A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Modelo de Laudo do Psicodiagnóstico (1)

Pré-visualização | Página 1 de 1

LAUDO DE PSICOLÓGICO
– SIGILOSO -
Acadêmicos: NOME COMPLETO DA DUPLA QUE REALIZOU O PSICODIAGNÓSTICO
NÃO ENTREGAR O LAUDO PARA OS PAIS/RESPONSÁVEIS (a Clinica escola não fornecer este tipo de documento)
Dados de Identificação
Interessado: 
Assunto: Resultado do Psicodiagnóstico
Nome do Paciente: xxxxxxxxxxxxxxx
Idade: xx anos
Data de nascimento: xx/xx/xx
Naturalidade: Belo Horizonte
Escolaridade: x° série
Filiação: Nome do pai: xxxx
 Nome da Mãe: xxxx
Endereço: xxxxxxxxx
Local da avaliação: 
Data da avaliação: Início da avaliação (xx/xx/2017) / Final da avaliação (xx/xx/2017)
Descrição da Demanda
OBS: É necessário que coloque o nome da criança e não abreviações. 	
K é filho de pais separados, mora atualmente com a mãe, o padrasto, e mais três irmãos, decorrentes do segundo casamento da mãe. A criança tem pouco contato com o pai biológico. M (Mãe) descreve K como agressivo, nervoso e “brigão”, alegando que o mesmo vive batendo nos irmãos, inclusive na irmã mais nova, de um ano e seis meses. A rotina da criança é exposta pela mãe como tranquila. A criança vai para a escola na parte da manhã, a tarde fica na casa da avó materna, e a noite retorna para casa. K é uma criança sem muitos amigos, geralmente brinca só com os irmãos, “o que sempre acaba em briga”, segundo a mãe. M chega a Clínica de Psicologia Newton Paiva, encaminhada pela Escola XXXXXX, alegando que a diretora solicitou ajuda psicológica para K, uma vez que o mesmo estava se comportando de modo agressivo e desrespeitoso em sala de aula com a professora e com colegas. M afirma que, tal comportamento agressivo também é presente em casa. Para avaliar esta demanda realizou-se o processo de Psicodiagnóstico.....................................................................
Procedimento
Para se alcançar os objetivos do Psicodiagnóstico foram realizados sete encontros ao longo de sete semanas, sendo o primeiro para a Entrevista de Anamnese com a mãe, a fim de se obter dados sobre o histórico da criança e da família; o segundo para entrevista com a criança, onde foi utilizada a técnica da Hora do Jogo Diagnóstica, propiciando a observação do comportamento da criança através de brinquedos específicos; do terceiro ao sexto foram feitas as testagens psicológicas através dos instrumentos de avaliação HTP (casa-árvore-pessoa) a fim de se analisar aspectos da personalidade; Desenho da Família, com objetivo de analisar a dinâmica familiar; Escala de Maturidade Mental Colúmbia, com o objetivo de medir o índice de maturidade da criança e o WISC – IV (Escala de Inteligência para crianças) sendo avaliada a inteligência (fluida e cristalizada) e habilidades cognitivas. Por fim, no sétimo encontro, foram feitas as devoluções para a mãe e para a criança, lhes apontando as observações obtidas ao longo dos atendimentos e nos resultados dos testes....................................................................................................................................
Análise 
Foi possível observar correlações entre os resultados obtidos na testagem psicológica, demanda inicial e entrevista realizada com a mãe. Deste modo, com relação à área intelectual os resultados obtidos revelam que K é uma criança com maturidade acima da que seria usual para sua faixa de idade. Conforme descrito por M, K passou pelas fases do desenvolvimento infantil sem grandes problemas e, está na série adequada para sua idade. Os resultados também apontam que K apresentou desempenho mediano quanto às habilidades cognitivas, necessitando de treinamento para aperfeiçoamento de algumas das áreas avaliadas, que corrobora com a percepção da mãe ao mencionar que K gosta de ir para a escola, mas é desatento, desmotivado e tem “preguiça” de fazer as atividades propostas em sala. Com relação à área sócio afetiva foi possível identificar que a criança se comporta por diversas vezes de forma insegura e impulsiva diante de relacionamentos interpessoais indesejados, acarretando num comportamento de agressividade e hostilidade. Tal comportamento, também, é presente na dinâmica familiar, devido a um ambiente com grande repressão e regras rígidas. Tais pontuações também apareceram na entrevista com a mãe, sendo sua demanda principal, a agressividade na escola e em casa. Por fim, quanto a sua organização e função psíquica, os resultados apontam que K tem boa visão da realidade, ressaltada pela profunda identificação com a irmã mais nova................................................................................ 
Conclusão 
Conclui-se a partir do exposto que K é uma criança com dificuldades em construir relações interpessoais mais profundas, e usa do comportamento agressivo e hostil para abster-se de estabelecê-las. Ressaltam-se, também, às dificuldades cognitivas presentes em algumas áreas específicas, o que corrobora para seu comportamento disperso e sua desmotivação frente a algumas tarefas. De acordo com esta hipótese diagnóstica sugere-se que K seja encaminhado para psicoterapia individual, e para reforço escolar, a fim de se trabalhar as questões em conclusão no processo de psicodiagnóstico......................... 
A assinatura deve ser na mesma folha da redação do laudo
BELO HORIZONTE, xx DE xx DE 20xx.
	_____________________________
NOME DO ALUNOS - RA 
Estudantes de Psicologia
	_____________________________
NOME DO ALUNOS - RA 
Estudantes de Psicologia