Aula_01 ppt_0

Aula_01 ppt_0

Pré-visualização2 páginas
Estácio_Logo_novo_para_usar_HORIZONTAL.pngGESTÃO FINANCEIRA DE 
PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS
Prof. Marcelo P. Leite
Economista (reg. nº 23893/Corecon-RJ)
Mestre pelo Inst. de Economia/UFRJ
Especialista em Gestão e Estratégia/UFRRJ
fundo_t02.jpgConteúdo Programático:
	Entender a importância da Gestão financeira nas Pequenas e Médias Empresas;
	Compreender a importância da Contabilidade e de seus indicadores;
	Identificar os principais usuários da Gestão financeira.
Aula 1 - Gestão Financeira
GESTÃO FINANCEIRA DE PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS
Aula 1: Gestão Financeira
O que é a gestão financeira?
Gestão ou Administração financeira é, antes de tudo, o conjunto de atividades/rotinas que nos permite identificar, medir, analisar, preparar, interpretar e apresentar as informações relativas ao fluxo financeiro da empresa visando assegurar o uso apropriado de seus recursos e maximizar os resultados.
GESTÃO FINANCEIRA
(RECURSOS x RESULTADOS)
IDENTIFICAR
MEDIR
ANALISAR
PREPARAR
INTERPRETAR 
APRESENTAR
Gestão Financeira na Pequena Empresa
GESTÃO FINANCEIRA DE PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS
Aula 1: Gestão Financeira
O Gestor Financeiro
\u2192 \u201cAdministrar é decidir\u201d
O gestor financeiro deve possuir uma visão do todo de sua empresa e do seu mercado, destacando suas oportunidades , tanto internas como externas. Sendo capaz de realizar a boa interpretação dos dados e das informações que foram geradas e, a partir destas, inferir comportamentos e ações futuras.
GESTÃO FINANCEIRA DE PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS
A administração é um processo que planeja, organiza, dirige e controla. E, estes processos, devem ser intensificados na Gestão Financeira, para que possamos obter a receita e a despesa real da empresa.
Aula 1: Gestão Financeira
Micro, Pequenas e Médias Empresas \u2013 Classificação (Brasil)
\u201cde acordo com a republicação da Lei Complementar nº 123/2006 (que instituiu o Estatuto Nacional da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte), disposto no art. 5º da LC nº 139, de 10/11/2011\u201d.
\u2192 A sociedade empresária, a sociedade simples, a empresa individual de responsabilidade limitada e o empresário, que estiverem devidamente registrados podem ser classificadas como:
Empresa: organização destinada à produção, distribuição e/ou comercialização de bens e serviços, que tenha por objetivo o lucro.
GESTÃO FINANCEIRA DE PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS
Aula 1: Gestão Financeira
	Microempresa \u201cME\u201d \u2013 desde que aufira, em cada ano-calendário, receita bruta igual ou inferior a R$ 360.000,00 (trezentos e sessenta mil reais);
	Pequena empresa (Empresa de Pequeno Porte) \u201cEPP\u201d \u2013 se sua receita bruta anual for superior a R$ 360.000,00 e igual ou inferior a R$ 3.600.000,00 (três milhões e seiscentos mil reais);
	Média empresa - se sua receita bruta anual for superior a R$ 3.600.000,00 e igual ou inferior a R$ 300.000.000,00 (trezentos milhões de reais \u2192 receita bruta anual a partir da qual se enquadram as empresas de grande porte \u2013 Lei ordinária nº 11.638 de 28/12/2007 ).
GESTÃO FINANCEIRA DE PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS
Aula 1: Gestão Financeira
	\u2192 Pela classificação do SEBRAE \u2013 divulgada pelo IBGE em 2001:
	Microempresa \u201cME\u201d \u2013 até 9 pessoas ocupadas;
	Pequena empresa (Empresa de Pequeno Porte)\u201cEPP\u201d \u2013 de 10 a 49 pessoas;
	Média empresa \u2013 a partir de 50 pessoas, respeitadas a RB anual acima.
GESTÃO FINANCEIRA DE PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS
Importância dos relatórios gerenciais
\u2192 Para uma empresa sobreviver e manter-se num mercado cada vez mais competitivo é necessário que o empresário tome suas decisões apoiadas em informações precisas e atualizadas, fornecidas por relatórios gerenciais, com indicadores de desempenho que possibilitem o acompanhamento periódico dos resultados da empresa.
- Relatórios gerenciais:
	I) Controle das Vendas Realizadas: tem por objetivo apurar, a partir do registro dos movimentos diários, o resultado bruto mensal da empresa, confrontando o valor das vendas (independente se a vista ou a prazo) com o custo das mercadorias vendidas (CMV), independente da sua forma de pagamento. Assim, o \u201cResultado bruto (RB) = Vendas \u2013 CMV\u201d.
Aula 1: Gestão Financeira
- Relatórios gerenciais (cont.):
	II) Apuração de Resultados da Empresa: tem por objetivo apurar o resultado líquido mensal da empresa. Este é obtido ao se subtrair do \u201cResultado bruto\u201d as despesas da empresa (que podem ser distribuídas entre: despesas variáveis, despesas fixas e despesas financeira). Constituindo-se no \u201cResultado Operacional da Empresa\u201d (RO) ou Lucro Operacional (LO), que é o lucro obtido sem o desconto do imposto de renda (IR).
	 . RO = LO = RB \u2013 Dv \u2013 Df \u2013 Dfin (se positivo: Lucro; mas se negativo: Prejuízo)
	III) Controle de Caixa do Movimento Realizado: tem por objetivo registrar as entradas e saídas realizadas de recursos financeiros e apurar o saldo disponível a cada dia. Este controle financeiro deverá ser feito diariamente e seu saldo final não pode ser confundido com lucro (quando positivo) ou prejuízo (se negativo), dado que revela apenas a posição do caixa no dia.
GESTÃO FINANCEIRA DE PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS
Aula 1: Gestão Financeira
GESTÃO FINANCEIRA DE PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS
	IV) Fluxo de Caixa: objetiva o Controle de Caixa, onde se realiza o registro de todas as entradas (recebíveis) e saídas (pagamentos) de recursos financeiros de acordo com suas datas previstas, apurando o saldo disponível previsto de caixa da empresa diariamente. E, assim como o \u201cControle de Caixa do Movimento Realizado\u201d, seu saldo final não deve ser confundido com lucro ou prejuízo.
	
