Kapanji - volume 2

Kapanji - volume 2


DisciplinaCinesiologia3.746 materiais62.025 seguidores
Pré-visualização50 páginas
criticam o concei-
to de abóbada,queconsiderammuito estático,e
opinam, com certasjustificativas,que os arcos
externose anterioressomentesão construções
da imaginação.Eles preferemcomparar o pé
com urna "armadurade carpintaria" (fig. 5-4),
parteda armaçãocom duasvigas(SA) e (SB),
articuladasconjuntamenteno remate(S), e su-
tentadasna basepor um tirantedecoberta(AB)
queimpedequeo triângulocaiadebaixoda car-
ga sobreo remate.Portanto,o pé somenteteria
urna abóbadaaxial com um tirante de coberta
principal compostoessencialmentepor potentes
ligamentos plantarese músculos plantarese
dois tirantes laterais secundários,no nível do
quesedenominava,atéentão,de arcosinternoe
externo.Certamente,esteconceitocorresponde
melhor à realidadeanatômica,e particularmen-
te,no quediz respeitoaoselementosligamenta-
res e muscularesqueformamcordasde arcose
que, de fato, tambémpodem ser comparados
com tirantes de coberta.Contudo, os termos
abóbadae arcosestãotãoexpandidose tãoacei-
tos na linguagem,que é preferívelseguirutili-
zando-Ihesde forma paralelaaostermosde ar-
madurade carpintariae tirantesdecoberta.Co-
rno é freqüenteem biomecânica,duas noções
que parecemcontraditóriasnão se excluem e
participamnum conceitosintético.Portanto,se
continuaráempregandoos termosde abóbada
plantare arcos.
A abóbadaplantar (fig. 5-5, vistainterna,
transparente)nãoformaumtriânguloequilátero,
masao ter trêsarcose trêspontosde apoio,sua
estruturaé comparável:seus pontos de apoio
(fig. 5-6, o pé visto desdecima, supostamente
transparente)estãoincluídos nazonadecontato
com o chão,ou impressãoplantar (tracejada).
Correspondemà cabeçado primeiroossodo
metatarso(A), à cabeçadoquintoossodome-
tatarso(B) e às tuberosidadesposterioresdo
calcâneo(C). Cadapontodeapoioécomumaos
dois arcoscontíguos.
O arco anterior,o mais curto e baixo, se
localiza entreos dois pontosdeapoioanteriores
A e B. O arcoexterno,de longitudee alturain-
termédias,se localiza entreos dois pontos de
apoio externosB e C. Por último,o arcointer-
no,o mais longo e alto,selocalizaentreos dois
pontosde apoio internosC eA. Ele é o maisre-
levantedos três,tantono plano estáticoquanto
no dinâmico.
De modo que a forma da abóbadaplantar
(parteinferior da figo5-5) é semelhantea uma
vela triangular inflada pelo vento.O seuvérti-
ce é deslocadopara trás e o peso do corpo se
exerce na sua vertente posterior (seta) num
ponto (cruz pretada figo5-6) situadono centro
da gargantado pé.
2. MEMBRO INFERIOR 229
A
c
B
Fig.'5-2
s
,~A- -B
A
c
Fig.5-3
A B
B
Fig.5-4
Fig.5-5
c
230 FISIOLOGIA ARTICULAR
oARCO INTERNU
Entreosseusdoispontosdeapoioanterior
(A) e posterior(C), o arcointerno(fig.5-7),in-
cluicincopeçasósseas;dedianteparatrás:
- oprimeiroossodometatarso(M), cujo
únicocontatocomo chãoé suacabeça;
- oprimeirocuneiforme(C), semcontato
algumcomo chão;
- o escafóide(esc),chavedaabóbada(tra-
cejado)destearco,localizadoa 15-18
mmporcimadochão;
- o astrágalo(astr),querecebeasforças
transmitidaspela pernae as reparte
(verfigo5-34)pelaabóbada;
- ocalcâneo(cale),cujoúnicocontatocom
o chãoépelasuaextremidadeposterior.
A transmisãodasforçasmecânicassepode
constatar(fig.5-8)nadisposiçãodastrabécu-
Ias ósseas:
- astrabéculasoriginadasnacorticalan-
teriorda tíbiapercorrem,oblíquaspara
baixoe atrás,o arcobotanteposterior,
atravessandoo corpodo astrágalopara
expandir-seno lequesubtalâmicoparao
arcobotanteposteriordoarco;
- astrabéculasoriginadasnacorticalpos-
teriorda tíbiaseorientamparabaixoe
adianteno coloe a cabeçadoastrágalo,
paraatravessaroescafóideeoarcobotan-
teanterior:cuneiformeemetatarsiano.
O arcointernoconservasuaconcavidade
graçasaosligamentoseaosmúsculos(fig.5-7).
Numerososligamentosplantares unem
ascincopeçasósseas:cúneo-metatarsiana,cú-
neo-escafóide,masespecialmentea calcâneo-
escafóideinferior (1) e a subastragalianaou
astrágalo-calcânea(3). Eles resistemtodasas
forçasviolentas,emborade curtaduração,ao
contráriodosmúsculosqueseopõemàsdefor-
maçõesprolongadas.
