Aula_07 2015

Aula_07 2015

Pré-visualização2 páginas
técnica, até mesmo o TEMPO era ordenado pela Igreja.
Os sinos das igrejas anunciavam o início do dia e da noite.
A igreja, neste sentido, regulava até o que se comia e em que período. Ex.: não comer carne na semana santa; os jejuns. Sob punição no descumprimento 
 O calendário cristão orientava o cotidiano: atividades que 
deveriam iniciar após dia de alguns santos ou de festas religiosas.
Tema da Apresentação
AULA 7- UMA DISPUTA SECULAR: PODER ESPIRITUAL E PODER TEMPORAL. 
.
HISTÓRIA MODERNA: DA TRANSIÇÃO DO FEUDALISMO ÀS REFORMAS RELIGIOSAS
 
 
Práticas da vida profissional:
Os ritos das universidades ainda não estavam laicizados no século XVI. 
	
Nas Universidades os atos solenes eram feitos nas igrejas. 
Os santos padroeiros das Universidades.
 14
O próprio trabalho movia-se em âmbito cristão: A proibição do trabalho aos domingos, nos dias santos, nas principais festas religiosas.
Como propriedade de terras a igreja também era uma senhora feudal e possuía os privilégios dessa posição. Recebia uma parte dessas colheitas e era isenta de pagar impostos, podendo assim acumular riquezas e expandir sua influência.  
Tema da Apresentação
AULA 7- UMA DISPUTA SECULAR: PODER ESPIRITUAL E PODER TEMPORAL. 
.
HISTÓRIA MODERNA: DA TRANSIÇÃO DO FEUDALISMO ÀS REFORMAS RELIGIOSAS
 
 
Práticas da vida pública:
A formação das monarquias nacionais, à exemplo da França, representa essa ritualização em torno do Rei. Afinal era ungido com óleo santo e acumulava poder temporal e espiritual.
Os tribunais de justiça e a Igreja estabeleciam acordo permanente, onde clérigos ocupavam parte significativa desses tribunais. 
Os acontecimentos públicos eram informados na igreja. Neste sentido era um espaço reconhecido, para reuniões de todos os tipos. 
O homem, sobretudo do século XVI, abrigava-se sob esta religiosidade. Para insurgir-se seria preciso, primeiro, espantar-se...
Tema da Apresentação
AULA 7- UMA DISPUTA SECULAR: PODER ESPIRITUAL E PODER TEMPORAL. 
.
HISTÓRIA MODERNA: DA TRANSIÇÃO DO FEUDALISMO ÀS REFORMAS RELIGIOSAS
A igreja na formação das monarquias nacionais.... 
 
 
 Na formação dos diferentes estados nacionais, a influência católica é inegável, embora de forma diferenciada. 
O caso de Portugal e Espanha é emblemático para compreendermos essa influência para além da esfera religiosa. Por terem se unificado antes dos demais estados europeus, os países ibéricos reuniram as condições para lançar-se na expansão marítima.
 Os descobrimentos foram regulados pela intermediação da Igreja sob os Estados.
Os reis espanhóis tinham o título de reis católicos.
 16
Tema da Apresentação
AULA 7- UMA DISPUTA SECULAR: PODER ESPIRITUAL E PODER TEMPORAL. 
.
HISTÓRIA MODERNA: DA TRANSIÇÃO DO FEUDALISMO ÀS REFORMAS RELIGIOSAS
A igreja na formação das monarquias nacionais.... 
 
 
 O papel da igreja foi fundamental e nele podemos notar a disputa entre os poderes temporais e espirituais, colocando a igreja de um lado e o estado, de outro.
 A colonização da América.
 Os jesuítas no projeto de expansão de 
além mar.
 É certo que a igreja moderna não é a mesma igreja que vivenciou o período medieval, mas sua presença na configuração dos estados nacionais aponta para uma transformação e adaptação aos novos tempos.
Se por um lado é mais fácil identificar a religiosidade nos hábitos da população, é na esfera do estado que a igreja consolida o seu poder e remodela o seu espaço de atuação. 
Tema da Apresentação
AULA 7- UMA DISPUTA SECULAR: PODER ESPIRITUAL E PODER TEMPORAL. 
.
HISTÓRIA MODERNA: DA TRANSIÇÃO DO FEUDALISMO ÀS REFORMAS RELIGIOSAS
AGORA É COM VOCÊ\u2026\u2026
SUGESTÕES DE LEITURA:
DUBOIS, Claude Gilbert. O imaginário da Renascença.Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1995. 
FEBVRE, Lucien. O problema da incredulidade no século XVI: A religião de Rabelais. São Paulo: Companhia das Letras, 2009
LE GOFF, Jacques. O Maravilhoso e o Quotidiano no Ocidente Medieval. Rio de Janeiro: Edições 70, 2010.
WOORTMANN, Klass. Religião e ciência no Renascimento. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1997.
18
Tema da Apresentação
AULA 7- UMA DISPUTA SECULAR: PODER ESPIRITUAL E PODER TEMPORAL. 
.
HISTÓRIA MODERNA: DA TRANSIÇÃO DO FEUDALISMO ÀS REFORMAS RELIGIOSAS
O QUE VIMOS NA AULA 7:
Identificamos os diferentes momentos da igreja e seu papel na transição política e social da era moderna. 
Reconhecemos as diferenças entre as relações político-religiosas dos diversos estados nacionais europeus. 
19
Tema da Apresentação
AULA 7- UMA DISPUTA SECULAR: PODER ESPIRITUAL E PODER TEMPORAL. 
.
HISTÓRIA MODERNA: DA TRANSIÇÃO DO FEUDALISMO ÀS REFORMAS RELIGIOSAS
O QUE VEM NA PRÓXIMA AULA 8....
 O paradigma de modernidade e das grandes navegações.
 O desafio dos descobrimentos.
 
20
Tema da Apresentação