Resumo Logística
10 pág.

Resumo Logística


DisciplinaGestão de Suprimentos e Logistica535 materiais403 seguidores
Pré-visualização10 páginas
Resumo Gestão de Supri mentos e Logística
Elaborado por: T hales Silva. Curso de Administração 2 019.
GSL 1
LOGÍSTICA: é a área responsável por prover recursos, equipamentos e informações p/
a execução de todas as atividades de uma empresa (transporte, movimentação de materiais,
armazenagem, processamento de pedidos e gerenciamento de informações).
LOGÍSTICA: é a parte do Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos que implementa e
controla o fluxo de armazenamento eficiente e econômico de matérias-primas, materiais
semiacabados e produtos acabados, com i nformações relativas a ele s, desde o ponto de origem
até o consumo, com propósito de atender às exigências dos clientes.
LOGÍSTICA: é a parte do processo da cadeia de suprimentos que PLANEJA,
IMPLEMENTA e CONTROLA: armazenagem; fluxo de di stribuição; fluxo reverso; serviços;
informações entre ponto de origem até o ponto de consumo, para atingir o nível de ser viço
desejado pelo consumidor.
RESUMO: Logística é a arte de comprar, receber, armazenar, separar, expedir, transporta
e entregar o produto/serviço certo, na hora certa, no lugar certo, ao menor custo possível.
CADEIA DE SUPRIMENTOS ( SUPPLY CHAIN): é a integração dos processos do
negócio desde o usuário final at é os fornecedores originais que proporcionam os pr odutos,
serviços e informações que agregam valor ao cliente. Sentido montante () na direção dos
fornecedores; e sentido jusante () na direção dos consumidores.
GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS (SUPPLY CHAIN MANAGEMENT):
controle de fluxos entre os estágios da cadeia p/ maximizar a l ucratividade t otal; é dinâmica e
envolve um fluxo constante de informações, produtos e dinheiro (fundos) entre os diferentes
estágios; tem como função sa tisfazer as necessidades dos clientes em um pro cesso gerador de
lucros. Integram 3 dimensões: informação, coordenação e compartilhamento de recursos e
relacionamento interorganizações.
Atualmente, para competir as empresas devem: maximizar a eficiência de seus recursos
internos; planejar a aquisição externa das competências que não seriam possíveis adequar; a forma
de estruturar a área de supply passa a ter papel cada vez mais importante no reforço das
competências chaves das empresas.
OBJETIVOS BÁSICOS (Logística Integrada e SCM): é COMPRAR: na qualidade
desejada; na quantidade certa; no momento certo; a um preço j usto; do fornecedor certo; o melhor
serviço; para o local certo.
ESTRATÉGIA DE SUPPLY: forma de decisões para adquirir materiais e serviços
requisitados para sustentar a estratégias competitiva da empresa. A função supply tem co mo meta
obter bens e serviços de maneira satisfatória (lucro, atendimento à necessidade do cliente, etc.).
Resumo Gestão de Supri mentos e Logística
Elaborado por: T hales Silva. Curso de Administração 2 019.
MANUFATURA: comprar o que precisa
SISTEMA: conjunto de componentes interligados, trabalhando de forma coordenada
com objetivo de atingir uma meta em comum.
ENFOQUE SISTÊMICO: sua missão é encontrar soluções para melhorar a eficiência
da cadeia de supply ao: menor custo, menor prazo e com qualidade.
COMPRAS: dividida em 2 grupos (pedido de compras e valor de compras), tem como
OBJETIVO: obter um fluxo contínuo de supply; coordenar o fluxo, aplicando o mínimo
investimento sem afetar a operação da empresa; procurar dentro da ética, justiça e honra os
melhores interesses da empresa.
LEAD TIME: menor prazo de entrega exigido, devido a redução do clico de vida
(guarda-chuva) dos produtos; estoques cada vez mais reduzidos (alto custo); mercados voláteis
(instáveis).
OPERADOR LOGÍSTICO: provedor de soluções p/ atividades da cadeia logística,
atuando como facilitador p/ a i ntegração dos processos e ações requeridas p/ soluç ão proposta,
tendo o cliente como único interlocutor.