Osmúsculosqueunemdoispontosmaisou
menosafastadosdoarcoformamcordasparciais
outotais.Elesagemcomoverdadeirostensores.
O tibial posterior(TP) constituiumacor-
da parcial(fig. 5-10) situadapertodo vértice
doarco,porémo papelquedesempenhaépri-
mordial.De fato (fig. 5-9), dirigeo escafóide
parabaixoe atrás,sob a cabeçado astrágalo
(círculotracejado);a um encurtamentorelati-
vamentepouco importante(e) corresponde
umamudançade orientaçãodo escafóideque
determinaum descensodo arc9botanteante-
rior.Alémdisso,asexpansõesplantaresdoseu
tendão(fig. 5-7,3) seentrelaçamcomos liga-
mentosplantares'de modoqueincidemsobre
ostrêsmetatarsianosmédios.
O fibular laterâllongo (FLL) tambémin-
flui sobreo arcointernocujacavidadeaumen-
ta (fig. 5-11),flexionandoo primeiroossodo
metatarsosobreo primeirocuneiforme,e este
por suavez sobreo escafóide(fig. 5-9) (ver
tambémsuaaçãosobreacurvaturatransversal,
pág.234).
O flexor próprio do hálux (Fph) forma
umacurvaturasubtotal(fig.5-12)doarcointer-
no;portanto,agecompotênciaemsuaconcavi-
dade,ajudadopelo flexor comumdos dedos
(Fd)queo cruzaparabaixo(fig.5-13).O flexor
própriotambémdesempenhao papeldeestabi-
lizadordo astrágaloe do calcâneo:passando
entreseusdois tubérculosposteriores,seopõe
(fig.5-14)aoretrocessodoastrága10(r)peloes-
cafóidequeempurra(setabranca):emprimeiro
lugar,o ligamentointerósseoentraemtensão(2)
demodoqueo astrágalosedeslocapara dian-
tepelotendãoqueo propulsacomosefossea
cordadeumarcoquelançaaseta.Ao passarpor
baixodaproeminênciadosustentáculodoastrá-
galo(fig.5-15),o tendãodoflexorpróprio,pelo
mesmomecanismo,levantaaextremidadeante-
rior do caleâneoquerecebeo impulsovertical
(setabranca)dacabeçadoastrágalo.
O adutordohálux(Adu.h)constituiacor-
datotaldo arcointerno(fig.5-16).Portanto,é
um tensorparticularmenteeficaz:aumentaa
concavidadedo arco internoaproximandoas
suasduasextremidades.
Contudo(fig. 5-17),o extensorprópriodo
hálux(Eph)- emcertascondições- e o ti-
bialanterior(TA) diminuema suacurvaturae
o achatam.
Fig.5-8
Fig.5-10 ~. TP~ ~~
Fi9.5.11~ ~/ FLL~-.'
Fig.5-16
2.MEMBRO INFERIOR 231
Fd
/~Ph ~FPh
- Fig.5-12 -- Fig.5-13
TA
;Z/~
E:i,. ".17
232 FISIOLOGIA ARTICULAR
oARCO EXTERNO
o arco externosomentecontémtrês peças
ósseas(fig.5-18):
- o quinto osso do metatarso(5ºm), cuja
cabeçaconstituio ponto de apoio ante-
rior (B) do arcoanterior;
- o cubóide (cub), sem nenhum contato
como chão;
- o calcâneo (cale), cujas tuberosidades
posterioresconstituemo ponto de apoio
posterior(C) do arco.
Estearco,aocontráriodointernoquesedesco-
la dochão,estápoucodistanciado(3-5mm)e entra
emcontatocomo chãoatravésdaspartesmoles.
A transmissãodeforçasmecânicas(fig.5-19)
se realizaatravésdo astrágalo,fixadoao calcâneo
pordoissistemastrabeculares:
- Originadasnacorticalanteriordatíbia,as
trabéculasposterioresse expandempara
o lequesubtalâmico;
- Originadasna corticalposteriorda tíbia,
as trabéculasanterioresatravessamem
primeiro lugar o astrágalo,cuja cabeça
repousaempartenaapófisemaiordo cal-
câneoe, em segundolugar, o cubóide,
atravésdo qual alcançamo quinto osso
do metatarsoe o apoioanterior.
Além do lequesubtalâmico,o ca1câneocon-
témdoissistemastrabecularesprincipais:
- um sistemaarciformesuperior, côncavo
parabaixo,quesecondensanumalâmina
compactanochãodoseiodo tarso,suasfi-
brastrabalhamemcompressão;
- um sistemaarciforme inferior, côncavo
paracima,quesecondensana corticalin-
feriordo ossoe trabalhaemalongamento.
Entreestesdoissistemasseencontraumpon-
to fraco(+).
Enquantoo arcointernoé todo flexível,gra-
çasà mobilidadedo astrágalosobreo calcâneo,o
arcoexternoémuitomaisrígidoparapodertrans-
mitir o impulsomotordo tríceps(fig. 5-125,pág.
223).Estarigidezsedeveàpotênciado grande li-
gamentocalcâneo-cubóideplantar, cujos feixes
profundo(4) e superficial(5)