Resumo nefrologia
35 pág.

Resumo nefrologia

Pré-visualização35 páginas
FISIOLOGIA RENAL (aula 1)
• Características
• Funções do rim
NEFROLOGIA
RESUMO - FELIPE KEY SAKABE
• O rim recebe irrigação direto da aorta (25% do DC é utilizado pelos rins): as artérias renais penetram
nos rins até chegar na arteríola aferente que penetra em cada glomérulo para que haja ltração
glomerular é necessário que tenha pressão arterial
• Córtex: onde há a maior parte dos glomérulos
• Medula: quando há doença crônica que cause brose, na camada cortical os glomérulos são trocados
por tecido broso resultando na diminuição da espessura (sinal importante de cronicidade)
• Relação cortico-medular: importante na insuciência renal crônica (no ultrassom normal é visível a
diferença entre as camadas)
• Renina
1. Balanço hídrico e salino
2. Excreção de compostos nitrogenados
3. Regulação do equilíbrio ácido-base
4. Metabolismo ósseo
5. Atividade eritropoiética
6. Controle da PA
• Aldosterona faz vasoconstrição na arteríola eferente
• Produzida pelo aparelho justaglomerular
• Principal motivo da liberação da renina é a baixa pressão de chegada arteríola aferente
• Outros estímulos para liberação de renina
• Na medida em que excreta sal e água doenças renais cursam com a diculdade da excreção de
ambos resultando em hiperbolemia aumento da pressão hidrostática edema hipertensão
arterial
• Toxinas provenientes do metabolismo, principalmente proteico (uréia e creatinina)
• Através da secreção de ácidos e reabsorvendo bicarbonato
• O metabolismo muitos ácidos voláteis e não voláteis, o pulmão elimina CO2 (volátil), os ácidos não
voláteis (ácido sulfúrico, fosfórico, clorídrico) são eliminados pelo rim resultando numa urina de pH mais
baixo do que o do sangue
• Ocorre a ativação da vitamina D no rim: o fígado produz a vitamina D (colicalciferol) que precisa passar
pelo rim e sofrer hidroxilação para se tornar vitamina D ativa (calcitriol) sua função é ir até o intestino
e promover absorção do cálcio proveniente da dieta (tendência a hipocalcemia na disfunção renal)
• Além disso, o rim e responsável por excretara fósforo da ingestão (na disfunção renal resulta em
hiperfosfatemia)
• A baixa do cálcio e aumento do fósforo estimula a paratireoide a liberar PTH tentando reduzir a
concentração de fósforo e elevar o cálcio PTH age no osso (que é o reservatório de cálcio) e libera
cálcio no sangue e no rim aumenta a excreção de fósforo e estimula a ativação da vitamina D para que
mais cálcio seja absorvido no instino
• O rim produz eritropoetina, sendo seu principal estímulo a hipoxemia. Ela atua na medula óssea
estimulando a produção de glóbulos vermelhos
• Pacientes com insuciência renal tem mais riscos de desenvolver anemia
• Pelo controle da volemia na medida em que excreta sal e água
• O rim também sofre as consequências da hipertensão, uma das principais causas de doença renal
crônica é a HAS e diabetes
• Estímulo simpático (aumento da FC e PA)
• Baixa concentração de sódio na mácula densa no túbulo distal (a mácula densa em contato com
Túbulo contorcido distal capta a quantidade de sódio na luz, assim quanto menos sódio tiver no
túbulo distal, maior será a estimulação da renina)
• Função Glomerular
• Função Tubular
• Trajeto do sangue: aorta artéria renal arteríola aferente membrana basal glomerular (rede de
capilares) arteríola eferente vênulas veia renal
• Endotélio capilar possui fenestras endoteliais por onde passam substâncias menores que a fenda (Na+,
K+, Ca2+, fósforo e não deve passar albumina nem hemácias
• Há duas barreiras que fazem a ltração glomerular:
• Reabsorção de Na+
1. Túbulo Contorcido Proximal
• Reabsorção de água
• Proteinúria é grande sinal de disfunção na barreira glomerular, logo se pensa em doença glomerular
• O ltrado cai no Espaço de Bowman
• Determinantes da função glomerular
• Barreira elétrica: principal motivo das proteínas não serem ltradas, a membrana basal endotelial é
formada por proteoglicanos e apresenta carga elétrica negativa assim como as proteínas (albumina)
assim elas se repelem
• Barreira mecânica: através das fendas de ltração, só passam substâncias menores que as fendas
1. Túbulo proximal: 67%
2. Porção espessa alça de Henle: 25%
3. Túbulo distal: 4%
4. Ducto coletor: 3%
Principal função é a reabsorção de Na+ (2/3 do Na+ ltrado no glomérulo), também reabsorve
água e bicarbonato
• Em S1 ocorre a reabsorção de sódio e bicarbonato
• em S2 e S3 ocorre a reabsorção de água pela Aquaporina 1 (a reabsorção depende da osmolaridade e
não sofre ação hormonal)
1. Túbulo proximal
2. Ducto coletor
