A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
27 pág.
Processo de exportação

Pré-visualização | Página 1 de 2

EXPORTAÇÃO
Aula 23.04
COMÉRCIO EXTERIOR
TRATAMENTO ADMINISTRATIVO DAS 
EXPORTAÇÕES
 As EXPORTAÇÕES podem ser:
A.Livres;
B. Suspensas;
C.Proibidas;
D.Contingenciadas;
E. Tratamentos Especiais
 Para verificar quaisquer restrições, controles ou
tratamentos administrativos - Siscomex ou Anexo C da
Portaria nº 2 do Secex.
FORMA DE REALIZAÇÃO DAS 
IMPORTAÇÕES E EXPORTAÇÕES
A. Com Cobertura Cambial;
B. Sem Cobertura Cambial;
C. Temporária;
D. Consignação;
E. Uso e Consumo de Bordo; e
F. Em Reais.
4
Por que exportar
planejamento O que exportar e para onde 
exportar
Contatos com potenciais
importadores
Tratamento tributário
e financiamento
Determinação do preço 
de exportação
Como exportar Definição dos
Incoterms
Definição da forma
de pagamento
Registro de exportador
e preparação dos documentos
câmbio
Preparação e embarque
da mercadoria
Averbação do embarque
via siscomex
Remessa de
documentos
Recebimento do pagamento
por intermédio do banco
autorizado
Fluxograma da 
Exportação
Procedimentos 
Administrativos da 
Exportação
DESPACHO E DESEMBARAÇO ADUANEIRO
Etapas do Despacho 
Aduaneiro de Exportação
• O despacho aduaneiro de exportação é processado, no Siscomex, em
diversas etapas a serem executadas pelo exportador, pelo depositário, pela
fiscalização aduaneira e pelo transportador.
• Em linhas gerais, cabe:
1. ao exportador o registro da DU – E no sistema;
2. ao depositário a confirmação de que a carga a ser desembaraçada
encontra-se em seus armazéns;
3. à fiscalização aduaneira a recepção dos documentos, a conferência
aduaneira, o início e conclusão do trânsito aduaneiro;
4. ao transportador a informação referente à carga efetivamente embarcada
com destino ao exterior.
D
E
S
P
A
C
H
O
 A
D
U
A
N
E
IR
O
 D
E
 
