Aula_04 2015

Aula_04 2015

Pré-visualização2 páginas
AULA 4- O ESTADO
HISTÓRIA MODERNA: DA TRANSIÇÃO DO FEUDALISMO AS REFORMAS RELIGIOSAS
O Estado Francês:
 
 
 
 A dinastia dos Valois encontrou evidente dificuldade administrativa de gerir um Estado do tamanho da França, com os instrumentos de governo que contava tal dinastia. Com a morte do último Valois, o trono foi entregue a um protestante, Henrique IV, que, para assumi-lo, tem que se converter ao catolicismo.
 Com Henrique IV inaugura-se a dinastia Bourbon, que a princípio estava sob forte influência da Igreja Católica, representados por ministros reais.
 Embora o rei exercesse o poder de direito, quem o exercia de fato era o seu ministro, o cardeal Richelieu. Ele e seus sucessores deram início à construção de uma máquina administrativa capaz de executar o controle e a intervenção diretos da monarquia em toda a França.
15
Tema da Apresentação
AULA 4- O ESTADO
HISTÓRIA MODERNA: DA TRANSIÇÃO DO FEUDALISMO AS REFORMAS RELIGIOSAS
O Estado Francês:
 
 
 
 Luis XIV é a melhor representação do absolutismo. Modelo que concentra todas as decisões do Estado em sua figura. Uma prática de governo personalista que ignora as necessidades da população, buscando integralmente manter o equilíbrio entre nobres e a alta burguesia. 
Na França do século XVI identificamos as transformações mais evidentes nas maneiras de se conceber as tarefas e os lazeres no dia-a-dia dos príncipes europeus. A corte francesa era numerosa e a vida na corte era um luxo. 
Segundo Norbert Elias, o poder de Luis XIV era demonstrado através de atos simbólicos presentes tanto nos assuntos públicos quanto nos particulares. 
\u201cO seu despertar, o momento de ir dormir e os amores de Luis XIV eram tão importantes quanto a assinatura de um acordo governamental e eram configuradas com o mesmo nível de organização\u201d (ELIAS, 2001, p. 151). 
16
Luis XIV:O Rei Sol
Tema da Apresentação
AULA 4- O ESTADO
HISTÓRIA MODERNA: DA TRANSIÇÃO DO FEUDALISMO AS REFORMAS RELIGIOSAS
O Estado Francês:
 
 
 
A corte ignora a miséria e a fome crescente da população. Os impostos triplicam e o peso de todo esse aparato recaía sobre os pobres. Organizam-se levantes regionais contra os altos impostos. As tropas reais eram deslocadas com frequência para o controle destas rebeliões. 
Esse regime só cai no século XVIII, com a Revolução Francesa, quando a situação de miséria da população chega a níveis espantosos. Além disso, a recusa dos sucessores de Luís XIV em fazer as necessárias reformas políticas e administrativas opõe a burguesia ao Estado. Assim, sob a direção dos burgueses, o rei é deposto e um novo período se inaugura na França.
17
Tema da Apresentação
AULA 4- O ESTADO
HISTÓRIA MODERNA: DA TRANSIÇÃO DO FEUDALISMO AS REFORMAS RELIGIOSAS
O Estado Inglês
 
 
 18
 Guerra dos Cem anos(sec. XIV): rivalidade com a França.
 A desorganização política e administrativa da Inglaterra é a razão pela qual o Estado inglês acaba se unificando tardiamente, se comparado com a Península Ibérica.
Seguindo a tradição de casamentos entre casas reais, Henrique VIII toma por esposa a princesa espanhola Catarina de Aragão, católica fervorosa. A escolha a princípio pareceu favorecer a Inglaterra, já que a Espanha era um poderoso império.
 O poder pessoal do monarca foi seguido por instituições de caráter coletivo da classe dominante, com características singulares: Os Parlamentos 
Elizabeth I
Tema da Apresentação
AULA 4- O ESTADO
HISTÓRIA MODERNA: DA TRANSIÇÃO DO FEUDALISMO AS REFORMAS RELIGIOSAS
Características do Estado Inglês
 
 
19
Parlamento
Câmara dos Lordes:
Clero e Nobreza	
hereditariedade
Câmara dos comuns:
Burguesia e cavaleiros
Eleitos por voto
Tema da Apresentação
AULA 4- O ESTADO
HISTÓRIA MODERNA: DA TRANSIÇÃO DO FEUDALISMO AS REFORMAS RELIGIOSAS
O Estado Inglês
 
