealizaráàcustadagarrados
dedos(fig.4-102).Igualmente(fig.4-97),o fato
dequeosmúsculossesamóides(Ss)estabilizem
o hálux,permiteaoextensorpróprioflexionaro
tornozelo.Quandoos sesamóidessãofracos,a
açãodo extensorprópriosobreo tornozelovai
acompanhar-sedeháluxemgarra(fig.4-100).
Quandoosmúsculosdocompartimentoan-
teriorda pernase paralisamou enfraquecem,
eventualidaderelativamentefreqüenteno caso
depatologia,nãoépossívellevantara pontado
pé(fig.4-99):sefalaentãode"péeqüino"(oca-
valo,equusemlatim,realizaa marchasobrea
pontadosdedos).Duranteamarcha,o indivíduo
éforçadoalevantarapernaparaqueapontado
pénãoarrastepelochão:é a marcha"emstep-
page".Emalgunscasos,o extensorcomumcon-
servacertaeficácia(fig. 4-101):o pé, embora
caído,édesviadoparafora,setrataentãodeum
pé"eqüino-valgo".
2. MEMBRO INFERIOR 215
j
\
Fig.4-97
Fig.4-101
Fig.4-98
Fig.4-95
Ecd
F1f:
Fph
T
FLEX.
ADU.
SUPIN.
Eph
TA
Fig.4-102
216 FISIOLOGIA ARTICULAR
oTRÍCEPS SURAL
Os músculosextensoresdotornozelopas-
samtodosatrásdoeixoXX' deflexão-extensão
(fig. 4-96). Em teoria,existemseismúsculos
extensoresdatíbio-tarsiana(semcontaro plan-
tardelgado,vistoquesepodeomitirtotalmen-
te).Na prática,somenteo trícepséeficaz:tam-
bémé umdosmúsculosmaispotentesdo cor-
po, depoisdo glúteomáximoe do quadríceps.
Por outraparte,suaposiçãoligeiramenteaxial
fazdeleumextensor.
Comoo seunomeindica,o trícepssuralé
formadopor três corpos musculares (fig.
4-103)que possuemum tendãoterminalco-
mum,o tendãodeAquiles(1),queseinserena
faceposteriordocalcâneo(verpáginaseguin-
te).Dastrêsporções,somenteumaé monoar-
ticular,o solear (2):queseinseresimultanea-
mentenatíbiae nafíbulaeno arcofibrosodo
solear (3) que unifica estasduas inserções.
Músculo profundo,representadoaqui