AVALIANDO APRENDIZADO
9 pág.

AVALIANDO APRENDIZADO


DisciplinaDireito Penal II9.968 materiais283.238 seguidores
Pré-visualização3 páginas
1a Questão (Ref.:201710341204) Pontos: 0,1 / 0,1 
A co-autoria é impossível nos crimes: 
 
 
Culposos 
 
Omissivos. 
 
Comissivos. 
 
De mão própria. 
 
Próprios. 
Respondido em 26/05/2019 16:53:38 
 
 
Compare com a sua resposta: Segundo o art. 71 do CPB. a) Duas ou mais ações/omissões b) Dois ou 
mais crimes de mesma espécie (Não é o mesmo tipo, mas a mesma espécie de crime) c) Condições 
objetivas do crime semelhantes (tempo, lugar, meios de execução, etc.) d) Nexo causal entre os 
delitos/unidade de desígnios (sentido de continuidade). Desde o início da ação já se pretendia praticar 
todos os crimes, de modo que o segundo seria a continuação do primeiro, etc. 
 
 
2a Questão (Ref.:201710341306) Pontos: 0,1 / 0,1 
(FCC - Agente de polícia - PC/AP 2017) Mário e Mauro combinam a prática de um crime de furto a uma 
residência. Contudo, sem que Mário saiba, Mauro arma-se de um revólver devidamente municiado. 
Ambos, então, ingressam na residência escolhida para subtrair os bens ali existentes. Enquanto Mário 
separava os objetos para subtração, Mauro é surpreendido com a presença de um dos moradores que, ao 
reagir a ação criminosa, acaba sendo morto por Mauro. Nesta hipótese 
 
 
Mário responderá pela prática de furto e Mauro pelo crime de latrocínio. 
 
Mário responderá apenas pelo furto e Mauro responderá pela prática dos crimes de porte 
ilegal de arma de fogo, furto e homicídio. 
 
Mário e Mauro responderão pela prática de furto. 
 
Mário e Mauro responderão pela prática de latrocínio. 
 
Mário responderá pela prática de furto simples e Mauro responderá pela prática de furto 
qualificado. 
Respondido em 26/05/2019 16:54:30 
 
 
Compare com a sua resposta: O aluno deverá discorrer sobre os princípios da oportunidade ou 
conveniência; disponibilidade e indivisibilidade. 
 
 
3a Questão (Ref.:201710340793) Pontos: 0,1 / 0,1 
Considere as seguintes afirmações: I. É com base na teoria da prevenção geral negativa que o legislador 
aumenta penas na crença de conter a criminalidade com a ajuda do Código Penal. II. Além de atribuir à 
pena privativa de liberdade a inalcançável finalidade reeducadora, atrás das ideias utilitárias da prevenção 
especial sempre há uma confusão entre direito e moral e entre crime e pecado. III. A teoria retributiva 
parte da ideia da compensação da culpa, do pressuposto de que a justa retribuição ao fato cometido se dá 
através da individualização e diferenciação da pena. Está correto o que se afirma SOMENTE em: 
 
 
II e III. 
 
I. 
 
I e II. 
 
III. 
 
II. 
Respondido em 26/05/2019 16:56:08 
 
 
Compare com a sua resposta: A menoridade do réu reduz a prescrição pela metade, de modo que entre a 
sentença e o acórdão ocorre a prescrição superveniente da pretensão punitiva estatal. 
 
 
4a Questão (Ref.:201710340925) Pontos: 0,1 / 0,1 
Com relação a concurso de pessoas, assinale a opção correta. 
 
 
O autor intelectual é assim chamado por ter sido quem planejou o crime, não é necessariamente 
aquele que tem controle sobre a consumação do crime. 
 
A participação maior ou menor do agente no crime não influencia na pena. 
 
Não existe a possibilidade de coautoria em crime culposo. 
 
Ser coautor de um crime significa ter sido um agente de menor importância na empreitada 
criminosa. 
 