E
X
P
O
R
T
A
Ç
Ã
O
DESPACHO DE EXPORTAÇÃO
Despacho de Exportação 
• Despacho de exportação é o procedimento
mediante o qual é verificada a exatidão dos dados
declarados pelo exportador em relação à
mercadoria, aos documentos apresentados e à
legislação específica, com vistas a seu
desembaraço aduaneiro e a sua saída para o
exterior. (art. 580 do Regulamento Aduaneiro)
Despacho de Exportação 
h
ttp
://re
c
e
ita
.e
c
o
n
o
m
ia
.g
o
v.b
r/o
rie
n
ta
c
a
o
/a
d
u
a
n
e
ir
a
/m
a
n
u
a
is
/e
x
p
o
rta
c
a
o
-p
o
rta
l-u
n
ic
o
Procedimentos Preliminares
• A exportação será submetida ao controle
administrativo da Secretaria de Comércio Exterior
(Secex) do Ministério do Desenvolvimento, Indústria
e Comércio Exterior (MDIC), nos termos da Portaria
Secex nº 23, de 2011.
Etapas do Despacho da 
Exportação
1. REGISTRO DA DDE: DU-E
2. CONFIRMAÇÃO DA PRESENÇA DA CARGA
3. RECEPÇÃO DOS DOCUMENTOS
4. PARAMETRIZAÇÃO
• CANAL VERDE
• CANAL LARANJA
• CANAL VERMELHO
5. DISTRIBUIÇÃO
6. DESEMBARAÇO
7. REGISTRO DOS DADOS DE EMBARQUE
8. AVERBAÇÃO DE EMBARQUE
9. EMISSÃO DO COMPROVANTE DE EXPORTAÇÃO
Declaração de Exportação: 
DU-E
• CASO GERAL: A Declaração Única de
Exportação (DU-E) instituída pela Portaria
conjunta RFB / SECEX Nº 349, de 21 de
março de 2017 consiste em um documento
eletrônico que define o enquadramento da
operação de exportação e subsidia o
despacho aduaneiro de exportação.
Declaração de Exportação: 
DU-E
• CASO GERAL: A elaboração da Declaração de Exportação
(DE) inicia o despacho aduaneiro de exportação. Nesse
momento, a DE recebe uma numeração automática,
única, nacional e sequencial, reiniciada a cada ano pelo
Siscomex.
• A Declaração de Exportação, processada no Siscomex,
poderá conter um ou mais Registros de Exportação (RE),
desde que estes se refiram, cumulativamente:
a. ao mesmo exportador; 
b. a mercadorias negociadas na mesma moeda e na 
mesma condição de venda; e 
c. às mesmas unidades da RFB de despacho e de 
embarque. 
Confirmação da Presença de
Carga
• A informação da Presença de Carga no Siscomex
consiste na confirmação da presença e
localização da carga destinada à exportação.
• O registro desta informação é obrigatório para
todos os despachos de exportação por meio de
DE, bem como nos despachos por DSE com
armazenagem, e deve preceder à apresentação
dos documentos relativos a estes despachos na
unidade de despacho da Receita Federal do Brasil.
Confirmação da Presença de
Carga
• Os dados referentes consistem, entre outras, das seguintes
informações: CNPJ/CPF do depositário ou do exportador;
código da Unidade, Recinto e Setor do Despacho Aduaneiro;
localização da carga; quantidade de volumes; peso bruto
total; tipo de unitização da carga; ocorrência de avarias; e
quantidade de contêineres e números de lacres.
• Esta etapa compete ao:
1. DEPOSITÁRIO, em recinto alfandegado, cujo respectivo
CNPJ esteja incluído nas tabelas de recintos da RFB;
2. ADMINISTRADOR responsável por Redex, quando este for de
caráter permanente;
3. EXPORTADOR, nos demais casos..
Local de Realização do 
Despacho
 O despacho de exportação pode ser realizado
em:
A. recintos alfandegados de zona primária (portos,
aeroportos, pontos de fronteira alfandegados e
portos secos de zona primária);
B. recintos alfandegados de zona secundária
(portos secos e armazéns de encomendas postais
internacionais); e
C. em recintos não alfandegados (Recinto Especial
para Despacho Aduaneiro de Exportação -
Redex.
Entrega e Recepção dos
documentos
 A fim de dar andamento ao despacho de exportação por
meio de Declaração de Exportação (DE), o exportador
deverá, apresentar os documentos instrutivos do despacho
aduaneiro à unidade da RFB de despacho.
 Os documentos deverão ser DISPONIBILIZADOS PELO
EXPORTADOR ou seu representante lega via SISCOMEX, no
prazo de até quinze dias, a partir da data de seu registro .
 Constatada a falta ou incorreção de qualquer documento
necessário ao despacho, no momento de sua entrega, estes
serão “devolvidos” ao exportador para complementação ou
correção, registrando-se o fato no sistema.
Entrega e Recepção dos
documentos
 A nota fiscal em formulário próprio (papel) e outros
documentos que instruírem a DU-E, e aqueles exigidos em
decorrência de acordos internacionais ou de legislação
específica, deverão ser disponibilizados à RFB ou a outros
órgãos ou agências da Administração Pública Federal,
conforme o caso, em meio digital, por meio da
funcionalidade “Anexação de Documentos
Digitalizados”.
 Os documentos instrutivos da DU-E deverão ser
disponibilizados à RFB nos casos de direcionamento a
canal de conferência aduaneira diferente do canal
verde.
Entrega e Recepção dos
documentos
Documentos de Instrução do Despacho por DE
 Os seguintes documentos deverão instruir o despacho de exportação
por meio de DE (art. 16 da Instrução Normativa SRF nº 28, de 1994):
I - NOTA FISCAL ELETRÔNICA: nota fiscal eletrônica, com apresentação
do DANFE (Documento Auxiliar de Nota Fiscal Eletrônica),
II - CONHECIMENTO E MANIFESTO DE CARGA: via original do
conhecimento e do manifesto internacional de carga, nas exportações
por via terrestre, fluvial ou lacustre.
III – OUTROS: outros, indicados em legislação específica, como por
exemplo:
 1.Certificado Kimberley, no caso de exportação de diamantes
 2.Certificado de origem, no caso de exportação de café.
 Formalidades: Em todos os documentos instrutivos do despacho deverá
constar o número atribuído à DE, inclusive no conhecimento e
manifesto de carga
Seleção Parametrizada
• A seleção parametrizada é a função que estabelece
níveis diferenciados

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.