3. Túbulo contorcido distal através do gradiente de concentração (forma passiva)
a absorção é de forma ativa, pela bomba ATPase
através de aquaporinas
Kf constante de permeabilidade seletiva: coeciente da membrana basal glomerular e diz o
quanto consegue passar por ela por mmHg
PEF pressão efetiva de ltração: dado pela diferença entre as pressões hidrostáticas e oncóticas
no espaço de Bowman
FG ou TFG = Kf X PEF
O Kf é xo: 12,5 ml/min.mmHg (a cada minuto por 1 mmHg consegue passar 12,5 ml de soluto
• A pressão hidrostática é maior na entrada do capilar (porção arterial da arteríola aferente) do que
no nal (na porção venosa da saída do capilar), então na porção de entrada há saída de líquido no
capilar porque chega com mais pressão na arteríola aferente
• A pressão oncótica na entrada e saída (porção arterial e venosa) é constante porque a albumina
não sai do vaso
• No início a pressão hidrostática prevalece, a medida que vai saindo líquido para fora do capilar a
pressão hidrostática vai caindo até ser superada de modo que na porção nal, a pressão oncótica
prevalece
• Então, a pressão hidrostática do capilar contribui para a saída do líquido do vaso, a pressão
oncótica luta contra a saída junto com a pressão hidrostática do espaço de Bowman
• A pressão hidrostática em uma pessoa normotensa é 60 mmHg
• FG = 12,5 X 10 = 125 ml/min
• A taxa de normalidade é > 90 ml/min e a média é 125 ml/min
• PEF = 60 - (32 (pressão oncótica) + 18 (pressão hidrostática do espaço de Bowman)
• PEF = 10 (normal)
• Assim, quando a PA cai, cai a PEF e assim cai a ltração da urina
(aula 2)
• Reabsorção de Na+
• Reabsorção de H2O
• Reabsorção de Bicarbonato - Mecanismo regular ácido-base (principal mecanismo regulador
do corpo)
1. Luz do túbulo:
• Acontece em S2 e S3 e o transporte é pelas Aquaporinas 1 (dependente da osmolaridade e não de
ação hornnal)
• A água sai da luz tubular passivamente por diferença de concentração pois a porção descendente
penetra na medula que é muito concentrada, assim aumenta-se a tonicidade tornando-se
hiperosmótica e ocorrendo a saída de água
• Única porção em que o Na+ não sai de forma ativa, sai por reabsorção passiva (esse segmento
está na parte mais interna da medula renal, com maior osmolaridade)
• Reabsorção de 25% do Na+ que foi ltrado:
• Diuréticos de alça - Furosemida
1. Luz do túbulo:
1. Luz do túbulo:
2. Intracelular
3. Interstício
2. Intracelular
3. Interstício
• Mais de 85% do bicarbonato que é ltrado é reabsorvido no túbulo contorcido proximal
• Diurético Acetazolamida (Bloqueador da anidrase carbônica)
2. Intracelular:
3. Interstício
• Na+ proveniente da ltração entra na célula tubular por diferença de concentração
• O H+ trocado com o Na+ que está na luz se une ao bicarbonato (proveniente da ltração
glomerular) H2CO3 (ácido carbônico - pela enzima anidrase carbônica) se dissolve em
H2O e CO2 (pela anidrase carbônica) CO2 entra passivamente na célula (por ser um gás)
• A bomba Na+/K+/2Cl- transporta o Na+, K+ e Cl- da luz do túbulo para dentro da célula,
o transporte é ativo
• O sódio intracelular é transportado para o interstício através da bomba Na+/K+ATPase e
o K+ é transportado do interstício para a célula. Transporte ativo
• O sódio vai para o interstício completando sua reabsorção
• Agem inibindo a bomba Na+/K+/2Cl-, logo o sódio não é reabsorvido concentrando
mais o ltrado e assim leva mais água junto (a água deixa de ser reabsorvida no ramo
descendente pois mais a frente está muito concentrado)
• O CO2 na célula se une ao H20 (pela anidrase carbônica) H2CO3 se dissocia em H+
e HCO3- (bicarbonato) H+ volta para o ciclo, sendo trocado novamente com um Na+ que
está na luz do túbulo e o bicarbonato é transportado para o interstício juntamente com um Na+
intracelular através da bomba Na+/HCO3-
• 1º diurético a ser desenvolvido, extremamente potente pois inibe a reabsorção de 2/3 de Na+,
porém ao bloquear a enzima, impede também a reabsorção de bicarbonato resultando em
acidose metabólica
• O bicarbonato vai para o interstício completando sua reabsorção e regulando o equilíbrio
ácido-base
• Bomba Na+/H+ faz o co-transporte com H+ a favor do gradiente (transporte passivo), assim
o H+ vai para a luz do túbulo
• O sódio intracelular é transportado para o interstício através da bomba Na+/K+ATPase e o
K+ é transportado do interstício para a célula. Esse é um transporte ativo pois os 2 transportes
são contra o gradiente de concentração
• O sódio vai para o interstício completando a reabsorção
2. Alça de Henle
a) Porção Descendente Fina - segmento concentrador
a) Porção Ascendente na - segmento diluidor
a) Porção Ascendente espessa