livro-branding-o-manual-para-voce-criar-gerenciar-e- avaliar-marcas
313 pág.

livro-branding-o-manual-para-voce-criar-gerenciar-e- avaliar-marcas


DisciplinaDesign Gráfico816 materiais15.019 seguidores
Pré-visualização50 páginas
do mecanismo de funcionamento 
do NameBuilder, ou da criação de nomes que se tornarão futuras marcas. 
Após alguns anos de experiência na criação de centenas de nomes, é 
possível percebermos três coisas:
José RobeRto MaRtins
\ufffd4
\u2022 A maioria das pessoas utiliza-se do mesmo processo mental para criar 
nomes;
\u2022 A maioria dos consultores de naming utiliza-se do mesmo processo e
\u2022 Que não existiam softwares capazes de acelerar o processo de criação.
Exemplo
Aqui vai um exemplo de técnica de criação de nome. Se o produto 
ao qual você está dando um nome for grande em tamanho, capacidade 
e habilidades frente aos seus concorrentes, você pode começar com 
uma seção bem enxuta de palavras como Maxi, Mega, Super, Giga ou 
Extra. O próximo passo seria adotar uma característica do produto ao 
qual você está dando o nome. Por exemplo, se eu estivesse precisando 
de um nome para um computador, cujo maior benefício fosse a grande 
capacidade de memória, eu poderia tentar a sorte com MegaBYTE, 
ExtraRAM, HyperHD, SuperMEMORY, etc., dispensando a necessidade 
de dar maiores explicações aos meus consumidores, já que está clara 
a associação do nome com o produto ou o benefício que eu ofereço, 
embora à custa da baixa diferenciação que aquelas alternativas de nomes 
possuem.
Já, se você estivesse buscando um nome no setor de serviços, 
digamos um novo banco ou financeira, poderia aplicar o mesmo princípio 
de construção de palavras na montagem dos nomes, se o propósito for 
posicionar qualquer intenção de tamanho ou porte: SuperFIN, MegaCRED, 
MaxiBANK e TopGRANA são apenas alguns exemplos. Essas são idéias 
muito simples, provavelmente já existentes e registradas, que mostram 
como o processo funciona, cuja estrutura igualmente se aplica à alguns 
nomes reais já bem conhecidos: FedEx, , MicroSoft, DuraCell, BrasilCap, 
CitiBank, CommCenter\u2026 .
bRanding
\ufffd5
Vinte nomes famosos e 
como eles foram criados
Veja a lista de algumas histórias de marcas internacionais importantes. 
Mais do que simples curiosidades, elas podem auxiliá-lo em processos 
de criação de nomes e, principalmente, alertá-lo sobre alguns riscos e 
oportunidades.
1. ADIDAS: a empresa foi fundada nos anos 20, como uma sociedade 
Alemã, por Adolf (\u201cAdi\u201d) Dassler (1900-1978), sendo a marca 
formada pela forma diminutiva do seu nome, com as três primeiras 
letras do sobrenome;
2. ALCAN: forma abreviada de Aluminium of Canada, hoje Alcan 
Aluminium, fundada em 1928;
3. ALFA ROMEO: o engenheiro francês Alexandre Darracq, que 
começou sua carreira produzindo uma bicicleta popular (da marca 
Gladiator), chegou a indústria automobilística em 1906 produzindo 
cabines para táxi na cidade de Portobello, Itália. Em 1910, a empresa 
foi comprada pela Societá Anonima Lombarda Fabbrica Automobili, 
produzindo o mesmo produto sob o nome ALFA (das iniciais do nome 
da empresa). Em 1914, Nicola Romeo tornou-se o administrador 
da empresa, cujo nome tornou-se Societá Anonima Ing. N. Romeo. 
Após a Primeira Guerra Mundial, os carros da empresa passaram a 
chamar-se Alfa-Romeo. Coincidentemente, Alfa é o equivalente em 
italiano a Alpha, um prefixo de alto prestígio;
4. ALKA-SELTZER: o preparado é alcalino (alkaline, em inglês), isto é, 
antiácido e, quando em solução adquire efervecência como a água 
Seltzer, uma água mineral medicinal de Nieder-Selters na Alemanha;
5. AUDI: o carro foi criado em 1909 pelo Dr. August Horch, fundador 
da Horch-Werke, em Zwickau. O Dr. Horch originalmente produziu 
José RobeRto MaRtins
\ufffd\ufffd
carros com o seu próprio nome, mas perdeu o controle da empresa 
e, por razões legais, não pode mais utilizar o nome como marca em 
outros carros. Ele, ingenuamente, traduziu seu sobrenome para o 
Latim (audi) sendo o significado de \u201couça!\u201d, o mesmo em alemão 
da palavra \u201chorch\u201d. Apesar de ser um nome famoso, a empresa 
nunca teve uma vida de controle acionário estável. Após o Dr. 
