Respostas Atividades Propostas PRODUÇÃO MAIS LIMPA
3 pág.

Respostas Atividades Propostas PRODUÇÃO MAIS LIMPA


DisciplinaProdução e Tecnologia Mais Limpa6 materiais12 seguidores
Pré-visualização1 página
Unisa | Educação a Distância | www.unisa.br
35
CAPÍTULO 1
1. A partir da década de 1960, movimentos ambientalistas começaram a pressionar a sociedade 
para a sensibilização e posterior conscientização de todos. Eventos importantes começaram 
a ocorrer, envolvendo o mundo todo nas questões ambientais de maneira geral: a política, a 
sociedade, a educação, a saúde, a economia, o ambiente natural e urbano, o planejamento e 
a gestão ambiental. Além disso, segundo Santos (2007), muitas pessoas consideram os anos 
1960 um marco no qual o relacionamento entre o desenvolvimento e o meio ambiente come-
çou a ser efetivamente compreendido, com a publicação do livro Silent Spring, apresentando 
uma pesquisa com os aspectos toxicológicos, ecológicos e epidemiológicos do emprego de 
pesticidas na agricultura e seu impacto para as espécies animais e a saúde dos seres humanos. 
Essa publicação rompeu o conceito da capacidade infinita de absorção pelo meio ambien-
te dos impactos ambientais causados pelo desenvolvimento. A partir daí, várias iniciativas e 
recursos foram destinados ao desenvolvimento de instrumentos que permitissem o melhor 
entendimento da relação entre a geração de resíduos e seus respectivos impactos no meio 
ambiente. Alguns incidentes nos anos 1970 e 1980, como, por exemplo, o vazamento ocorrido 
no reator de Three Mile Island e o acidente nuclear do reator da estação de Chernobyl, contri-
buíram também para acelerar ações de proteção ao meio ambiente.
2. No Brasil, a P+L surgiu com o apoio do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Se-
brae) e a coordenação nacional do Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento 
Sustentável (CEBDS), em que foi criada a Rede Brasileira de Produção Mais Limpa, com o ob-
jetivo bem definido de difundir o conceito de ecoeficiência e a metodologia de P+L para as 
empresas de menor porte, com base no modelo concebido pela ONU (CEBDS, 2005). Na fase 
experimental do programa, entre 1999 e 2002, os resultados obtidos pelas empresas-piloto 
dos cinco primeiros núcleos estaduais (Rio Grande do Sul, Mato Grosso, Minas Gerais, Bahia e 
Santa Catarina) indicaram que estávamos no caminho certo. As cerca de 200 empresas par-
ticipantes obtiveram, em três anos, uma redução de R$ 18 milhões por ano nos gastos com 
matérias-primas, água e energia. Para cada R$ 1 investido, houve um retorno de R$ 4 (CEBDS, 
2005). 
RESPOSTAS COMENTADAS DAS 
ATIVIDADES PROPOSTAS
Salete Regina Vicentini
Unisa | Educação a Distância | www.unisa.br
36
CAPÍTULO 2
1. A relação do conceito de desenvolvimento sustentável e do conceito de P+L pode ser evi-
denciada observando que os objetivos da P+L pretendem promover a aplicação, de forma 
consistente, da implementação de práticas produtivas em empresas, que contribuam para 
sua adequação ambiental e econômica. A proposta do conceito de P+L está baseada na ma-
ximização do uso dos recursos naturais nos processos produtivos e na redução do lançamen-
to de contaminantes no meio ambiente, favorecendo, assim, que gerações futuras tenham 
maior probabilidade de encontrar os recursos naturais para satisfazer suas necessidades de 
desenvolvimento. A P+L apresenta uma proposta de atuação para a resolução dos problemas 
ambientais de uma atividade produtiva mais eficaz e eficiente para promover a sustentabili-
dade do que as formas tradicionais propostas de processos de tratamento e disposição final 
de resíduos, denominadas fim de tubo (UNEP/UNIDO, 2003 apud SANTOS, 2007).