OPERADOR LOGÍSTICO: fornecedor especializado em gerenciar e executar todas ou
parte das atividades logísticas, acrescentando valor ao pr oduto visando + valor e + pagamento,
prestando soluções logísticas (controle de estoque, armazenagem e gestão de transportes).
TERCEIRIZAÇÃO: a empresa deixa de fazer uma gama de at ividades, passando a
contratar serviços de empresas de fora, de terceiras . A empresa se preocupa com o projeto e com
a qualidade, delegando a terceiros a fabricação e montagem.
Resumo Gestão de Supri mentos e Logística
Elaborado por: T hales Silva. Curso de Administração 2 019.
GSL 2
EMBALAGEM
Embalagem de carga são de duas categorias: primária (utilizada p/ embalar o produto
diretamente, dando forma par a sua proteção, manipulação, apresentação e comercialização) e
secundária (essencial para transporte, manipulação e armazenagem, t endo t amanhos e formatos
variados e construída de diversos materiais)
EMBALAGEM PRIMÁRIA: apropriada p/ suportar os vários manuseios desde a
origem até o destino final.
EMBALAGEM SECUNDÁRIA: deve ter diversas i dentificações, como fabricante,
importador, distribuidor, produto, quantidade de embal agens primarias, peso líquido total, peso
bruto total, quantidade máxima para empilhamento, etc.
TIPOS DE EMBAGALEM: caixas (madeira, papelão, metal, plástico, fibra, etc.);
engradados (madeira); tambores (madeira, metal, plástico, fibra); barris (madeira, metal plástico,
fibra); fardos (metal, corda, tiras plásticas); sacos (plástico, papel, j uta); pallets (madeira, plástico,
papelão).
UNITIZAÇÃO DA CARGA: agrupar vários volumes pequenos ou grandes em u m
maior, ou único volume, p / facilitar o manuseio, movimentação, armazenagem e t ransporte da
carga.
CARGA UNITIZADA (U NIT LOAD): é a carga constituída de materiais (embalados
ou não) arranjados e acondicionados de modo a possibilitar a movimentação e estocagem por
meios mecanizados como uma úni ca unidade, se ndo constituído por uma base p/ um sistema de
movimentação, armazenagem e transporte de materiais.
VANTAGENS: redução do n.º de volumes a manipular; menor n.º de manuseios de
carga; menor utilização de mão-de-obra; possibilidade do uso de mecanização; melhoria no tempo
das operações de embarque/desembarque; redução dos custos c/ embalagens; diminuição das
avarias e roubos de mercadorias; padronização internacional dos recipientes de utilização (pallets
e container).
PALETE (P ALLET): plataforma disposta horizontalmente p/ carregamento, constituída
de vigas ou blocos, cuja altura é compatível c/ a introdução de garfos de empilhadeiras ou outros
sistemas p/ movimentação, permitindo o arranjo e agrupamento de matérias, possibilitando a
movimentação, estocagem e transporte como uma única carga.
PALETIZAÇÃO (PALLETIZATON): arranjo de carga unitária sobre um pallet p/
facilitar a movimentação e estocagem, facilitando a movimentação com uso de empilhadeira.
PALETIZADOR/DESPALETIZADOR (PALLETIZER/DEPALLETIZER):
equipamento automático ou semiautomático constituído por transportadores contínuos
sincronizados e mecanismos que recebem as embal agens do transportador, posicionando-as de
acordo com o arranjo preestabelecido.
TIPOS DE PALLETS: cativo (uso confinado em instalação única, sem intenção de
intercambio); aluguel (cuja propriedade seja de outro utilizador); expedição (projetado p/ ser
utilizado p/ movimentação em u ma direção de unidade de carga do embarcador p/ o recebedor,
sendo reciclável ou descartável); intercambio (múltiplo p/ uso em grupo des ignado de
embarcadores e recebedores, sendo transferido p/ o pr oprietário da carga); reciclável (usa do,
descartado, reparado ou refeito novamente); retornável (projetado para ser usado em mais de uma