O partícipe, para ser considerado como tal, não pode realizar diretamente ato do procedimento 
típico, tampouco ter o domínio final da conduta. 
Respondido em 26/05/2019 16:57:33 
 
 
Compare com a sua resposta: Não, só é possível adesão até a consumação do crime 
 
 
5a Questão (Ref.:201710340995) Pontos: 0,1 / 0,1 
(Procurador do Estado/CE ¿ CESPE/UNB ¿ 2008) Com relação ao concurso de pessoas, assinale a opção 
correta: 
 
 
b) As circunstâncias objetivas se comunicam, mesmo quando o partícipe não tiver conhecimento 
delas. 
 
c) As circunstâncias subjetivas nunca se comunicam. 
 
e) As elementares subjetivas nunca se comunicam. 
 
d) As elementares objetivas sempre se comunicam, ainda que o partícipe não tenha conhecimento 
delas. 
 
a) As circunstâncias objetivas se comunicam, desde que o partícipe tenha conhecimento delas. 
Respondido em 26/05/2019 17:04:50 
 
 
1a Questão (Ref.:201710340606) Pontos: 0,1 / 0,1 
34° Exame OAB- Cespe/UnB. Modificado) Entre as circunstâncias que sempre atenuam a pena, não está 
incluído o fato de o agente: 
 
 
ser o agente menor de 21 (vinte e um), na data do fato, ou maior de 70 (setenta) anos, 
na data da sentença 
 
desconhecer a lei; 
 
ter cometido o crime sob coação a que pudesse resistir; 
 
ter cometido o crime sob a influência de multidão em tumulto, se não o tiver 
provocado; 
 
ter cometido o crime em ocasião de incêndio, inundação ou qualquer calamidade 
pública. 
Respondido em 26/05/2019 17:06:39 
 
 
Compare com a sua resposta: Gabarito oficial. De acordo com Luiz Flávio Gomes, em Direito Penal, 
parte geral, volume 02, ed. Revista dos Tribunais, 2007, p. 509, a participação é acessória (natureza 
jurídica). Sem a conduta principal, não há que se falar em punição do partícipe. Quem é partícipe de furto 
executado por menor responde normalmente pelo crime, porque a conduta principal não precisa ser 
levada a cabo por agente culpável (basta ser típica e ilícita).Teorias: 1. acessoriedade mínima: basta que o 
fato principal seja típico. 2.acessoriedade limitada: basta que o fato principal seja típico e ilícito. É a 
adotada pelo CP. 3. acessoriedade máxima: basta que o fato principal seja típico, ilícito e culpável. 
4.hiperacessoriedade: o fato principal deve ser típico, ilícito, culpável e punível. Por exemplo, quem 
induz o filho a furtar dinheiro do pai responde pelo crime, apesar da escusa absolutória que favorece o 
filho, porque o fato principal não precisa ser punível em relação ao executor . Em suma, o fato principal 
precisa ser típico e ilícito. São as duas exigências para se punir o partícipe. 
 
 
2a Questão (Ref.:201710341014) Pontos: 0,0 / 0,1 
Sobre o sistema trifásico de aplicação da pena, assinale a resposta correta: 
 
 
No concurso entre causas de aumento ou de diminuição da pena previstas na parte especial, 
o juiz deverá aplicá-las em concurso. 
 
A pena jamais poderá ultrapassar os limites cominados abstratamente pelo legislador. 
 
Em caso de crime abandono material (art. 244, CP) praticado pelo pai contra o filho, não 
incide a agravante do art. 61, II, e, CP. 
 
As circunstâncias qualificadoras, avaliadas na terceira fase do sistema, não se confundem 
com as circunstâncias judiciais, observadas na primeira fase. 
 
No concurso entre circunstâncias agravantes e atenuantes, uma compensará a outra, não 
existindo hipótese de preponderância entre elas. 
Respondido em 26/05/2019 17:09:42 
 
 
Compare com a sua resposta: A) Não. Eduardo será transferido ao regime fechado para cumprir o 
restante da sanção (seis anos). A regressão mencionada é admitida expressamente pela Lei de Execução 
Penal (art. 118, caput, parte final), isto é, pode o sentenciado do regime semiaberto ser transferido para o 
regime fechado. B) No caso exposto o preso poderá obter progressão de regime, depois de cumprir um 
sexto da pena em regime fechado, desde que, Eduardo tenha bom comportamento carcerário. O Tribunal 
de Justiça de São Paulo já decidiu nesse sentido, que ¿a consequência mais direta do reconhecimento da 
prática de falta grave ¿ além da perda dos dias remidos ¿ é a regressão de regime [...]¿. 
 
 
3a Questão (Ref.:201710341563) Pontos: 0,1 / 0,1 
Com relação às penas restritivas de direito e privativas de liberdade, assinale a alternativa INCORRETA: 
 
 
as penas restritivas de direitos
jeniffer
jeniffer fez um comentário
Ola nao estou conseguindo visualizar este matrial
0 aprovações
Carregar mais