Gerenciamento de Riscos
36 pág.

Gerenciamento de Riscos


DisciplinaProjeto de Desenvolvimento28 materiais45 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Gerenciamento de Riscos
Eduardo Emanoel Santos
O que é riscos?
Risco é um evento não esperado ou não controlado, que ao ocorrer tem efeito em no mínimo um objetivo do projeto, sendo esse efeito positivo (que pode ser descrito como oportunidade) ou negativo ao projeto.
Em um projeto de construção de um edifício:
Exemplo risco de efeito positivo:
Durante um período de baixo consumo do país os preços dos materiais de construção decaem consideravelmente, diminuindo o custo de produção.
Exemplo risco de efeito negativo:
Período prolongado de chuvas afetaram o prazo de construção, atrasando muito a obra e tendo descontentamento dos investidores.
Os riscos podem ser divididos em:
Riscos conhecidos: podem ser identificados e analisados de forma que sejam gerenciáveis
Riscos desconhecidos: não sendo conhecidos não podem ser gerenciáveis, mas podem ser abordados aplicando ações do projetos similares
As riscos associados a um projeto podem ser chamados de riscos comerciais ou de negócio, sendo divididos em categorias:
A diferença entra as duas principais categorias (especulativos e puros) é que o risco especulativo tem a possibilidade de ganho ou lucro, quanto ao risco puro tem a possibilidade de apenas perda ou nenhum ganho
Risco Especulativo
Administrativo: problemas na tomada de decisão gerenciais oriunda da dificuldade de prever os resultados das ações realizadas
Administrativo de mercado: os riscos da oferta e procura do produto fornecido pelo projeto
Exemplo: o valor do produto do projeto no mercado esta abaixo do custo de produção
Administrativo Financeiro: relaciona-se ao nível de endividamento do projeto, os custos que ainda tem de ser pagos (esse risco não se dissolve)
Exemplo: os gastos do projeto estão sendo maiores que o previsto 
Administrativo de Produção: incertezas quanto a mão-de-obra, materiais, tecnologia que serão utilizados no projeto ou prestação de serviço
Exemplo: não possui mão-de-obra qualificada para o projeto
Risco Especulativo
Político: deriva-se de leis, decretos, ementas, resoluções, etc., emanados do governo federal, estadual ou municipal que podem ameaçar, dificultar ou ate mesmo embargar interesses do projeto.
Exemplo: projeto de fábrica de produção de defensivos agrícolas não foi efetivado dela falta do licenciamento ambiental
De Inovação: incertezas decorrentes da implementação de produtos ou serviços novos no mercado devido a sua aceitação pelos consumidores
Exemplo: carro elétrico não é bem aceito pelo mercado pelo seu preço muito superior aos carros normais
Riscos Puros
A propriedade: danos a propriedade e a bens 
A pessoas: acidentes com morte ou invalidez de funcionários
Por responsabilidade: danos a terceiros na utilização do produto oferecido pelo projeto ou afeitos causados pelo projeto
Exemplo: prejuízo financeiro a pequenos produtores pela poluição ambiental oriunda do projeto
Além das categorias de riscos antes apresentadas, podemos diferenciar riscos pela competência de onde ou quem o riscos se decorreram
Categoria
Fonte
Risco
Técnico, qualidade e desempenho
Metas de desempenho superiores
Mudanças tecnológicas
Mudanças de Plataforma
Novos padrões da indústria
Tecnologia Complexa
Tecnologia não explorada
Gerenciamento do Projeto
Alocação inadequada do tempo
Planejamento inadequado do orçamento
Alocação inadequada de recursos
Planejamento do projeto fraco ou inexistente
Organizacional
Infraestrutura deficiente
Objetivos da organização executora estão obscuros
Conflito de recursos na organização
Mudança de Verba (redução)
Externo
Mudanças legais
Alteração das metas e objetivos
Desastres Naturais
Mudanças na legislação
Características dos Riscos
Interdependentes: 
um risco pode afetar ou causar outros riscos
Baseados no tempo: 
o risco é um fenômeno exclusivamente futuro
Dependentes da Grandeza:
Quanto maior o retorno financeiro, mais aceitável é o risco
Quanto maior o impacto, mais significativo é o risco
Valores da empresa afetam as escolhas individuais
Cada pessoa vê riscos de maneira diferente e os prioriza de maneira diferente
O que é Gerenciamento de riscos?