2. Outra questão que não podemos deixar de pensar é a ligação da gestão ambiental com a P+L. 
Certamente, a implementação de um Sistema de Gestão Ambiental (SGA), segundo o modelo 
proposto pela NBR ISO 14001, impulsiona as empresas a observar essas questões sob uma 
ótica gerencial de forma mais sustentável. Os procedimentos exigidos para a certificação, 
principalmente em relação a requisitos legais e controles operacionais, fazem com que as em-
presas passem a considerar suas relações com o meio ambiente como qualquer outro aspecto 
de seus negócios. É natural que uma empresa, após a obtenção de um certificado internacio-
nal de qualidade ambiental, passe a fazer uso de sua conquista como marketing institucional, 
principalmente se fizer parte de um segmento industrial tradicionalmente poluidor. O marke-
ting ecológico passou a ser obrigação das empresas que pretendem continuar \u2013 ou tornar-se 
\u2013 modernas e competitivas e, apesar de não garantir um padrão de excelência em termos de 
desempenho ambiental, a certificação ISO 14001 representa esforços concretos e um compro-
misso assumido na busca pela minimização de impactos ambientais e pela sustentabilidade.
CAPÍTULO 3
1. A UNIDO afirma que a P+L é a aplicação contínua de uma estratégia econômica, ambiental 
e tecnológica integrada aos processos e produtos, a fim de aumentar a eficiência no uso de 
matérias-primas, água e energia, por meio da não geração, minimização ou reciclagem de 
resíduos gerados, com benefícios ambientais e econômicos para os processos produtivos. O 
traço específico da ecoeficiência em relação à P+L é buscar ir mais além do aproveitamento 
sustentável dos recursos e da redução da contaminação, destacando a criação de valor agre-
gado, tanto para os negócios quanto para a sociedade, e mantendo os padrões de competiti-
vidade (DIAS, 2007).
Seminários de Produção Mais Limpa (P+L)
Unisa | Educação a Distância | www.unisa.br
37
2. 
Eliminação/Redução de resíduos
A Produção mais Limpa procura eliminar o lançamento de 
resíduos no meio ambiente ou reduzi-lo substancialmente. 
Entende-se por resíduo todos os tipos de poluentes, 
incluindo resíduos sólidos, perigosos ou não, efluentes 
líquidos, emissões atmosféricas, calor, ruído ou qualquer 
tipo de perda que ocorra durante o processo de geração de 
um produto ou serviço.
Produção sem poluição
Processos produtivos ideais, de acordo com o conceito de 
Produção mais Limpa, ocorrem em um circuito fechado, 
sem contaminar o meio ambiente e utilizando os recursos 
naturais com a máxima eficiência possível.
Eficiência Energética
A Produção mais Limpa requer os mais altos níveis de 
eficiência energética na produção de bens e serviços. 
A eficiência energética é determinada pela maior razão 
possível entre energia consumida e produto final gerado.
Saúde e segurança no trabalho
A Produção mais Limpa procura sempre minimizar os riscos 
para os trabalhadores através de um ambiente de trabalho 
mais limpo, mais seguro e mais saudável.
Produtos ambientalmente adequados
O produto final, bem como todos os subprodutos 
comercialmente viáveis, devem ser tão ambientalmente 
adequados quanto possível. Fatores relacionados à saúde e 
meio ambiente devem ser priorizados nos estágios iniciais 
de planejamento do produto e devem ser considerados ao 
longo de todo o ciclo de vida do mesmo, da produção à 
disposição, passando pelo uso.
Embalagens ambientalmente adequadas
A embalagem do produto deve ser eliminada ou minimizada 
sempre que possível. Quando a embalagem é necessária 
para proteger, vender, ou para facilitar o consumo do 
produto, esta deve ter o menor impacto ambiental possível.