Revisão AV2 - Ensino Clínico II
48 pág.

Revisão AV2 - Ensino Clínico II


DisciplinaEnsino Clinico II598 materiais6.647 seguidores
Pré-visualização5 páginas
31/05/2013
1
REVISÃO SAÚDE DA MULHER
Professora Ruth Cristini
HERPES GENITAL (HSV1 ou HSV2)
\u2022 No caso de suspeita clínica de 1º episódio de herpes
genital, iniciar o tratamento o mais precocemente
possível com:
\u2022 Aciclovir 200mg, 4/4 h ou 400 mg, VO, 8/8
horas, por 7 dias
\u2022 Gestantes: tratar o primeiro episódio em qualquer
trimestre da gestação.
31/05/2013
2
SÍFILIS
SÍFILIS- TRATAMENTO
\u2022 SÍFILIS PRIMÁRIA:
\u25ab PENICILINA G. BENZATINA- 2.400.000 UI, IM, 
DOSE ÚNICA, FRACIONADA EM CADA NÁDEGA
\u2022 SÍFILIS RECENTE, SECUNDÁRIA E LATENTE
\u25ab PENICILINA G. BENZATINA- 2.400.000 UI, IM, UMA 
VEZ POR SEMANA, DURANTE DUAS 
SEMANAS.TOTAL: 4.800.000 UI
\u2022 SÍFILIS TARDIA (LATENTE E TERCIÁRIA)
\u25ab PENICILINA G. BENZATINA- 2.400.000 UI, IM, UMA 
VEZ POR SEMANA, DURANTE TRÊS SEMANAS. 
TOTAL: 7.200.000 UI
31/05/2013
3
\u2022 SÍFILIS NA GESTANTE
\u2022 Tratamento: Penincilia G Benzatina \u2013 IM,
7.200.000 UI, 3 doses, 7/7 dias
\u2022 Deve-se realizar titulação por VDRL mensalmente
após a terceira dose do tratamento, até o final da
gestação, para acompanhar a eficácia do tratamento e
possíveis reinfecções.
\u2022 Caso o resultado da titualação não apresente redução
ou volte a subir, ex: 1:2 para 1:8, considerar o
tratamento como inadequado ou como não tratada e
realizar novamente o esquema de tratamento.
ATENÇÃO
\u2022 Alergia a penicilina \u2013 eritromicina 
(estearato) 500 mg, VO, 6/6 horas por 15 dias
31/05/2013
4
VAGINOSE BACTERIANA
Agente Etiológico: Gardnerella vaginalis
\u2022 Apresentação Clínica: secreção vaginal acinzentada, cremosa,
aderente às paredes vaginais e colo com odor fétido.
\u2022 Tratamento
GARDNERELLA
Gestantes após o 1º trimestre e durante a 
amamentação
\u2022 Metronidazol 250 mg 3 vezes ao dia durante 7 d.
\u2022 Clindamicina 300 mg, VO, de 12/12 horas, por 7d
31/05/2013
5
Eritema e placas grumosas
brancas na glande e no 
prepúcio, em parceiro de uma 
paciente com candidíase
vulvovaginal. 
Secreção branca e grumosa
aderentes às paredes da 
vagina com candidíase.
Candidíase
Tricomoníase
\u2022 Corrimento
\u2022 Prurido vulvar intenso
\u2022 Hiperemia e edema de vulva e vagina
\u2022 Disúria e dor suprapúbica
\u2022 Principal queixa: corrimento abundante, amarelo ou amarelo-
esverdeado e bolhoso.
31/05/2013
6
TRICOMONÍASE
\u2022 Gestantes após o 1º trimestre e durante a 
amamentação
\u2022 Metronidazol 400mg VO 12/12 h por 7 dias ou
\u2022 Metronidazol 250 mg VO 3 vezes ao dia por 7 dias
\u2022 Metronidazol 2g VO dose única
\u2022 1. Tricomoníase pode alterar resultado de citologia 
oncótica.
\u2022 2. Tricomoníase apresenta um achado peculiar: 
Colpite focal ou difusa > \u201cColo em framboesa\u201d.
31/05/2013
7
MÉTODOS CONTRACEPTIVOS
De barreira Químicos Naturais Cirúrgicos
Preservativo 
feminino
Anticoncepcional oral Coito interrompido Laqueadura 
tubária
Preservativo 
masculino
Anticoncepcional injetável Billings (muco 
cervical)
vasectomia
Diafragma Anticoncepcional 
intradérmico/adesivo p/ 
pele
Temperatura
Espermicida Espermicida Tabela - Método 
ogino-knaus
DIU Contracepção de 
emergência
Anel e pílula vaginal
CLASSIFICAÇÃO:
1.Metodos Comportamentais
1.1. \u2013 MÉTODO OGINO-KNAUS (Calendário 
ou Tabelinha)
\u2022 O cálculo do período fértil da mulher é feito
mediante a análise de seu padrão menstrual
prévio, durante 6 (seis) a 12 (doze) meses;
\u2022 A mulher que quiser usar este método deve ser
orientada para registrar, durante pelo menos 6
meses, o primeiro dia de cada menstruação.
31/05/2013
8
\u2022 Baseia-se na abstinência sexual no período
potencialmente fértil da mulher.
