Cópia de Zoologia dos vertebrados
177 pág.

Cópia de Zoologia dos vertebrados


DisciplinaZoologia2.946 materiais19.007 seguidores
Pré-visualização38 páginas
dos 
Hadrosauria, que são conhecidos como dinossauros bico de pato. Este grupo surgiu 
no registro fóssil no final do Cretáceo e, como seu nome sugere, algumas formas 
apresentavam bicos achatados assemelhando-se a bicos de patos. Eram animais 
grandes, podendo alcançar mais de dez metros de comprimento e com uma dentição 
especializada. Uma bateria dentária ocupava a região posterior das maxilas e 
mandíbulas formando um conjunto de dentes compactos que trituravam os vegetais. 
Uma característica deste grupo é a presença, em algumas espécies, de cristas que 
possuíam diferentes formas e tamanhos e que, em certas espécies, podiam alcançar 
mais de 1,50 metro de comprimento. Algumas destas cristas possuíam uma série de 
conexões com as vias nasais e provavelmente estavam relacionadas com 
vocalizações destes animais. 
Os Marginocephalia compõem duas linhagens de herbívoros altamente 
diferenciados. Os Pachycephalosauria são animais com o pós-crânio com o padrão 
bípede semelhante ao dos Ornithopoda, entretanto, o crânio apresentava uma cúpula 
óssea característica. Esta cúpula podia alcançar proporções enormes. Em um crânio de 
apenas 60 centímetros de comprimento a espessura do osso chegava a mais de 25 
centímetros. Este teto craniano espessado juntamente com morfologia do côndilo 
occipital, bem como das vértebras, indicam que o crânio poderia ser alinhado 
horizontalmente com a coluna vertebral. Assim, especula-se que estes crânios poderiam 
ser usados em batalhas, como alguns bovinos o fazem atualmente. 
Os demais Marginocephalia são incluídos no grupo dos Ceratopsia, mais 
diverso que os Pachycephalosauria, e ocupavam áreas da América do Norte e Ásia. 
Os mais antigos Ceratopsia são os Psittacosauria da Ásia, que possuíam um bico, 
mas sem expansões na cabeça. Os demais Ceratopsia tinham expansões na cabeça 
com o formato de escudo. Os Ceratopsia mais derivados apresentavam ainda cornos 
em diferentes números e de diferentes tamanhos. Um dos mais famosos dinossauros, 
o triceratops, é incluído neste grupo. 
 
 
145 
 
12.6 DINOSSAUROS SAURISCHIA 
 
Dentre os Saurischia, duas linhagens principais são identificáveis: 
Sauropodomorpha e Theropoda. Os extintos Sauropodomorpha eram principalmente 
herbívoros quadrúpedes enquanto que os Theropoda (incluindo as aves) são bípedes e 
primariamente carnívoros. O caráter mais facilmente definido para os Saurischia é a 
presença de um pescoço em formato de \u201cS\u201d. Entretanto, diversos outros caracteres \u2013 
principalmente da mão e crânio \u2013 definem este grupo como monofilético. 
 
12.7 SAUROPODOMORPHA 
 
Os Sauropodomorpha apresentam uma radiação mais antiga denominada de 
Prosauropoda. Estes animais são encontrados desde o Triássico Superior até o 
Jurássico Inferior. Diferentes análises apontam que estão agrupados sob este nome 
como um grupo parafilético, enquanto outras sustentam que são do grupo 
monofilético. Estas espécies variavam de animais de pequeno porte, como o 
Anchisaurus, que atingiriam apenas 2,50 metros até animais de maior porte, como 
Riojasaurus, que poderiam chegar a mais de 10 metros. De acordo com os estudos da 
anatomia deste grupo, todos seriam herbívoros. Outra evidência é a presença de 
gastrólitos associados a alguns fósseis deste grupo. Gastrólitos são pequenas pedras 
que alguns animais engolem para facilitar a maceração do alimento. Atualmente, as 
aves utilizam este mecanismo engolindo pedriscos que com o auxilio da moela 
musculosa facilitam a maceração do alimento ingerido. 
Os prossauropodos mais antigos eram animais pequenos e bípedes; os mais 
recentes eram de maior porte e possuíam os membros posteriores robustos e capazes 
de mantê-los numa postura bípede. Todavia, os estudos indicam que estes animais 
provavelmente mantinham-se na maior parte do tempo sobre os quatro membros, 
sendo bípedes facultativos. 
Os Sauropodomorpha mais derivados são agrupados em Sauropoda (figura 
41). Este grupo do Jurássico e Cretáceo eram herbívoros enormes. A maior parte dos 
fósseis é de materiais fragmentários e esqueletos relativamente completos são 
 
