Penal - Codigo Penal Brasileiro - Biblioteca do Exilado

Penal - Codigo Penal Brasileiro - Biblioteca do Exilado


DisciplinaDireito Penal I63.750 materiais1.034.626 seguidores
Pré-visualização50 páginas
determinada pela Lei n. 9.268, de 1.º-4-1996.
II \u2013 no mesmo prazo estabelecido para prescrição da pena privativa de liberdade, quando a multa for alternativa ou cumulativamente cominada ou cumulativamente aplicada.
\u2022\u2022 Inciso II com redação determinada pela Lei n. 9.268, de 1.º-4-1996.
Redução dos prazos de prescrição
Art. 115. São reduzidos de metade os prazos de prescrição quando o criminoso era, ao tempo do crime, menor de 21 (vinte e um) anos, ou, na data da sentença, maior de 70 (setenta) anos.
\u2022
Vide Súmula 74 do STJ.
Causas impeditivas da prescrição
Art. 116. Antes de passar em julgado a sentença final, a prescrição não corre:
I \u2013 enquanto não resolvida, em outro processo, questão de que dependa o reconhecimento da existência do crime;
\u2022
Vide arts. 92 e 93 do CPP.
II \u2013 enquanto o agente cumpre pena no estrangeiro.
\u2022
Vide Súmula 415 do STJ.
Parágrafo único. Depois de passada em julgado a sentença condenatória, a prescrição não corre durante o tempo em que o condenado está preso por outro motivo.
Causas interruptivas da prescrição
Art. 117. O curso da prescrição interrompe-se:
I \u2013 pelo recebimento da denúncia ou da queixa;
II \u2013 pela pronúncia;
\u2022
Vide Súmula 191 do STJ.
III \u2013 pela decisão confirmatória da pronúncia;
IV \u2013 pela publicação da sentença ou acórdão condenatórios recorríveis;
\u2022\u2022 Inciso IV com redação determinada pela Lei n. 11.596, de 29-11-2007.
\u2022
Vide art. 389 do CPP.
V \u2013 pelo início ou continuação do cumprimento da pena;
\u2022\u2022 Inciso V com redação determinada pela Lei n. 9.268, de 1.º-4-1996.
VI \u2013 pela reincidência.
\u2022\u2022 Inciso VI com redação determinada pela Lei n. 9.268, de 1.º-4-1996.
§ 1.º Excetuados os casos dos incisos V e VI deste artigo, a interrupção da prescrição produz efeitos relativamente a todos os autores do crime. Nos crimes conexos, que sejam objeto do mesmo processo, estende-se aos demais a interrupção relativa a qualquer deles.
§ 2.º Interrompida a prescrição, salvo a hipótese do inciso V deste artigo, todo o prazo começa a correr, novamente, do dia da interrupção.
Art. 118. As penas mais leves prescrevem com as mais graves.
Art. 119. No caso de concurso de crimes, a extinção da punibilidade incidirá sobre a pena de cada um, isoladamente.
\u2022
Vide arts. 69 a 71 do CP.
\u2022
Vide Súmula 497 do STF.
Perdão judicial
Art. 120. A sentença que conceder perdão judicial não será considerada para efeitos de reincidência.
\u2022
Vide arts. 107, IX, 121, § 5.º, 129, § 8.º, 140, § 1.º, 176, parágrafo único, 180, § 5.º, 242, parágrafo único, e 249, § 2.º, do CP.
\u2022
Vide Súmula 18 do STJ.
 
 Código Penal Brasileiro
 
 
 