Horch, a empresa passou para o controle da DKW em 1931 e para a 
Volkswagen em 1971;
6. CHEVROLET: vem de Louis Chevrolet, um engenheiro suiço 
envolvido no negócio de bicicletas na França. Em 1909, na América, 
fez experiências para um carro de seis cilindros para Willian Crapo 
Durant, para quem trabalhava como piloto de corridas. Dois anos 
depois, Chevrolet criou a Chevrolet Motor Co;
7. CINZANO: vem do sobrenome de dois irmãos italianos, Carlo 
Stefano Cinzano e Giovanni Giacomo Cinzano, os quais, em 1757, 
começaram o negócio de destilarias na vila de Pecetto, próxima a 
Turin, Itália;
8. COKE: forma alternativa do nome Coca-Cola (criado em maio de 
1886), de uso popular antes da Primeira Guerra, que passou a ser 
utilizada pela empresa rival Koke Company of America, que produzia 
uma bebida similar. Temendo o receio da perda de identidade, a 
Coca-Cola recorreu à Suprema Corte, sendo que em 1920 passou a 
adotar a marca Coke após ganho de causa;
9. KODAK: nome criado em 1888, sem nenhum significado, sugestão 
ou derivação de qualquer coisa. Foi inventado pelo fotógrafo 
americano George Eastman, registrado em 4 de setembro daquele 
ano. Felizmente, após alguns anos, Eastman estava vivo para 
explicar que as razões que o levaram a adotar esse nome foram 
puramente técnicas. Segundo as suas palavras, \u201cum bom nome 
bRanding
\ufffd\ufffd
precisa ser curto, vigoroso, incapaz de confundir a identidade e, 
para satisfazer as leis de propriedade intelectual, não deve significar 
nada já existente. A letra K foi escolhida por ser forte e incisiva. O 
nome deveria começar e terminar com K. Depois foi uma questão 
de combinar letras entre os espaços\u201d. Alguns sugerem no nome 
uma onomatopéia, e o fato de a letra K ser a primeira do nome 
de sua mãe. Mas, segundo o próprio Eastman, tratou-se de uma 
escolha puramente técnica e, diga-se, um trabalho primoroso de 
naming, isso em 1888!
10. KLEENEX: os famosos lenços de papel surgiram em 1924, criados 
pela Kimberly-Clark. O nome foi formado através do prefixo \u201cclean\u201d 
e do sufixo \u201cex\u201d. Natural que a letra \u201cC\u201d fosse substituída pelo \u201cK\u201d 
do nome da empresa. Quanto ao \u201cex\u201d, pode tanto denotar \u201cdistante\u201d 
quanto apenas um jogo de letras para melhorar a sonoridade do 
nome, tornando-o de interpretação rápida e simples, alguns dos 
atributos do produto;
11. PALMOLIVE: deriva de \u201cpalm\u201d e \u201colive\u201d, óleos contidos no primeiro 
sabonete fabricado em Milwaukee, Estados Unidos, em 1898;
12. PEPSI-COLA: a segunda parte do nome (Cola), não é registrada 
desde que ganhou a condição de genérica após alguns entraves legais 
causados pela Coca-Cola. O nome Pepsi foi desenvolvido em 1898 
por Caleb D. Bradham, gerente de uma drugstore em New Bern, 
Carolina do Norte, Estados Unidos. Seu elixir foi patenteado depois 
da Coca-Cola, e foi desenvolvido para aliviar a dispepsia (dyspepsia), 
um distúrbio da função digestiva;
13. REVLON: deriva de Charles Revson, que fundou a empresa em 1932, 
sendo a inclusão do \u201cL\u201d uma forma de acomodar a inicial do nome de 
um dos seus sócios, Charles Lachman, que também foi homenageado 
com um dos primeiros lançamentos da marca, o perfume Charlie;
José RobeRto MaRtins
\ufffd\ufffd
14. ROLEX: a empresa que veio a ser a Rolex, foi fundada em Londres 
por Hans Wilsdorf, cuja escolha pelo nome foi arbitrária, sem 
nenhum significado especial. O nome é adequado para relógios por 
ser curto e sugerir \u201crolling\u201d (em \u201cpassando, rolando\u201d), sendo fácil de 
pronunciar e lembrar. Rolex é tida como a primeira marca a utilizar o 
sufixo \u201cex\u201d. Os relógios Timex, por exemplo, vieram muito depois. 
O modelo Rolex Oyster à prova d\u2019água, foi lançado em 1926;
15. SANYO: o nome da marca japonesa significa \u201ctrês oceanos\u201d, 
supostamente para descrever