RESUMO CONTABILIDADE BÁSICA
73 pág.

RESUMO CONTABILIDADE BÁSICA


DisciplinaContabilidade / Ciências Contábeis74.668 materiais512.316 seguidores
Pré-visualização17 páginas
1415 \u2013 PROVISÃO PARA O IMPOSTO DE RENDA .............................................................. 1516 \u2013 RESULTADO DO EXERCÍCIO APÓS O IMPOSTODE RENDA (14 \u2013 15) ................................................................................................... 1617 \u2013 PARTICIPAÇÕES*· Debêntures ................................................................... X· Empregados ................................................................. X· Administradores ............................................................ X· Partes Beneficiárias ...................................................... X· Contribuições para Instituições ou Fundos de Assistência ou Previdência de Empregados
.................................................................. X .................................... 17
18 \u2013 LUCRO LÍQUIDO DO EXERCÍCIO (16 \u2013 17) ............................................................ 1819 \u2013 LUCRO LÍQUIDO POR AÇÃO DO CAPITAL ................................................................. 19
Resumão Contabilidade Básica
66
· De acordo com disposições legais, havendo participações no Capital da empresa por
Debêntures (títulos de créditos emitidos pelas Sociedades por Ações), por empregados,
administradores etc., estas participações têm preferência sobre o Lucro Líquido e
deverão ser deduzidas antes que se conheça o Lucro Líquido final.
10.3. DEMONSTRAÇÃO DE LUCROS OU PREJUÍZOS ACUMULADOS
è A Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados evidencia o lucro apurado no
exercício e sua destinação, bem como os eventos que modificaram o saldo da contaLucros ou Prejuízos Acumulados, como correção monetária, ajustes e reversões de
reservas.
Segundo o artigo 186 da Lei n.º6.404/76:
A Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados discriminará:I \u2013 o saldo do início, os ajustes de exercícios anteriores e a CorreçãoMonetária do saldo inicial;II \u2013 as reversões de reservas e o lucro líquido do exercício;III \u2013 as transferências para reservas, os dividendos e a parcela incorporadaao capital e o saldo ao fim do período.§ 1º - Como ajustes de exercícios anteriores serãoconsiderados apenas os decorrentes de efeitos da mudançade critério contábil, ou da retificação de erra imputável adeterminado exercício anterior, e que não possam seratribuídos a fatos subseqüentes.§ 2º - A demonstração de lucros ou prejuízosacumulados deverá indicar o montante do dividendo poração do capital social e poderá ser incluída na demonstraçãodas mutações do patrimônio Líquido, se elaborada epublicada pela companhia.
MODELO DE DEMONSTRAÇÃO DE LUCROS E PREJUÍZOS ACUMULADOS
10.4. DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO
è A Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido mostra as variações
ocorridas nas Contas do Patrimônio Líquido, evidenciando os saldos iniciais, os
ajustes de exercícios anteriores, a correção monetária, os aumentos do Capital, as
reversões de reservas, o Lucro Líquido do Exercício e sua destinação, além dos
saldos finais das respectivas contas que compõem o Patrimônio Líquido da empresa.
1. Saldo no início do período ............................................................................. 1
2. Ajustes de exercícios anteriores (+ ou - ) ...................................................... 2
3. Correção monetária do saldo inicial (+) ......................................................... 3
4. Saldo ajustado e corrigido ............................................................................. 4
5. Lucro ou prejuízo do exercício (+ ou -) .......................................................... 5
6. Reversão de reservas (+) .............................................................................. 6
7. Saldo à disposição ......................................................................................... 7
8. Destinação do exercício· Reserva Legal ............................................. X· Reserva Estatutária ...................................... X· Reserva para Contingência .......................... X· Outras Reservas ........................................... X· Dividendos obrigatórios (R$ por ação) .......... X ....................................... 8
9. Saldo no fim do exercício .............................................................................. 9
Resumão Contabilidade Básica
67
è Essa demonstração financeira está prevista no parágrafo segundo do artigo 186 da Lei
n.º 6.404/76:
§ 2º - A demonstração de lucros ou prejuízos acumulados deverá indicar omontante do dividendo por ação do capital social e poderá ser incluídana demonstração das mutações do patrimônio líquido, se elaborada epublicada pela companhia.
