3- PSICOLOGIA DA APRENDIZAGEM
137 pág.

3- PSICOLOGIA DA APRENDIZAGEM


DisciplinaPsicopedagogia1.122 materiais14.493 seguidores
Pré-visualização17 páginas
Psicologia do Desenvolvimento 
e da Aprendizagem
W
BA
00
33
_V
1.
0
2/138
Psicologia do Desenvolvimento e da Aprendizagem
Autora: Tatiane Oliveira Zanfelici
Como citar este documento: ZANFELICI, Tatiane Oliveira. . Psicologia do Desenvolvimento 
e da Aprendizagem. Valinhos: 2014.
Sumário
Apresentação da Disciplina 03
Unidade 1: Desenvolvimento da Criança da Concepção ao Nascimento 04
Assista a suas aulas 29
Unidade 2: Marcos da Primeira Infância 39
Assista a suas aulas 65
Unidade 3: Marcos da Segunda Infância 74
Assista a suas aulas 99
Unidade 4: O olhar para o Desenvolvimento Psicomotor 109
Assista a suas aulas 130
2/138
3/138
Apresentação da Disciplina
O desenvolvimento humano compreende as evoluções que os indivíduos alcançam à medida 
que avançam em idade e ganhos comportamentais, físicos, de socialização, experiências 
e conhecimentos. Embora seja comum imaginar o desenvolvimento humano a partir 
do nascimento do bebê, a verdade é que ele se inicia ainda na concepção, pois desde 
esse momento os atributos principais dos seres já se encontram em origem e evolução, 
consolidando-se após o nascimento e apenas se encerrando quando acontece a morte do 
indivíduo.
 Nesta disciplina, você tomará contato com informações que visam discutir o surgimento 
desses potenciais e habilidades: a origem dos sistemas físicos, a evolução e os fenômenos 
relevantes ao desenvolvimento cognitivo, os marcos da infância, as principais teorias de 
desenvolvimento e aprendizagem, os ganhos e mudanças nos campos das relações sociais e 
das emoções, os fatores de risco e proteção, a influência de instituições significativas e o olhar 
para o desenvolvimento psicomotor. 
Além de manuais consagrados e artigos científicos de qualidade, este material foi 
produzido também sob consulta de documentos de agências brasileiras que prezam pelo 
desenvolvimento e saúde dos indivíduos, com o objetivo de retratar os referidos aspectos da 
infância contextualizados à realidade brasileira. Atividades adicionais, sugestões de sites e 
leituras e questões para reflexão são oferecidas ao término de cada leitura.
4/138
Unidade 1
Desenvolvimento da Criança da Concepção ao Nascimento
Objetivos
O corpo humano é uma \u201cmáquina\u201d maravilhosa e programada para desenvolver-se e 
aprimorar-se ao longo do tempo em suas potencialidades. Atividades como ler ou digitar este 
texto, trabalhar, interagir com as pessoas e até mesmo a posição em que você está sentado, 
só são possíveis por meio do aperfeiçoamento de atributos que têm evoluído desde quando 
você era uma célula. Sim, desde que você era uma célula. Parece difícil de imaginar, mas esse 
é o marco inicial do desenvolvimento: a concepção, e não o nascimento, como é comum de 
se pensar. Para chegar a este momento, durante um processo que pode levar de cinco a 45 
minutos, milhares de espermatozoides acessaram a vagina, porém apenas entre 300 e 500 
conseguiram chegar ao local da fecundação. Dessas centenas de espermatozoides, apenas um 
conseguiu penetrar o óvulo e originar uma nova vida (RIBEIRO; CERQUEIRA; CERQUEIRA; SILVA, 
2013). 
Nesta aula, serão abordados tópicos de relevância ao desenvolvimento pré-natal dos seres 
humanos, desde a concepção em todas as suas etapas, até o nascimento por meio de diferentes 
tipos de parto.
Unidade 1 \u2022 Desenvolvimento da Criança da Concepção ao Nascimento5/138
Introdução
Desde a concepção, a herança 
genética interage com as influências 
ambientais a fim de caracterizar o 
bebê em desenvolvimento. O conjunto 
de características geneticamente 
herdadas é denominado genótipo, o 
qual se manifesta de maneira observável 
(fenótipo) (SHAFFER, 2005). Assim, 
essa compreensão de desenvolvimento 
humano admite que não só as qualidades 
biológicas, mas também as inerentes ao 
contexto em que ocorre o desenvolvimento 
humano cooperam para que esse processo 
esteja em evolução.
