A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
54 pág.
Biomecânica-Ombro-UFLA-Cópia

Pré-visualização | Página 1 de 1

Biomecânica e Cinesiologia do 
Ombro 
Ombro articulação mais móvel do corpo. 
Mas também a mais instável. 
Composta por 4 ossos, 20 músculos e 5 
articulações. 
Ossos: úmero, escápula, clavícula e 
costela. 
Articulações verdadeiras: 
Glenoumeral 
Acrômio clavicular 
Esternocostoclavicular 
Articulações Verdadeiras 
 
 
 
 
 
 Glenoumeral. 
 
 
 
 
 Acrômio Clavicular. 
 
 
 
 
 Esternoclavicular 
 
 
 
 
Articulações Fisiológicas 
Escápulo-torácica: É importante para a 
mobilidade. Orienta a glena para melhorar o contato com 
úmero e aumentar a amplitude de elevação do braço. 
 
Articulação entre a escápula e as costelas 
 
A escápula fica afixada às costelas através dos músculos e 
permite movimento de rotação da escápula sobre o tórax 
 
 
 
Articulações Fisiológicas 
Articulação Subacromial ou subdeltóidea 
 
Brusa subdeltoidiana e subacromial: separam 
o tendão do m. supra-espinhoso e a cabeça 
do úmero do acrômio, processo coracóide, 
lig. Córaco-acromial e deltoide 
 
É uma fibrocartilagem em forma de anel, 
aplicada sobre as bordas da glena; 
aumenta a concavidade da glena, 
melhorando a congruência com o úmero. 
Labrum Glenóide (ou Orla) 
Variações do Acrômio 
Morrison e Bigliani , 1986 
A Cápsula 
Recobre toda a articulação, mas é fina e 
ligeiramente frouxa; por isso, é reforçada 
pelos ligamentos gleno-umerais. 
Os Ligamentos do Ombro 
1- Ligamento Gleno-
umeral anterior: 
É dividido em 3 feixes – 
superior, médio e 
inferior. 
Tensiona-se na abdução 
e na rotação externa 
(mecanismo das 
luxações de ombro). 
Os Ligamentos do Ombro 
2- Lig. Coraco-umeral 
3- Lig. Coraco-acromial 
4- Lig. Coraco-clavicular 3 
4 
2 
Os Músculos do Ombro 
São verdadeiros ligamentos ativos, 
assegurando a coaptação das superfícies 
articulares. 
Podem ser divididos em 2 grupos: 
1- Periarticulares: fixam a cabeça do úmero 
dentro da glena. 
2- Músculos do braço e da cintura 
escapular: impedem a luxação inferior do 
úmero quando seguramos um peso na mão 
e movimentam a escápula. 
Peitoral Menor: abaixa o ombro, 
fazendo que a glena vire-se 
para baixo. 
Músculos da Cintura Escapular 
Trapézio: 
- Feixe Superior: eleva o ombro; 
- Feixe Médio: aduz a escápula; 
puxa o ombro para trás; 
- Feixe Inferior: puxa a escápula 
para baixo e para dentro. 
Rombóides: puxam o ângulo 
inferior da escápula para 
cima e para dentro; fixam o 
ângulo inferior da escápula 
contra o gradil costal. 
Serátil Anterior: roda a 
escápula para cima e a 
glena para baixo. Além 
disso, puxa a escápula para 
frente e para fora (empurrar 
um objeto para frente). 
Músculos da Cintura Escapular 
Os Músculos do Manguito Rotador 
1- Supraespinhoso 
2- Infraespinhoso 
3- Redondo Menor 
6- Subescapular 
6 
VISTA POSTERIOR VISTA ANTERIOR 
Os Músculos do Manguito Rotador 
São potentes coaptadores, aplicando a 
cabeça do úmero contra a glena, 
contribuindo para evitar a luxação 
superior do úmero durante a abdução. 
Esta ação é feita em conjunto – 
supraespinhoso, infraespinhoso, 
redondo menor e subescapular. 
 Tendão da cabeça longa do bíceps 
Manguito Rotador 
Subescapular 
Infraespinhoso 
Supraespinhoso 
Redondo menor 
1- Supraespinhoso 
2- Subescapular 
3- Infraespinhoso 
4- Redondo Menor 
Ritmo Escápulo Umeral 
São movimentos CONCOMITANTES e 
coordenados de cada articulação do 
complexo do ombro. 
Articulação Escápulo-Torácica contribui 
na abdução e flexão do ombro, 
promovendo a rotação da fossa glenóide 
em 60° (Acrômio-Clavicular e Esterno-
Clavicular também participam). 
Ritmo Escápulo Umeral 
Articulação Gleno-Umeral contribui com 
120° na flexão do ombro e com entre 90 e 
120° na abdução 
A combinação dos movimentos na 
Gleno-Umeral (GU) e Escápulo-Torácica 
(ET) gera 180° de elevação no ombro na 
proporção de 2° na GU para 1° na ET. 
Ritmo Escápulo Umeral 
Levantar o braço até 90°: 60° do movimento 
ocorrem na GU e 30° na ET (graças à 
elevação da escápula). 
Levantar o braço de 90° a 180°: adiciona 60° 
de movimento na GU e 30° de movimento 
da escápula (graças à rotação da clavícula 
e rotação da escápula). 
Os 3 tempos da Abdução 
1º Tempo: de 0 a 90º 
Músculos principais: deltóide e supra-
espinhoso. 
Os 3 tempos da Abdução 
2º Tempo: de 90 a 150º 
Músculos principais: trapézio e serrátil 
anterior. 
Os 3 tempos da Abdução 
2º Tempo: de 150 a 180º 
Há participação dos 
paravertebrais. 
Se só um membro está sendo 
abduzido, ocorre uma 
inclinação lateral da coluna, 
sob a ação dos paravertebrais 
do lado oposto à abdução. Se 
os dois membros estão sendo 
abduzidos, os paravertebrais 
contraem-se bilateralmente, 
levando a uma hiperlordose. 
Os 3 tempos da Flexão 
1º Tempo: de 0 a 50-60º. 
 Músculos principais: deltóide (fibras 
anteriores), peitoral maior (feixe superior) 
e córaco-braquial. 
2º Tempo: de 50-60 a 120º. 
 Músculos principais: 
trapézio e serrátil anterior. 
3º Tempo: de 120 a 180º. 
 Novamente, necessita-se 
da coluna vertebral. 
Bursite olecraniana 
Bursite pré-patelar 
Bursite trocantérica 
Bursite tornozelo ou calcanhar 
Bursite maléolo lateral 
Protocolo 
Protocolo 
Protocolo 
Protocolo 
Protocolo 
Protocolo 
Protocolo 
Protocolo 
Protocolo 
Protocolo 
Protocolo 
Protocolo 
Protocolo 
Protocolo 
Protocolo 
Fase III