PARTE ESPECIAL (5)
TÍTULO I
 DOS CRIMES CONTRA A PESSOA
\u2022 Contravenções referentes à pessoa: Decreto-lei n. 3.688, de 3-10-1941 (arts. 18 a 23).
\u2022 Convenção sobre a prevenção e punição de crimes contra pessoas que gozam de proteção internacional: Decreto n. 3.167, de 14-9-1999.
CAPÍTULO I
 DOS CRIMES CONTRA A VIDA
\u2022\u2022
Vide art. 5.º, caput, e XXXVIII, d, da CF.
\u2022
Vide arts. 74, § 1.º, e 406 a 497 do CPP (júri).
Homicídio simples
Art. 121. Matar alguém:
Pena \u2013 reclusão, de 6 (seis) a 20 (vinte) anos.
\u2022
Vide art. 74, § 1.º, do CPP.
\u2022
Vide art. 1.º, III, a, da Lei n. 7.960, de 21-12-1989 (prisão temporária).
\u2022
Vide art. 1.º, I, da Lei n. 8.072, de 25-7-1990 (crimes hediondos).
Caso de diminuição de pena
§ 1.º Se o agente comete o crime impelido por motivo de relevante valor social ou moral, ou sob o domínio de violenta emoção, logo em seguida a injusta provocação da vítima, o juiz pode reduzir a pena de um sexto a um terço.
Homicídio qualificado
§ 2.º Se o homicídio é cometido:
I \u2013 mediante paga ou promessa de recompensa, ou por outro motivo torpe;
II \u2013 por motivo fútil;
III \u2013 com emprego de veneno, fogo, explosivo, asfixia, tortura ou outro meio insidioso ou cruel, ou de que possa resultar perigo comum;
IV \u2013 à traição, de emboscada, ou mediante dissimulação ou outro recurso que dificulte ou torne impossível a defesa do ofendido;
V \u2013 para assegurar a execução, a ocultação, a impunidade ou vantagem de outro crime:
Pena \u2013 reclusão, de 12 (doze) a 30 (trinta) anos.
\u2022
Vide arts. 74, § 1.º, e 76, II, do CPP.
\u2022
Vide art. 1.º, III, a, da Lei n. 7.960, de 21-12-1989.
\u2022
Vide Lei n. 8.072, de 25-7-1990 (crimes hediondos).
Homicídio culposo
§ 3.º Se o homicídio é culposo:
Pena \u2013 detenção, de 1 (um) a 3 (três) anos.
\u2022
Vide art. 129 da CF.
\u2022
Vide art. 89 da Lei n. 9.099, de 26-9-1995.
Aumento de pena
§ 4.º No homicídio culposo, a pena é aumentada de 1/3 (um terço), se o crime resulta de inobservância de regra técnica de profissão, arte ou ofício, ou se o agente deixa de prestar imediato socorro à vítima, não procura diminuir as consequências do seu ato, ou foge para evitar prisão em flagrante. Sendo doloso o homicídio, a pena é aumentada de 1/3 (um terço) se o crime é praticado contra pessoa menor de 14 (quatorze) ou maior de 60 (sessenta) anos.
\u2022\u2022 § 4.º com redação determinada pela Lei n. 10.741, de 1.º-10-2003.
\u2022
Vide art. 129, § 7.º, do CP.
§ 5.º Na hipótese de homicídio culposo, o juiz poderá deixar de aplicar a pena, se as consequências da infração atingirem o próprio agente de forma tão grave que a sanção penal se torne desnecessária.
\u2022\u2022 § 5.º acrescentado pela Lei n. 6.416, de 24-5-1977.
\u2022
Vide arts. 107, IX, e 120 do CP.
Induzimento, instigação ou auxílio a suicídio
Art. 122. Induzir ou instigar alguém a suicidar-se ou prestar-lhe auxílio para que o faça:
Pena \u2013 reclusão, de 2 (dois) a 6 (seis) anos, se o suicídio se consuma; ou reclusão, de 1 (um) a 3 (três) anos, se da tentativa de suicídio resulta lesão corporal de natureza grave.
Parágrafo único. A pena é duplicada:
Aumento de pena
I \u2013 se o crime é praticado por motivo egoístico;
II \u2013 se a vítima é menor ou tem diminuída, por qualquer causa, a capacidade de resistência.
\u2022
Vide art. 74, § 1.º, do CPP.
Infanticídio
Art. 123. Matar, sob a influência do estado puerperal, o próprio filho, durante o parto ou logo após:
Pena \u2013 detenção, de 2 (dois) a 6 (seis) anos.
\u2022
Vide art. 74, § 1.º, do CPP.
Aborto provocado pela gestante ou com seu consentimento
Art. 124. Provocar aborto em si mesma ou consentir que outrem lho provoque:
Pena \u2013 detenção, de 1 (um) a 3 (três) anos.
\u2022
Vide art. 74, § 1.º, do CPP.
\u2022
Vide art. 89 da Lei n. 9.099, de 26-9-1995.
Aborto provocado por terceiro
Art. 125. Provocar aborto, sem o consentimento da gestante:
Pena \u2013 reclusão, de 3 (três) a 10 (dez) anos.
\u2022
Vide art. 74, § 1.º, do CPP.
Art. 126. Provocar aborto com o consentimento da gestante:
Pena \u2013 reclusão, de 1 (um) a 4 (quatro) anos.
Parágrafo único. Aplica-se a pena do artigo anterior, se a gestante não é maior de 14 (quatorze) anos, ou é alienada ou débil mental, ou se o consentimento é obtido mediante fraude, grave ameaça ou violência.
\u2022
Vide art. 74, § 1.º, do CPP.
\u2022
Vide art. 89 da Lei n. 9.099, de 26-9-1995.
Forma qualificada
Art. 127. As penas cominadas nos dois artigos anteriores são aumentadas de um terço, se, em consequência do aborto ou dos meios empregados para provocá-lo, a gestante sofre lesão corporal de natureza grave; e são duplicadas, se, por qualquer dessas causas, lhe sobrevém a morte.
\u2022
Vide art. 74, § 1.º, do CPP.
Art. 128. Não se pune o aborto praticado por médico:
Aborto necessário
I \u2013 se não há outro meio de salvar a vida da gestante;
Aborto no caso de gravidez resultante de estupro
II \u2013 se a gravidez resulta de estupro e o aborto é precedido de consentimento da gestante ou, quando incapaz, de seu representante legal.
CAPÍTULO II
 DAS LESÕES CORPORAIS
Lesão corporal
Art. 129. Ofender a integridade corporal ou a saúde de outrem:
Pena \u2013 detenção, de 3 (três) meses a 1 (um) ano.
\u2022\u2022
Vide arts. 61, 88 e 89 da Lei n. 9.099, de 26-9-1995.
Lesão corporal