 
 20
 O rompimento com o catolicismo e o estabelecimento do anglicanismo abrem o caminho para o absolutismo monárquico, que será consolidado no reinado de Elizabeth I.
 Sem dúvida, no tempo de afirmação das grandes monarquias territoriais européias, Elizabeth I representou um dos reinados mais prósperos da história Inglesa. Reuniu os principais recursos e adesões necessários nos momentos mais acentuados de crise pelos quais passou a Inglaterra ao longo de seu reinado.
 Elizabeth I foi reconhecida como aquela que possuía \u201cum corpo de mulher, mas um coração de rei\u201d ou ainda \u201ca rainha-rei\u201d. Nunca casou-se, por isso após a sua morte chega ao fim a Dinastia Tudor.
Tema da Apresentação
AULA 4- O ESTADO
HISTÓRIA MODERNA: DA TRANSIÇÃO DO FEUDALISMO AS REFORMAS RELIGIOSAS
A construção de uma política soberana
 
 
21
 Todos os modelos absolutistas foram vigorosamente discutidos na Renascença. 
 Maquiavel escreve um dos tratados políticos mais conhecidos( O Príncipe). Publicado na primeira metade do século XVI. 
 Deve-se conhecer o contexto da Itália para entender a conhecida frase: \u201cos fins justificam os meios\u201d. 
Tema da Apresentação
AULA 4- O ESTADO
HISTÓRIA MODERNA: DA TRANSIÇÃO DO FEUDALISMO AS REFORMAS RELIGIOSAS
Breve síntese do que vimos 
 
 
 
Na formação dos estados absolutistas não há temporalidade uniforme, pois os \u201ctempos\u201d dessas formações na Europa ocidental ou oriental foram caracterizados por uma enorme diversidade em seus sistemas estatais.
Conhecemos alguns:
Absolutismo espanhol sofrendo sua 1a. derrota no século XVI.
 Absolutismo inglês derrubado no século XVII.
Absolutismo Francês durou até o final do século XVIII.
Há também o absolutismo pruciano que perdura até o século XIX, como também o absolutismo russo derrubado somente no século XX. 
22
Tema da Apresentação
AULA 4- O ESTADO
HISTÓRIA MODERNA: DA TRANSIÇÃO DO FEUDALISMO AS REFORMAS RELIGIOSAS
Breve síntese do que vimos 
 
 
 
23a
Tema da Apresentação
AULA 4- O ESTADO
HISTÓRIA MODERNA: DA TRANSIÇÃO DO FEUDALISMO AS REFORMAS RELIGIOSAS
Trecho do filme \u201cO mercador de Veneza\u201d
(baseado na obra homônima de William Shakespeare)
http://www.youtube.com/watch?v=3Mpm3FeirH0
 
24r
Tema da Apresentação
AULA 4- O ESTADO
HISTÓRIA MODERNA: DA TRANSIÇÃO DO FEUDALISMO AS REFORMAS RELIGIOSAS
O QUE VIMOS NA AULA 4:
 Identificamos o progressivo desgasta e substituição das estruturas econômicas da Idade Média.
 Compreendemos o que é mercantilismo e em quais práticas ele está amparado.
 Analisamos de que forma a economia moderna cria as condições para a transformação industrial que ocorrerá na Europa do século XVIII. 
25
Tema da Apresentação
AULA 4- O ESTADO
HISTÓRIA MODERNA: DA TRANSIÇÃO DO FEUDALISMO AS REFORMAS RELIGIOSAS
AGORA É COM VOCÊ\u2026\u2026
SUGESTÕES DE LEITURA:
ANDERSON, Perry. Linhagens do Estado Absolutista. São Paulo: Brasiliense, 2004.
BERCÉ, Yves Marie. O Rei Oculto: Salvadores e impostores. Mitos Políticos populares na Europa Moderna. São Paulo: Edusc, 2003. 
ELIAS, NORBERT. A Sociedade de Corte: Investigação sobre a sociologia da realeza e da aristocracia de corte. Rio de Janeiro: Zahar, 2011. 
_____________. O processo civilizador, volume I: uma história dos costumes. Rio de Janeiro: Zahar, 2011.
Artigo: Sobre as origens e o desenvolvimento do Estado Moderno no Ocidente. Historiador Modesto Florenzano.
Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ln/n71/01.pdf
26
Tema da Apresentação
AULA 4- O ESTADO
HISTÓRIA MODERNA: DA TRANSIÇÃO DO FEUDALISMO AS REFORMAS RELIGIOSAS
O QUE VEM NA PRÓXIMA AULA 5....
 As origens do pensamento moderno.
 O papel das universidades na divulgação de uma nova mentalidade.
 Os princípios do renascimento cultural. 
27
Tema da Apresentação