A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
17 pág.
GESTÃO FINANCEIRA unidade um

Pré-visualização | Página 2 de 4

de
Longo Prazo).
.
Observe no quadro 3 que as contas estão ordenadas de maior liquidez (Caixa), até as de menor liquidez (Imobilizações). Ao necessitar efetuar pagamentos imediatamente, o dinheiro pode estar disponível no caixa, bancos ou, ainda, em aplicações financeiras, e prontamente os pagamentos podem ser feitos.
• Passivo: representam os deveres e as obrigações, que também estão ordenados
pelo seu prazo: do curto ao longo prazo de pagamento. O Passivo também está
dividido no curto prazo (Passivo Circulante) e no longo prazo (Exigível de
longo prazo).
O gestor financeiro necessita ter noções básicas da contabilidade
Retomando o exemplo da camisaria, o quadro 5 ilustra um balanço patrimonial, com dados de dois períodos (2009 e 2010).
 
A disponibilidade em caixa e em aplicações financeiras aumentou em 2010. Em 2010 as contas a receber são maiores, podendo ser resultado da concessão de maior prazo de pagamento aos clientes.
A quantidade de mercadorias em estoque diminui. Lembre-se de que neste exemplo não houve aumento, nem redução nos custos das camisetas. Se houvesse uma redução nos custos, pode-se ter o mesmo volume de peças, mas um custo menor.
O ativo aumentou pelos investimentos no imobilizado. Em 2010, o passivo circulante aumentou, enquanto que o ativo circulante diminuiu. Ou seja, as dívidas de curto prazo aumentaram, enquanto que as disponibilidades de curto prazo diminuíram.
4 ÍNDICES FINANCEIROS
No ambiente empresarial, “a análise de índices envolve métodos de cálculo e interpretações de índices financeiros visando analisar e acompanhar o desempenho da empresa” (GITMAN, 2004, p. 42), e funcionam como termômetros.
os índices procuram avaliar a liquidez, a atividade, o endividamento e a rentabilidade de uma empresa. Estes índices precisam ser calculados e atualizados para que se possa tomar decisões para a manutenção ou aumento dos resultados, bem como ajudar a identificar fatores que levaram ao desempenho ruim.
A partir das demonstrações, encontramos elementos que nos permitem calcular alguns índices, que vão avaliar o desempenho operacional e auxiliar na tomada de decisão. Não é meramente o resultado do cálculo de um índice que permitirá uma interpretação do seu valor, mas a partir de comparações.
Através dos índices pode-se realizar comparações pelos seguintes métodos:
• Análise Vertical (Cross-Sectional): consiste numa forma de comparar os
índices da sua empresa com a concorrência ou com o índice médio do mercado.
Nesta comparação pode-se descobrir o quanto estamos melhores ou piores em
cada um dos índices em relação ao mercado e identificar as ações que possam
corrigir o valor destes índices.
• Análise Temporal ou de Série Temporal: consiste numa análise dos índices
da empresa ao longo do tempo, de um passado até o momento presente, com
a finalidade de avaliar o desempenho no período. A análise temporal permite
ainda estabelecer uma tendência futura de desempenho.
Análise Combinada: combina a análise vertical e a temporal, trazendo a
possibilidade de comparar o desempenho da empresa com o mercado no
decorrer do tempo.
Os índices apresentados a seguir estão agrupados em quatro categorias básicas: liquidez, atividade, endividamento e rentabilidade.
### índices de LIQUIDEZ =
“A liquidez de uma empresa é medida por sua capacidade de cumprir as obrigações de curto prazo à medida que vencem”.
X >1 = índice de liquidez menor que 1, a empresa poderá ter dificuldades de realizar os seus pagamentos e sinaliza dificuldades de fluxo de caixa.
X >1 = maior que 1, sinaliza que a empresa tem condições de realizar os pagamentos.
- Índice de liquidez corrente= muito utilizado, pois mede a capacidade da empresa de saldar suas contas de curto prazo, e tudo que é curto prazo está relacionado ao Ativo Circulante e Passivo Circulante.
Índice de liquidez seca = O Índice de liquidez seca também mede a capacidade da empresa de saldar as suas contas de curto prazo, mas desconsidera os estoques.
