Aula_03 2015

Aula_03 2015

Pré-visualização2 páginas
HISTÓRIA MODERNA: DA TRANSIÇÃO DO FEUDALISMO AS REFORMAS RELIGIOSAS
Protecionismo:
 
 
 
 Os governos absolutistas passaram a interferir na economia de seus estados, estabelecendo uma política intervencionista. Essas práticas visavam proteger o estado e assegurar o acúmulo de riquezas.
Altos impostos como política alfandegária.
 (altas taxas para produtos importados)
Estímulo para fabricação interna de mercadorias.
Concessão de prêmios e facilidade às exportações.
A intervenção (via protecionismo, monopólios e exploração colonial) fortaleceu os
 reinos e enriqueceu a burguesia.
 A agricultura não desaparece, mas é tratada como atividade secundária, visando 
apenas os gêneros alimentícios necessários. 
16
Tema da Apresentação
AULA 3- A ECONOMIA NA MODERNIDADE
HISTÓRIA MODERNA: DA TRANSIÇÃO DO FEUDALISMO AS REFORMAS RELIGIOSAS
Balança comercial favorável:
 
 
 
Essa prática consistia em ter exportação maior que a importação, auxiliando a manter as reservas de ouro e prata de cada estado. 
 Segundo Pierre Deyon, a permanente preocupação com o equilíbrio das importações e das exportações estabelece certa unidade no pensamento mercantilista.
 Colbert foi considerado o escritor mais eloquente sobre o mercantilismo. Foi ministro do Rei Luís XIV, entre 1661 a 1683. Suas obras serviram de \u201cpalco\u201d para as discussões teóricas sobre a política econômica que deveria ser adotada por cada estado.
 Foi um dos primeiros a discutir a lucratividade da circulação das espécies e não, tão somente, o acúmulo de capital.
17
Tema da Apresentação
AULA 3- A ECONOMIA NA MODERNIDADE
HISTÓRIA MODERNA: DA TRANSIÇÃO DO FEUDALISMO AS REFORMAS RELIGIOSAS
Pacto colonial
 
 
 
 O pacto colonial era a garantia de comercialização somente entre colônia e metrópole. O monopólio comercial era estratégico para as novas políticas econômicas. 
 Era uma garantia para a metrópole de comprar barato e vender caro para seus vizinhos, obtendo ainda produtos não encontrados na Europa. 
 A criação das companhias de navegação, são armas nessa verdadeira \u201cguerra de prata\u201d,como diz Pierre Deyon. 
18
Tema da Apresentação
AULA 3- A ECONOMIA NA MODERNIDADE
HISTÓRIA MODERNA: DA TRANSIÇÃO DO FEUDALISMO AS REFORMAS RELIGIOSAS
Breve panorama do Mercantilismo 
 
 
 
 As práticas mercantis tiveram ritmos diferenciados e contornos específicos, estritamente ligadas a cada formação dos estados nacionais.
 Por essa razão, podemos identificar etapas distintas dessa política mercantilista. 
19
Tema da Apresentação
AULA 3- A ECONOMIA NA MODERNIDADE
HISTÓRIA MODERNA: DA TRANSIÇÃO DO FEUDALISMO AS REFORMAS RELIGIOSAS
Breve panorama do Mercantilismo 
 
 
 
 Mercantilismo ibérico: essencialmente metalista, exercendo total monopólio sobre os negócios ultramarinos.
Mercantilismo holandês: Caracterizado como um regime de \u201caparente\u201d liberdade existente nas atividades mercantis. Bem representado pelas companhias de comércio organizadas. 
Mercantilismo francês(Colbert): Identificado como a mais forte intervenção de estado nas atividades mercantis. Política marcada por protecionismo, com criação de companhias de comércio privilegiadas. 
Mercantilismo inglês (Parlamento e atos de navegação): Resultado de políticas internas de contorno próprio, que reduziu significativamente a intervenção estatal. 
20
Tema da Apresentação
AULA 3- A ECONOMIA NA MODERNIDADE
HISTÓRIA MODERNA: DA TRANSIÇÃO DO FEUDALISMO AS REFORMAS RELIGIOSAS
Breve panorama do Mercantilismo 
 
 
 
 Segundo Falcon, houve um gradual aprimoramento teórico e também das práticas mercantis, desde a noção de acúmulo de ouro e prata como sinônimo de riqueza, até a adoção de políticas ancoradas na estratégia da balança comercial favorável. 
 Para Pierre Deyon, na Europa moderna não havia mais lugar de honra para os estados incapazes de mobilizar exércitos e frotas numerosas. 
A formação dos estados nacionais estabelece um novo equilíbrio dos grupos sociais. 
21
Tema da Apresentação
AULA 3- A ECONOMIA NA MODERNIDADE
HISTÓRIA MODERNA: DA TRANSIÇÃO DO FEUDALISMO AS REFORMAS RELIGIOSAS
Breve panorama do Mercantilismo 
 
 
 
Percebe-se um sentimento nacional das grandes monarquias européias (sobretudo do século XVI) em buscar políticas econômicas para supremacia do estado.
As políticas mercantis já revelam certa laicização da vida pública.
O Mercantilismo forneceu novas motivações às rivalidades internacionais.
O mercantilismo evocou, por suas ambições, o dinamismo das futuras sociedades industriais. 
22r
Tema da Apresentação
AULA 3- A ECONOMIA NA MODERNIDADE
HISTÓRIA MODERNA: DA TRANSIÇÃO DO FEUDALISMO AS REFORMAS RELIGIOSAS
O QUE VIMOS NA AULA 3:
 Identificamos o progressivo desgasta e substituição das estruturas econômicas da Idade Média.
 Compreendemos o que é mercantilismo e em quais práticas ele está amparado.
 Analisamos de que forma a economia moderna cria as condições para a transformação industrial que ocorrerá na Europa do século XVIII. 
23
Tema da Apresentação
AULA 3- A ECONOMIA NA MODERNIDADE
HISTÓRIA MODERNA: DA TRANSIÇÃO DO FEUDALISMO AS REFORMAS RELIGIOSAS
AGORA É COM VOCÊ\u2026\u2026
SUGESTÕES DE LEITURA:
Capítulo 2:
FALCON,F.RODRIGUES, A.E. A Formação do Mundo Moderno. Rio de Janeiro:Elsevier,2006.
_______________. Mercantilismo e transição. São Paulo: Brasiliense,1983
SKINNER, Quentin. As fundações do pensamento político moderno. São Paulo: Companhia das Letras, 1996
DEYON, Pierre. O Mercantilismo. São Paulo:Perspectiva,1968 
Link do livro: 
http://pt.scribd.com/doc/52503786/O-Mercantilismo-Pierre-Deyon
24
Tema da Apresentação
AULA 3- A ECONOMIA NA MODERNIDADE
HISTÓRIA MODERNA: DA TRANSIÇÃO DO FEUDALISMO AS REFORMAS RELIGIOSAS
O QUE VEM NA PRÓXIMA AULA 4....
 A formação do Estado nação moderno.
 O pioneirismo ibérico na centralização nacional.
 A unificação política tardia da Inglaterra e da França.
25
Tema da Apresentação