Cópia de Zoologia dos vertebrados
177 pág.

Cópia de Zoologia dos vertebrados


DisciplinaZoologia2.935 materiais18.834 seguidores
Pré-visualização38 páginas
troca de gases e íons, nos ambientes 
em que vivem. 
As salamandras (cerca de 420 espécies) são alongadas e em geral os 
adultos são terrestres e apresentam cauda. 
Os sapos, rãs e pererecas compõem os Anura (cerca de 4.300 
espécies) e possuem morfologia peculiar, com cabeça grande, corpo curto e 
membros posteriores alongados usados em geral para saltar e escalar. 
As cecílias (cerca de 170 espécies) apresentam morfologia do corpo 
pouco usual para os anfíbios: alongado e desprovido de membros, em geral 
aquáticos e escavadores. 
 
 
1.1.5 Tartarugas (Testudinia) 
 
 
Este grupo, apesar de possuir poucos representantes (cerca de 300 
espécies), é provavelmente o de vertebrados mais facilmente reconhecíveis. 
Seu corpo é coberto por uma carapaça na região dorsal e um plastrão na 
região ventral que as tornam facilmente reconhecíveis. Apesar de alguns 
grupos fósseis apresentarem certas modificações nesse sentido, nenhum outro 
grupo possui como as tartarugas tanto a cintura escapular (ombros) e a cintura 
pélvica (bacia) internos à caixa torácica. 
 
 
1.1.6 Tuatara (Rhynchocephalia), Lagartos e Serpentes (Squamata) 
 
 
Estes três grupos podem ser caracterizados pela presença do corpo 
coberto por escamas e algumas características cranianas que serão tratadas 
posteriormente, e, juntamente, formam o grupo dos Lepidosauria. 
Os tuataras são representantes viventes (duas espécies) que são 
somente encontrados na Nova Zelândia e que pouco diferem externamente de 
 
 
16 
um \u201clagarto\u201d típico. Todavia, sua estrutura craniana indica a diferenciação dos 
demais lagartos e serpentes. Enquanto que os lagartos e serpentes representam 
uma diversidade bem maior (cerca de 4 mil espécies) e são dispersos em um 
grande número de habitat, principalmente na região tropical do planeta. 
 
 
1.1.7 Jacarés, Crocodilos e Gavial (Crocodylia) 
 
 
Esse grupo de animais magníficos representa uma ínfima diversidade 
(estima-se 25 espécies viventes) de um grupo que foi amplamente distribuído 
em tempos passados. Algumas espécies viventes podem alcançar até sete 
metros e juntamente com as aves representam o grupo dos Archosauria 
viventes. 
Os crocodilianos atuais são grandes predadores de regiões alagadiças 
e destacam-se pelo rosto alongado armado com uma série de dentes cônicos. 
Seu corpo é recoberto dorsalmente por osteodermas que promovem uma 
eficaz proteção contra predadores, em especial outros crocodilianos. 
 
 
1.1.8 Aves (Aves) 
 
 
Acredita-se hoje que representam parte da linhagem dos dinossauros 
que foi muito abundante na era Mesozoica. Atualmente, as Aves apresentam 
cerca de 9.150 espécies viventes e são caracterizadas por uma série de 
adaptações morfológicas e fisiológicas. Uma destas adaptações são as penas 
que estão relacionadas ao voo destes animais. Descobertas recentes apontam 
a origem das penas anterior ao voo, portanto tendo sua procedência 
relacionada a outro fator que não ao voo. 
As aves estão muito presentes em nossas vidas, e isto está 
relacionado principalmente ao comportamento deste grupo. Elas são na 
maioria das vezes diurnas e possuem comportamento social intenso, 
apresentando cantos diferenciados e coloração viva das penas. Todavia, o 
 
 
17 
estudo deste grupo é subestimado e pouco se sabe sobre as inter-relações 
entre os subgrupos das aves. 
 