Procura a maximização de eventos benéficos ao projeto e a minimização de riscos negativos, isto é, um estudo sobre qualquer oportunidade que possa acontecer ao projeto e ter um controle sobre possíveis riscos negativos que podem ocorrer, procurando possíveis soluções a esses riscos.
OBSERVAÇÃO: A administração de um projeto consiste em maximizar os pontos onde temos algum controle sobre o resultado e minimizar áreas onde não se tem nenhum controle sobre as causas e efeitos, mesmo que não sejam esperados ou previstos.
Objetivo do Gerenciamento de Riscos:
Aumentar a probabilidade e o impacto de eventos positivos
Minimizar a probabilidade e o impacto de eventos negativos
Identificar e priorizar riscos de forma preventiva
Fornecer informações e orientações ao gerente de projeto e demais envolvidos
Adotar uma tolerância de riscos de acordo com a organização e as partes interessadas
Riscos
Gerenciamento de Riscos
Riscos
{
Início do projeto
Método de realizar o Plano de Gerenciamento de Risco
Entradas:
Políticas de Gerenciamento de Riscos da Organização: 
identificação, triagem, tratamento e erradicação de problemas que podem causar impactos negativos na organização. 
Padrões para planejamento do gerenciamento de riscos da organização:
O tipo de padrão metodologico que organização usa ao efetuar um projeto
Entradas:
Funções e Responsabilidades : 
Define os papéis de cada um com suas responsabilidades e atribuições no projeto, tendo também atribuindo o grau de autoridade nas tomadas de decisão
Exemplo
Gerente do Projeto:
Iniciar e conduzir o Gerenciamento de Riscos
Integrar o Gerenciamento de Riscos a todos os processos do projeto
Guiar a equipe do projeto nos processo do gerenciamento de riscos
Equipe do Projeto
Executar o processo de gerenciamento de riscos
Executar as estratégias do gerenciamento de riscos
Fornecer relatórios do estado do processo de gerenciamento de riscos
Tolerância aos Riscos:
Descreve a tolerância do risco em relação ao seu grau de impacto e pelos padrões dos interessados
Ferramentas e Técnicas define:
Metodologia: como as atividades serão executadas, ferramentas e fontes utilizadas
Prazos: define um cronograma que deverá ser seguido durante a continuidade do projeto
Formato de Relatórios: como registrar e comunicar os riscos
Exemplo:
Brainstorm: obter uma lista abrangente de riscos que serão classificados e obtém definições mais precisas
Método Delphi: reunir um grupo de peritos que trabalharam individualmente em uma lista de perguntas. Depois suas respostas são combinadas, resumidas e passadas aos mesmos peritos, repetidas vezes até q cheguem a um consenso
Técnica Nominal: cada participante gera suas ideias e as classificam com maior índice de prioridade. O facilitador (líder) pede para cada participante informar seu risco de maior grau, e veja o mais votado, depois repete para o segundo risco, ate que a lista tenha se esgotado.
Análise SWOT: ao invés de olhar apenas na visão do sucesso do projeto, levam em conta como a organização ganha ou contribui para o sucesso ou fracasso do projeto. 
A classificação dos riscos pode trazer algumas dificuldades, pois nem sempre é possível ter respostas para todos os riscos. Assim os riscos são divididos em duas medições. A medição qualitativa e a medição quantitativa.
Qualitativa: usando uma medição de grau de impacto (alto, médio ou baixo)
Quantitativa: usa dados numéricos
Qualitativa:
Alto
Alta probabilidade do evento ocorrer
E/OU
Se o evento ocorrer terá alto impacto na qualidade, cronograma ou satisfação do cliente
Médio
É provável que o evento ocorra
E/OU
Se o evento ocorrer terá um impacto moderado na qualidade, cronograma ou satisfação do cliente
Baixo
Não é provável que o evento ocorra
E/OU
Se o evento ocorrer terá baixo impacto na qualidade, cronograma ou satisfação