	
* IMPORTANTE: separe os valores a receber de acordo com seu nível de confirmação/segurança, evitando superestimar suas entradas de caixa. Pois, uma \u201cReceita real\u201d (valores já faturados e certos e/ou já recebidos \u2013 ex.: vendas a vista, cartões, etc.) é diferente de uma \u201cReceita estimada\u201d (negócios já confirmados/realizados mas que apresentem ainda alguma dúvida quanto ao seu faturamento e/ou data de recebimento).
Aula 1: Gestão Financeira
GESTÃO FINANCEIRA DE PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS
Fluxo de Caixa - Estrutura Básica:
\u2192 Saldo Inicial: valor constante no caixa no início do período (dinheiro na \u201cgaveta\u201d mais os saldos bancários disponíveis para saque).
\u2192 Entradas de Caixa(+): vendas realizadas à vista, duplicatas, cheques pré-datados, faturas de cartão de crédito disponíveis como \u201cdinheiro\u201d na respectiva data.
\u2192 Saídas de Caixa(-): pagamentos de fornecedores, retiradas dos sócios/proprietários, aluguéis, impostos, folha de pagamento, água,luz, telefone, entre outras despesas habituais.
\u2192 Saldo Operacional: resultado de entradas menos as saídas de caixa na respectiva data (permite avaliar as \u201cEntradas x Saídas\u201d, sem a influência do saldo de caixa anterior).
\u2192 Saldo Final de Caixa: resultado da soma do Saldo Inicial com o Saldo Operacional (apresenta o \u201cSaldo Inicial\u201d do próximo período, indicando se houve sobra ou falta de dinheiro em seu negócio no período considerado).
	
Aula 1: Gestão Financeira
GESTÃO FINANCEIRA DE PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS
	V) Balanço Gerencial ( ou Patrimonial): tem por objetivo demonstrar onde os recursos financeiros foram aplicados na empresa (Ativo), como também as fontes de recursos financeiros (Passivo + Patrimônio Líquido). Sendo o Ativo composto pelos bens e direitos da empresa e o Passivo representado pelos compromissos, exigíveis, assumidos junto a terceiros, que foram investidos no Ativo. O Patrimônio Líquido (PL) é formado pelos recursos financeiros dos sócios ou proprietários que foram investidos na empresa.
Ativo 
Passivo 
Ativo Circulante:
- Caixa
	Bancos
	Estoques
- Contas a Receber
Passivo Circulante:
	Contas a Pagar (exigíveis correntes)
Ativo Não Circulante:
- Realizável a Longo Prazo (contribui para mais de um exercício)
- Investimentos