Aula 04 - Administração de Patrimônio-Giro de Estoque

Aula 04 - Administração de Patrimônio-Giro de Estoque


DisciplinaOrganização e Gestão Industrial36 materiais139 seguidores
Pré-visualização1 página
Aula 4. Administração de Patrimônio: Gestão de Estoque: Giro e sistema de reposição
Professora Waleska Monteiro
1
2
Finalidade dos Estoques
Admite-se, desde Keynes, que os estoques têm três finalidades (Keynes, 1930):
Operação (transação) - são uma consequência natural das condições produtivas. Assim, por exemplo, o lote econômico de compras dará origem à constituição de um estoque sempre que esse lote tiver sido maior que as necessidades imediatas de consumo.
Precaução (reserva) - são reservas destinadas a enfrentar eventualidades. Há dois tipos de imprevistos: aumento inesperado da demanda e atraso no fornecimento. É óbvio que o tamanho desse estoque de reserva, também chamado estoque mínimo, depende do nível de serviço que se quer proporcionar aos usuários.
3
Finalidade dos Estoques
Especulação (proteção financeira) - destinam-se a auferir vantagens econômicas em decorrência de futuras oscilações de preços no produto estocado.
Existem variedades legítimas de estoques especulativos. Por exemplo, os estoques reguladores que as autoridades formam para evitarem baixas ruinosas em commodities agrícolas ou minerais, ou os estoques resultantes de compras antecipadas, que empresas ou indivíduos efetuam para se protegerem contra iminentes aumentos de preços.
4
Giro de Estoque
5
Giro de Estoque
Apesar de suas relevantes finalidades, os estoques são em geral mal vistos nas empresas. São considerados fruto de ineficiência. 
O desejo de muito empresário é ter um nível zero de estoque.
Como isso é quase impossível, olhando pelo lado da eficiência de produção, para que o estoque gere o menor prejuízo possível é necessário fazer uma ótima gestão. Evitando assim, prejuízo com produto de baixo giro.
6
Sistemas de Gestão dos Estoques
Para a determinação de um sistema de gestão de materiais devem ser respondidas duas perguntas: quando e quanto repor?
Existem dois sistemas que respondem a essas perguntas de maneira distinta: 
O sistema de reposição contínua e 
O sistema de reposição periódica.
7
Sistema de Reposição Contínua: também sistema do estoque mínimo ou sistema do ponto de reposição e funciona basicamente da seguinte maneira: 
calcula-se um nível de estoque, R, e quando o estoque do material alcança esse valor é emitida uma ordem para a reposição do estoque na quantidade Q, fixa ao longo do tempo, recomeçando-se o ciclo.
Sistemas de Gestão dos Estoques
8
Exemplo:
Um material apresenta uma demanda constante de 30 unidades por dia e o tempo de reposição é de 10 dias. Calcular o ponto de reposição.
R = 30 X 10 = 300 unidades
Quando a demanda e o tempo de reposição são variáveis, o cálculo do ponto R é:
R = demanda média no período de reposição + estoque de segurança
Sistemas de Gestão dos Estoques
9
A expressão utilizada é:
R = D x L + Es
Em que:
D é a demanda média
L é o tempo médio de reposição
Es é o estoque de segurança
Sistemas de Gestão dos Estoques
10
Sistemas de Gestão dos Estoques
11
Exemplo:
Um item de estoque tem apresentado uma demanda média diária de 35 unidades com desvio padrão de 5 unidades/ dia. O tempo de reposição é constante e igual a 10 dias. Sabe-se que o item é da classe A. Determine o ponto de reposição com o estoque de segurança.
Sistemas de Gestão dos Estoques
Classe do Item
Classe A
Classe B
Classe C
Nívelde serviço mínimo
70%
80%
90%
Valor de Z
0,53
0,84
1,28
Nível de serviço máximo
80%
90%
95%
Valor de Z máximo
0,84
1,28
1,65
12
Sistemas de Gestão dos Estoques
13
Sistemas de Gestão dos Estoques
Caso o nível de estoque caia para 8 unidades e a reposição pedida ainda não tenha sido entregue, o item passará a ser crítico, pelo fato de seu estoque estar abaixo do estoque de segurança.
Sistema de reposição Periódica: também é conhecido como sistema de reposição em períodos fixos e também como sistema de estoque máximo.
Basicamente faz-se a revisão do sistema (verificação do nível de estoque do item) em intervalos fixos (por exemplo, semanal, quinzenal ou mensalmente) e estima-se a quantidade necessária para completar um nível de estoque máximo previamente calculado.
14
Sistemas de Gestão dos Estoques
15
Sistemas de Gestão dos Estoques
16
Sistemas de Gestão dos Estoques
17
Sistemas de Gestão dos Estoques
O sistema de reposição periódica responde à pergunta "Quando repor o material?\u201c através da definição do intervalo de revisão I e responde à pergunta "Quanto repor?" através da diferença entre o estoque máximo M e o nível de estoque existente no instante em que é feita a revisão do sistema. Portanto sabemos como são obtidas as respostas às perguntas.
No sistema de reposição contínua (ponto de reposição), a pergunta "Quando repor o material?" é respondida através do cálculo do ponto de reposição R.
18
Lote de Mínimo Custo
Esse sistema, teoricamente, apresenta lote de reposição constante Q que deve ser calculado.
O modelo mais conhecido para o cálculo do lote de reposição para o sistema de revisão contínua é o chamado modelo do lote econômico, ou modelo do lote de mínimo custo.
Para a determinação do lote económico, define-se que o custo do sistema é:
Custo do sistema = custo do material comprado + custo da gestão das compras + custo financeiro de manter o estoque
19
Lote de Mínimo Custo
20
Lote de Mínimo Custo
21
Lote de Mínimo Custo
Podemos representar os custos de efetuar a compra e o custo financeiro graficamente e o ponto de mínimo custo do sistema ocorrerá quando esses dois custos forem iguais para a quantidade representada pelo lote econômico.
Podemos representar os custos de efetuar a compra e o custo financeiro graficamente e o ponto de mínimo custo do sistema ocorrerá quando esses dois custos forem iguais para a quantidade representada pelo lote econômico.
22
Lote de Mínimo Custo
Custo Total
Custo Financeiro
Custo de efetuar a compra
Tamanho do Lote Q
23
1º) A primeira é a de que o modelo é "inelástico\u201c à variação da quantidade no lote.
2º) O fato de que não se encontram incluídos aspectos relativos ao fornecedor do material. Assim, não se sabe se o fornecedor pode fornecer um lote do tamanho calculado ou se eventualmente existe um lote mínimo de fornecimento.
3º) Refere-se aos parâmetros do modelo. Às vezes é difícil \u2013 ou mesmo impossível - calcular o custo para se fazer um pedido de compra, ou projetar a taxa de juros que vigorará para o ano.
Dado o impasse, a sugestão prática é fixar o lote em função da classificação do material e negociar o tamanho do lote com o fornecedor.
Críticas ao modelo Lote de Mínimo Custo
Exercício
O consumo previsto de um produto é de 12.000 unidades ao ano. A negociação do departamento de compras resultou na escolha de um fornecedor que se compromete a entregar o produto mantendo o preço unitário constante ao longo do ano em $3,50. Estima-se que a taxa de juros anual se situará em 20% para o período. e que o custo de cada pedido seja $100,00. 
Calcular:
a) o lote econômico;
b) quantos pedidos devem ser feitos ao longo do ano;
c) o custo total do sistema, incluindo o custo de compra do material.
24
Exercício \u2013 Fazer em sala e entregar
25
Leitura \u2013 Cap. 04 Martins