 
146 
conhecidos para poucos gêneros dos mais de 90 descritos. Os sauropodes foram os 
maiores vertebrados terrestres que já existiram. Os maiores poderiam alcançar mais 
de 30 metros de comprimento e pesar mais de 100 mil quilos (cem toneladas, o peso 
aproximado de 20 elefantes africanos!). 
 
FIGURA 41 - DIVERSIDADE DE SAUROPODA. 
 
(a) Crânio de Shunosaurus em vista lateral; (b) esqueleto de Cetiosaurus em vista lateral; 
(c) crânio de Brachiosaurus em vista lateral; (d) esqueleto de Brachiosaurus em vista dorsal. 
FONTE: Modificado de Benton (2006). 
 
 
Os Sauropoda eram dominantes nas paisagens do Jurássico Superior e 
Cretáceo Inferior e tiveram sua evolução atrelada à evolução de diversas floras 
características (coníferas, ginckgoáceas, samambaias, cicadáceas e cavalinhas). 
Posteriormente, no Cretáceo Superior da América do Norte e Ásia, houve uma grande 
radiação das angiospermas (plantas com flores) e estes animais ao que parecem 
tiveram sua diversidade diminuída ao passo que os Ornithischia avançados tiveram 
 
 
147 
sua diversidade aumentada, ocupando nichos anteriormente tomados pelos 
Sauropoda. Na América do Sul, esta substituição parece não ter ocorrido e uma 
recolonização do sul da América do Norte pelos saurópodas do sul ocorreu. 
Desde a descoberta dos primeiros fósseis deste grupo, os cientistas 
indagaram sobre a capacidade destes animais se manterem em terra e várias vezes 
especulou-se que seriam animais aquáticos. No entanto, estudos biomecânicos 
apontam fortemente na vida terrestre destes animais, bem como pegadas deste grupo 
sugerem terem sido feitas sob ambiente terrestre, incluindo semidesertos e desertos. 
Seus longos pescoços eram sugeridos como adaptação para a alimentação em copas 
de árvores. No entanto, algumas hipóteses indicam que os movimentos do pescoço 
eram reduzidos e que estes animais poderiam estender a cabeça horizontal e 
verticalmente através de arcos limitados e que a maior vantagem era poder se 
alimentar de árvores mais baixas, mas sem precisar se mover, dado o tamanho do 
pescoço. 
 
12.8 THEROPODA 
 
Os Theropoda (figura 42) incluem três estereótipos de predadores: de grande 
porte, que caçavam presas igualmente de grande porte utilizando as maxilas como 
armas (Ceratosauria, Allosauria e Tyranosauria); predadores velozes, que utilizavam 
membros para caçar presas pequenas (Ornithomimidae); e predadores pequenos, que 
caçavam animais maiores que o próprio corpo utilizando as garras presentes no pé 
(Dromeosauria). 
Os grandes Theropoda em geral são conhecidos da maioria das pessoas. 
Estes animais moram no imaginário popular, devido a peças centrais em filmes de 
ficção e museus paleontológicos. O aumento do tamanho corpóreo foi concomitante 
com o aumento no corpo do Ornithischia e Sauropodomorpha, de modo que se 
acredita ter havido uma coevolução entre presa e predador; alguns destes animais 
alcançando até 15 metros de comprimento e seis metros de altura. Os dentes, por sua 
vez, podiam alcançar 15 centímetros de comprimento e apresentavam as margens 
anterior e posterior serrilhadas. Algumas vezes, dentes pertencentes a animais deste 
grupo são encontrados presos a fósseis de dinossauros herbívoros que sobreviveram 
depois da mordida, mostrando que poderiam ser caçadores ativos e não carniceiros, 
como sugerem alguns cientistas. 
 
 
148 
 
FIGURA 42 - DIVERSIDADE DE SAUROPODA 
 
(a) Crânio de Shunosaurus em vista lateral, (b) esqueleto de Cetiosaurus em vista lateral, (c) 
crânio de Brachiosaurus em vista lateral, (d) esqueleto de Brachiosaurus