è Como vemos, a Lei das Sociedades por Ações permite que a empresa opte por
elaborar a Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido em substituição à
Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados. Entretanto, a partir de 1985, as
sociedades anônimas de capital aberto ficaram obrigadas, por resolução da Comissão
de Valores Mobiliários \u2013 CVM, a elaborar essa demonstração, ficando dispensadas da
elaboração da Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados.
· Os dados para a elaboração dessa demonstração são extraídos do
livro Razão.
10.5. DEMONSTRAÇÕES DAS ORIGENS E APLICAÇÕES DE RECURSOS
è Esta demonstração tem por objetivo identificar as modificações ocorridas naposição financeira da empresa.
è A posição financeira, conforme definida na Lei das Sociedades por Ações, é oCAPITAL CIRCULANTE LÍQUIDO (CCL) da empresa.
è O CCL, também conhecido por Capital Circulante Próprio, é igual ao AtivoCirculante (AC) menos Passivo Circulante (PC):
CCL = AC \u2013 PC
è Todos os fatos que modificam o Capital Circulante Líquido da empresa fazem parte
da Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos.
.
è Essa demonstração não é obrigatória para todas as empresas; ESTÃO OBRIGADAS
a elaborá-las todas as sociedades anônimas de capital aberto e as de capitalfechado que possuam Patrimônio Líquido superior a R$ 1.000.000 (um milhão de
Reais) na data do Balanço.
è Veja o que dispõe o artigo 188 da Lei n.º 6.404/76:
A demonstração das origens e aplicações de recursos indicará as modificaçõesna posição financeira da companhia, discriminando:I \u2013 as origens dos recursos, agrupadas em:a) lucro do exercício, acrescido de depreciação, amortização ou exaustão eajustado pela variação nos resultados de exercícios futuros;b) realização do capital social e contribuições para reservas de capital;c) recursos de terceiros, originários do aumento do passivo exigível a longoprazo, da redução do ativo realizável a longo prazo e da alienação deinvestimentos e direitos do ativo imobilizado;
Resumão Contabilidade Básica
68
II \u2013 as aplicações de recursos, agrupadas em:a) dividendos distribuídos;b) aquisição de direitos do ativo imobilizado;c) aumento do ativo realizável a longo prazo, dos investimentos e do ativodiferido;d) redução do passivo exigível a longo prazo;
III \u2013 o excesso ou insuficiência das origens de recursos em relação àsaplicações, representando aumento ou redução do capital circulante líquido;
IV \u2013 os saldos, no início e no fim do exercício, do ativo e passivo circulantes, omontante do capital circulante líquido e o seu aumento ou redução durante oexercício.
MODELO DE DEMONSTRAÇÃO DAS ORIGENS E APLICAÇÕES DE RECURSOS
10.6. NOTAS EXPLICATIVAS
è As notas explicativas são informações que visam complementar as demonstrações
financeiras e esclarecer os critérios contábeis utilizados pela empresa, a composição
dos saldos de determinadas contas, os métodos de depreciação, os principais critérios
de avaliação dos elementos patrimoniais etc.
1 \u2013 ORIGENS DOS RECURSOS
a. Lucro Líquido do Exercício
(+) Depreciação, amortização ou exaustão
(+ ou -) Variação nos Resultados de Exercícios Futuros
(+ ou -) Resultado da Correção Monetária das Demonstrações Financeiras
b. Realização do Capital Social
c. Contribuições para Reservas de Capital
d. Aumento do Passivo Exigível a Longo Prazo
e. Redução do Ativo Realizável a Longo Prazo
f. Alienação de Investimentos e Direitos