O período referente ao momento da 
concepção até o nascimento do bebê 
é denominado pré-natal e é sobre este 
período que a sua primeira aula enfocará 
suas discussões.
1. Etapas do Desenvolvimento 
Pré-natal
1.1 Período Germinativo
Durante essa fase, da fecundação até 
as duas primeiras semanas de idade 
gestacional, o zigoto divide-se, torna-se 
mais complexo e implanta-se nas paredes 
do útero. Além da divisão celular, serão 
formadas a placenta e as estruturas 
fundamentais para que a gestação ocorra. 
Durante esta etapa, estão em formação 
as bases dos órgãos corporais mais 
Unidade 1 \u2022 Desenvolvimento da Criança da Concepção ao Nascimento6/138
básicos para a sobrevivência, tais como o 
coração, os pulmões e o cérebro. O zigoto 
unicelular transforma-se em um embrião 
e, posteriormente, será um feto (Papalia; 
Olds; Feldman, 2006).
1.2 Período Embrionário
Esta etapa perdura das duas às oito 
primeiras semanas gestacionais e 
contempla a organogênese do embrião 
(BEE, 2011). Os órgãos e os sistemas 
corporais mais importantes \u2013 respiratório, 
digestivo e nervoso \u2013 evoluem 
rapidamente. Este é um momento 
sensível do desenvolvimento humano e 
a vulnerabilidade ambiental é bastante 
alta. Por esse motivo, são comuns as 
recomendações de cuidados ao primeiro 
trimestre da gestação, já que muitos 
embriões que passaram por problemas 
em sua formação não sobrevivem a este 
período (PAPALIA; OLDS; FELDMAN, 2006). 
1.3 Período Fetal
A fase fetal inicia-se aproximadamente 
às oito semanas de gestação e encerra-
se no momento do nascimento. O feto 
crescerá até vinte vezes o tamanho que 
possuía anteriormente e seus sistemas 
tornam-se cada vez mais complexos. Como 
a vulnerabilidade ao ambiente continua 
bastante alta, o feto ouve e responde a 
estímulos sensoriais, tais como a voz da 
mãe. Habilidades sensoriais de tato e 
Unidade 1 \u2022 Desenvolvimento da Criança da Concepção ao Nascimento7/138
audição já se desenvolvem desde o período 
fetal e o potencial para aprender e lembrar 
já estão presentes durante este período 
(PAPALIA; OLDS; FELDMAN, 2006).
Durante o período pré-natal, o 
desenvolvimento acontece seguindo 
dois princípios: o céfalo-caudal e o 
próximo-distal. O princípio céfalo-
caudal corresponde à sequência de 
desenvolvimento da cabeça para a parte 
inferior do tronco. A cabeça, o encéfalo e 
os olhos do embrião desenvolvem-se antes 
e são maiores em proporção que outros 
órgãos do corpo. O princípio próximo-
distal determina que o desenvolvimento 
ocorre da região central do corpo para as 
periféricas (Papalia; Olds; Feldman, 2006).
2. Fatores de Risco 
e Diagnósticos no 
Desenvolvimento Pré-natal
Alguns agentes podem causar efeitos 
negativos ao desenvolvimento pré-natal e 
ao nascimento. São eles:
Teratogênicos \u2013 são perigosos durante 
toda a gestação, mas especialmente 
durante o primeiro trimestre, trazendo 
problemas ao desenvolvimento e 
ocasionando defeitos congênitos. Alguns 
exemplos podem ser doenças (rubéola, 
toxoplasmose, sífilis, herpes genital e AIDS), 
drogas (talidomida, dietilestibestrol, álcool, 
nicotina e tabaco, maconha, cocaína e 
opiáceos) e perigos ambientais (radiação, 
chumbo e outras substâncias tóxicas) (BEE, 
Unidade 1 \u2022 Desenvolvimento da Criança da Concepção ao Nascimento8/138
2011; SHAFFER, 2005).
Nutrição \u2013 a má nutrição materna durante o período embrionário está relacionada ao 
nascimento prematuro do bebê. Bebês mal nutridos frequentemente são irritáveis e menos 
responsivos a estímulos (BEE, 2011; SHAFFER, 2005). A obesidade da mãe está relacionada a 
problemas na gestação e também a riscos ao momento do nascimento do bebê (Papalia; Olds; 
Feldman, 2006).
Estado emocional materno \u2013 mães emocionalmente estressadas apresentam mais 
possibilidades de riscos durante a gestação (SHAFFER, 2005). Ademais, segundo Papalia, Olds 
e Feldman (2006, p.131),