\u2022 A ovulação ocorre cerca de 14 dias antes da próxima
menstruação;
\u2022 Deve-se subtrair 18 do número de dias do ciclo mais
curto e 11 do ciclo mais longo.
Ciclo mais curto = > 26 dias .
Ciclo mais longo = > 30 dias .
Assim : 26 \u2013 18 = 8 e 30 \u2013 11 = 19 .
Nesse exemplo a mulher deverá evitar relações sexuais 
entre o 8º e 19º dia do ciclo.
1.3 \u2013 MÉTODO DO MUCO CERVICAL
OU BILLINGS
\u2022 Este método baseia-se na identificação do período
fértil por meio da auto-observação das
características do muco cervical e da sensação por
ele provocada na vulva;
\u2022 O muco cervical, no início do ciclo, é espesso,
grumoso, dificultando a ascensão dos
espermatozóides pelo canal cervical.
31/05/2013
9
\u2022 Sob ação estrogênica, produz, uma sensação de
umidade e lubrificação, indicando o tempo da
fertilidade, momento em que os espermatozóides
têm maior facilidade de penetração no colo
uterino. Nessa fase, o muco é transparente,
elástico, escorregadio e fluido, semelhante à
clara de ovo.
\u2022 É necessária a interrupção da atividade sexual
nesta fase, permanecendo em abstinência por no
mínimo 4 dias a partir do pico de produção.
Climatério e menopausa:
\u2022 Ocorre dos 45 aos 60 anos, provavelmente
quando se esgota o estoque ovariano de
folículos.
\u2022 Durante este período ocorre a última
menstruação:menopausa
31/05/2013
10
Climatério:
\u25ab Em geral o esgotamento de folículos ovarianos se faz por etapas
resultando no espaçamento das menstruações ou períodos grandes de
amenorréias.
\u25ab O esgotamento ovariano repercute diretamente sobre o útero e ocasiona
reações hipofisárias.
\u25ab O endométrio pode produzir fenômenos hemorrágicos anovulatórios \u2013
metrorragias da \u201csíndrome pós-menopausa\u201d, até a sua atrofia.
\u25ab A vagina se atrofia lentamente. Seu epitélio fica reduzido a uma camada
basal e o meio se torna alcalino, mais vulnerável a infecções.
\u25ab Deve-se atentar para o fato da possibilidade de ovulações normais.
\u2022 Repercussões clínicas (alterações da pele, esqueleto, mucosas, 
metabolismo lipoproteico, e função emocional):
\u2022 Fogachos, suores e sufocações (queixas mais predominantes e 
penosas);
\u2022 Vaginite, prurido vulvar;
\u2022 Dispareunia;
\u2022 Alterações na libido;
\u2022 \u201cNervosismo\u201d intenso, irritação,insônia, fadiga, choro, medo; 
\u2022 Pele seca e pouco elástica, fragilidade e queda de cabelos;
\u2022 Urgência urinária;
\u2022 Alteração de memória;
\u2022 Osteoporose.
31/05/2013
11
TRH (reposição de estrogênio em baixa dosagem, 
sistêmico ou local, em forma de creme ou gel).
\u2022 Benefícios da TRH:
\u25ab Melhoria ou abolição dos sintomas vasomotores \u2013
fogachos;
\u25ab Melhoria dos sintomas ligados ao SNC \u2013 depressão
irritabilidade e insônia;
\u25ab Melhoria do trofismo vaginal e genital (perda da
elasticidade), diminuição da incontinência urinária e
das infecções vaginais.
Riscos da TRH:
\u2022 Câncer de endométrio (estrogênio sem
progesterona associada);
\u2022 Câncer de mama;
\u2022 Doença tromboembólica;
\u2022 Hipertensão.
31/05/2013
12
Exame físico das mamas:
Inspeção estática \u2022 Colocar a cliente sentada, com o tronco desnudo e os
braços apoiados sobre a coxa.
\u2022 Observar: simetria, tamanho, forma, pigmentação
areolar, aspecto da papila, presença de abaulamentos
e/ou retrações, saída espontânea de secreção e
características da pele.
Inspeção dinâmica \u2022 A cliente permanece sentada e solicita-se a elevação dos
braços ao longo do segmento cefálico e que ela coloque
as mãos atrás da nuca fazendo movimento de abrir e
fechar os braços.
\u2022 Observar: presença de retrações ou exacerbação de
assimetrias, além de verificar comprometimento do plano
muscular em casos de carcinoma.
Palpação da região 
axilar
\u2022 A cliente permanece sentada. Apoiar o braço do lado a
ser examinado, no braço do examinador.
Palpação da região
supraclavicular
\u2022 A cliente permanece sentada. Palpar a região
supraclavicular à procura de linfonodos palpáveis.
Palpação das mamas \u2022 Colocar a cliente em decúbito dorsal e as mãos atrás
da nuca. Iniciar a palpação com a face palmar dos
dedos sempre de encontro ao gradeado costal,
suavemente, no sentido horário, partindo da base da
mama para a papila, inclusive o seguimento axilar.
\u2022 Observar: presença ou ausência
maria
maria fez um comentário
excelente!
0 aprovações
Carregar mais