### índices de ATIVIDADE =
Os índices de atividade medem a velocidade com que várias contas se transformam em vendas ou caixa”. As mercadorias não podem ficar paradas no estoque, precisam resultar em vendas, que, por consequência, são a receita da empresa.
Quanto maior o giro das mercadorias, melhor será o resultado dos índices de atividade: o giro de estoques, o prazo médio de recebimento, o prazo médio de pagamento e o giro do ativo total.
Giro de estoques= Quanto maior este índice, significa que mais rápido as vendas ocorrem; Quanto menor, pode indicar que os produtos ficam muito tempo parados no estoque. 
Há empresas que apresentam um giro com poucas oscilações mensais, enquanto que outras podem apresentar um giro muito alto em alguns meses do ano e praticamente nulo noutros.
Prazo médio de recebimento = É fundamental conhecer o prazo médio de recebimento, para saber em quanto tempo estamos recebendo o dinheiro das vendas, para avaliar as políticas de crédito e cobrança.
Nos últimos anos, no Brasil, vivenciamos uma política de crédito muito forte. Os
brasileiros puderam adquirir seus bens móveis e imóveis pagando em diversos meses e/ou anos.
A partir de 2011, o governo vem aplicando medidas para frear um pouco o consumo, elevando
algumas taxas de juros e impostos para conter a inflação.
Prazo médio de pagamento = é necessário realizar o pagamento aos fornecedores pelos estoques que formamos. Neste caso, é fundamental saber em quanto tempo ocorrem os pagamentos aos fornecedores,
Giro do ativo total = indica a eficiência com que a empresa usa seus ativos para gerar vendas. Para que este índice apresente bons resultados é fundamental o crescimento das vendas e/ou a manutenção do ativo total.
O giro do ativo total de 3,03 em 2010 apresentou-se menor que em 2009 (3,06). Ao avaliar o quadro 5, percebe-se que em 2010 a loja aumentou o seu ativo imobilizado, acima do crescimento das vendas. Desta forma, o giro do ativo total em 2009 era de 3,06, melhor que em 2010 (3,03). As imobilizações comprometeram este índice.
ÍNDICES DE ENDIVIDAMENTO =Ao possuir dívidas, estamos utilizando um dinheiro que não é nosso; daí a expressão “capital de terceiros”.
Segundo Gitman (2004, p. 49), “os índices de endividamento indicam o volume de dinheiro de terceiros que usamos para gerar lucros”.
# Índice de endividamento geral: mede a proporção dos ativos totais que são financiados por terceiros. Quanto maior este índice, maior a quantidade de dinheiro que a empresa tem emprestado.
#Índice de cobertura de juros: 
ÍNDICES DE RENTABILIDADE
A palavra rentabilidade lembra o quão rentável algo é, ou seja, os resultados que estão sendo apurados. Este ganho – a rentabilidade de uma empresa – pode ser analisado conhecendo a margem de lucro bruto, a margem de lucro operacional, a margem de lucro líquido, o retorno do ativo total e o retorno do capital próprio.
#Margem de lucro bruto
A margem de lucro bruto é a diferença do preço de venda de nossos produtos, descontados os impostos e custos destes produtos (quadro 2). Quanto maior a margem, maiores são as disponibilidades para as despesas administrativas, de pessoal e financeiras.
#Margem de lucro operacional: A margem de lucro operacional é a diferença do preço de venda dos produtos, descontados todos os impostos, custos das mercadorias vendidas, despesas administrativas e de pessoal. Apenas não são consideradas as despesas ou receitas financeiras.
#Margem de lucro líquido: A margem de lucro líquido é a diferença do preço de venda dos produtos, descontados todos os impostos, custos, despesas administrativas, de pessoal e financeiras. Agora são consideradas as despesas ou receitas financeiras.
#Retorno do ativo total: retorno do investimento, mede a eficácia geral da empresa em obter lucros com os seus ativos. Quanto maior, melhor o retorno.
#Retorno do capital próprio: O capital próprio representa o montante de recursos investidos pelo sócio ao negócio. O dono do capital analisa as diferentes oportunidades

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.