 
1.1.9 Mamíferos (Mammalia) 
 
 
Esse grupo também nos é muito familiar, inclusive porque somos uma 
espécie desta linhagem. Sua origem pode ser traçada desde o Paleozoico, a 
partir de grupos extintos de vertebrados terrestres. As espécies viventes (cerca 
de 4.500) são amplamente distribuídas nos mais variados tipos de ambientes. 
A grande parte desta diversidade é incluída dentro do grupo dos placentários. 
Os demais mamíferos estão compreendidos no grupo dos 
monotremados e marsupiais, enquanto que os mamíferos placentários 
apresentam gestação longa com o filhote nascendo grande. Os demais 
mamíferos ou possuem gestação curta, com filhotes muito pequenos e 
imaturos (marsupiais) ou, ainda, nascendo de ovos (monotremados). Enquanto 
que os placentários distribuem-se em praticamente todo o globo, os marsupiais 
possuem sua grande diversidade na Austrália e os monotremados são 
exclusivos daquela região. 
 
 
2 PRINCÍPIOS BÁSICOS DA SISTEMÁTICA FILOGENÉTICA OU 
CLADÍSTICA 
 
 
Atualmente é sugerido que a classificação biológica siga o princípio da 
metodologia sistemática filogenética (HENNING, 1956). Essa metodologia 
agrupa os organismos aparentados por meio de ancestrais comuns. Henning 
(1956) enfatizou em seu trabalho que a reconstrução sobre a história de uma 
linhagem deve ser baseada em caracteres derivados. Uma linhagem evolutiva 
neste sistema é denominada clado (palavra grega que significa ramo) e por 
isso a sistemática filogenética é tratada como cladística. 
Um caráter derivado significa \u201cdiferente da condição ancestral\u201d e este 
 
 
18 
estado diferenciado da condição recebe o nome de apomorfia. Um exemplo claro 
seria a condição da extremidade dos vertebrados terrestres. Os ossos 
carpais/tarsais e os dígitos encontrados nesses vertebrados terrestres apresentam 
uma condição modificada da condição ancestral encontrada, como por exemplo, 
os membros dos peixes de nadadeiras lobadas. Assim, a condição encontrada 
nos vertebrados terrestres constitui-se uma condição apomórfica de um caráter 
ancestral. Em termos cladísticos, um grupo que pode ser unido por esta condição, 
apresentando um caráter derivado compartilhado, é denominado sinapomorfia. E 
apesar de alguns grupos dentro dessa linhagem terem perdido posteriormente 
essa característica, o ponto significante é que esta mudança ocorreu depois e que 
o padrão ancestral possui tal propriedade. 
Do mesmo modo que os caracteres apomórficos apresentam-se como 
modificados da condição ancestral, alguns caracteres são herdados sem 
praticamente modificações. Estes caracteres são denominados plesiomorfias. 
Um exemplo é a presença de coluna vertebral dos vertebrados terrestres. Essa 
característica foi herdada sem modificações pelos ancestrais, de modo que os 
peixes de nadadeiras lobadas e raiadas, peixes cartilaginosos e ágnatos também 
a possuem. 
Henning denominou estes caracteres ancestrais compartilhados como 
simplesiomorfias. As simplesiomorfias não podem ser utilizadas na reconstrução 
filogenética, somente as sinapomorfias. É importante frisar que os conceitos de 
plesiomorfia e apomorfia são relativos ao grupo em que está sendo tratado. 
Apesar da presença de coluna vertebral ser uma simplesiomorfia dos 
vertebrados terrestres, a presença de coluna vertebral representa uma apomorfia 
dos vertebrados em relação aos invertebrados. Outro exemplo, apesar da 
presença dos carpais/tarsais e dígitos ser uma apomorfia em relação aos 
vertebrados aquáticos, esta condição é uma plesiomorfia para os vertebrados 
terrestres e a perda destas estruturas (como por exemplo, nas serpentes) trata-
se de uma apomorfia em relação a presença de carpais/tarsais e dígitos. 
Filogenia é o estudo das relações evolutivas entre os organismos. A 
filogenia é construída com base em um grande número de caracteres, sendo 
que muitas vezes os diferentes caracteres são contraditórios, tornando a 
construção extremamente complexa. Como todas as hipóteses científicas, as 
hipóteses filogenéticas podem ser testadas ao passo que novas evidências 
 
 
19 
estejam disponíveis. Caso uma filogenia (hipótese) venha ser testada e essa 
hipótese não venha a ser corroborada, uma nova hipótese (filogenia) toma seu 
lugar. Sendo assim, a construção e substituição